Estado do Humor

Noite de Estreias

Diego Viana (Valor-Eu&Fim-de-Semana, 11/07/14) publicou reportagem sobre a próxima FLIP – Feira de Literatura de Paraty, cujo tema será o Humor. Há uma boa passagem sobre o debate a respeito do Estado do Humor no País, quando o PIO (Partido da Imprensa Oposicionista) venera tanto o “mau humor” de O Mercado.

“Esta FLIP coincide com um estado alterado de humor no país. Depois das manifestações de junho do ano passado, entre protestos e denúncias de violência, a polarização política parece ter se ampliado – principalmente na rede mundial de computadores -, favorecendo mais a tensão que a leveza.

“Que há um clima pesado não há duvida”, diz Luiz Fernando Verissimo. “É uma combinação de desencanto com o PT com um anti-petismo virulento, tudo agravado pela proximidade das eleições e o novo protagonismo da internet. Mas não acho que estamos perdendo o humor ou pelo menos a tradicional leveza brasileira de ser.”

O clima mudou, mas não para pior, pondera Antônio Prata. “Acho que perdendo o humor não estamos, mas não é um dos momentos em que se está mais livre, leve e solto por aí. E não sei se isso é necessariamente ruim”, afirma. “Num país que sempre camuflou os conflitos sob uma pátina de alegria, que sempre disse a si mesmo e ao mundo que era pacífico e não tinha racismo nem violência, às vezes é bom falar sério. E as vaias a Dilma [na abertura da Copa] são outro exemplo de que o humor continua vivo entre nós: a fatia da população que mais lucrou com ela no poder toda revoltadinha, mandando-a tomar…, não é hilário?Continuar a ler

Envelhecimento

mineirim

Três velhinhos, “mineirim”, estavam conversando:

- Tenho 75 anos – disse o primeiro – mas estou em plena forma.

Só o meu estômago é que anda rateando um pouco.

Outro dia comi uma feijoada, acompanhada de umas e outras caipirinhas.

E depois me senti meio pesado, sonolento. . .

- Pois eu tenho 78 – disse o segundo – e também estou legal, mas acho que minhas pernas andam fraquejando.

Ontem eu joguei uma pelada na praia, depois nadei uns três quilômetros.

À noite, minhas pernas estavam um pouco doloridas.

mineirim na praia- Já eu, que tenho 80 anos – disse o terceiro – não sinto esses problemas.

Mas, minha memória está começando a falhar: ontem, de madrugada, eu bati na porta do quarto da patroa; ela acordou assustada e falou:

- “Que é isso, meu velho? Quer dar mais uma?!”

Continuar a ler

Vaidade Mata!

Uma mulher foi levada às pressas para o CTI de um hospital.
Lá chegando, teve a chamada “quase morte”, que é uma situação
pré-coma, e neste estado, encontrou-se com a morte:
– Que é isso? – perguntou – Eu morri?

E a morte respondeu:
– Não, pelos meus cálculos, você morrerá daqui a 43 anos, 8 meses, 9
dias e 16 horas.

Ao voltar a si, refletindo o quanto tempo ainda tinha de vida,
resolveu ficar ali mesmo naquele hospital e fez: uma lipospiração, uma
plástica de restauração dos seios, plástica no rosto, correção no
nariz, na barriga, tirou todos os excessos, as ruguinhas e tudo mais
que podia mexer para ficar linda e maravilhosa.

Após alguns dias de sua alta médica, ao atravessar a rua, veio um
veículo em alta velocidade e a atropelou, matando-a na hora.

Ao encontrar-se de novo com a morte, ela perguntou irritadíssima:
– Puxa, você me disse que eu tinha mais 43 anos de vida! Por que eu
morri depois de toda aquelas despesas caríssimas com cirurgias plásticas???

A morte aproximou-se bem dela, olhando-a diretamente nos olhos e respondeu:
– CRIATUUUUUUURA DO CÉU, EU NÃO TE RECONHECI!!!!!

 

 

 

Nova Iorqu”I” É Aqui!

Fui ao Nova Iorqu”I”, no Sul da Ilhabela, e tomei uma cachaça tão boa que resolvi levar 10 garrafas para casa, mas a Patroa me obrigou a jogar tudo fora!

Peguei a primeira garrafa, bebi um copo e joguei o resto na pia.

Peguei a segunda garrafa, bebi outro copo e joguei o resto na pia.

Peguei a terceira garrafa, bebi o resto e joguei o copo na pia.

Peguei a quarta garrafa, bebi na pia, e joguei o resto no copo.

Peguei o quinto copo, joguei o resto na pia, e bebi a garrafa.

Peguei a sexta pia, bebi a garrafa e joguei o copo no resto.

A sétima garrafa eu peguei o resto e bebi a pia.

Peguei no copo, bebi no resto e joguei a pia na oitava garrafa.

Joguei a nona pia no copo, peguei a garrafa e bebi o resto.

O décimo copo, eu peguei a garrafa no resto e me joguei na pia.

Não me lembro o que fiz com a Patroa, mas que a cachaça era boa, era sim!

 

 

Adão e Eva

Quando Deus criou Adão e Eva, disse aos dois:

- Tenho dois presentes para distribuir entre vocês: um é para fazer xixi em pé e…

Adão, ansioso , interrompeu, gritando:

- Eu! Eu! Eu! Eu quero, por favor… Senhor, por favor. Sim, iria me facilitar vida substancialmente!  Por favor! Por favor!

Eva concordou e disse que essas coisas não tinham importância para ela. Então, Deus presenteou Adão, que ficou maravilhado. Gritava de alegria, corria pelo jardim do Éden fazendo xixi em todas as árvores. Correu pela praia fazendo desenhos com seu xixi na areia. Brincava de chafariz. Ascendia uma fogueirinha e brincava de bombeiro…

Deus e Eva contemplavam o homem louco de felicidade, até que Eva perguntou a Deus:

- E… Qual é o outro presente, Senhor?

Deus respondeu:

- Cérebro, Eva, o cérebro é seu.

A Classe Executiva Vai Ao Paraíso

Foi tudo muito rápido. A executiva bem sucedida sentiu uma pontada no peito, vacilou, cambaleou, deu um gemido e apagou. Quando voltou a abrir os olhos, viu-se diante de um imenso portal.

Ainda meio zonza, atravessou-o e viu uma miríade de pessoas.Todas vestindo camisolões e caminhando despreocupadas. Sem entender bem o que estava acontecendo, a executiva bem sucedida abordou um dos passantes:

- Enfermeiro, eu preciso voltar urgente para o meu escritório, porque tenho um meeting importantíssimo. Aliás, acho que fui trazida para cá por engano, porque meu convênio médico é classe A, e isto aqui está me parecendo mais um pronto-socorro. Onde é que nós estamos?
- No céu.
- No céu?…
- É.

- Tipo assim… , o Céu? CÉU…?!! Aquele com querubins voando e coisas do gênero?
- Certamente. Aqui todos vivemos em estado de gozo permanente ….

Apesar das óbvias evidências, nenhuma poluição, todo mundo sorrindo, nenhuma gritaria, ninguém usando telefone celular, a executiva bem sucedida custou um pouco a admitir que havia mesmo apitado na curva. Sem saída, tentou então o plano B: convencer o interlocutor, por meio das infalíveis técnicas avançadas de negociação, de que aquela situação era inaceitável. Porque, ponderou, dali a uma semana ela iria receber o bônus anual da empresa, além de estar fortemente cotada para assumir a posição de Presidente do Conselho de Administração.
E foi aí que o interlocutor sugeriu:

- Talvez seja melhor você conversar com Pedro, o síndico.
- É? E como é que eu marco uma audiência? Ele tem secretária?
- Não, não. Basta estalar os dedos e ele aparece.

Assim (…)?

Continuar a ler

10 Homens e Uma Mulher

Onze pessoas estavam penduradas por corda em um helicóptero. Eram dez homens e uma mulher. Como a corda não era forte o suficiente para segurar todos, decidiram que um deles teria que se soltar da corda.

Eles não conseguiam decidir quem seria, até que, finalmente, a mulher disse: “Eu me soltarei da corda! Afinal, as mulheres estão acostumadas a largar tudo por seus filhos e marido, dando tudo aos homens e nada recebendo de volta… Os homens, como a criação primeira de Deus, merecem sobreviver, pois são também mais fortes, mais sábios e capazes de grandes façanhas!

Quando ela terminou de falar, todos os homens começaram a bater palmas …

Contando carneiros…

Um velho pastor de ovelhas estava cuidando de seu rebanho, quando surgiu pelo inóspito caminho uma Pajero verde escuro, 4×4 toda equipada, soltando poeira. Parou na frente do velhinho! Dela desceu um cara de não mais que 30 anos, terno preto Ermenegildo Zegna, camisa branca Hugo Boss, gravata italiana, sapatos moderníssimos bicolores Salvatore Ferragamo, que disse:

- Senhor, se eu adivinhar quantas ovelhas tem no seu rebanho, o senhor me dá uma?

- Sim, respondeu o velhinho, entre espantado e desconfiado.

Então o cara volta para a Pajero, pegou um notebook, se conecta, via celular, à internet, baixa uma base de dados, entra no site da NASA, identifica a área do rebanho por satélite, calcula a média histórica do tamanho de uma ovelha, baixa uma tabela do Excel com execução de macros personalizados, e depois de três horas, diz ao velho:

- O senhor tem 1.324 ovelhas, e quatro podem estar grávidas.

O velhinho admitiu que sim, que estava certo, e como havia prometido, poderia levar a ovelha. O cara pegou o bicho e colocou na sua Pajero. Quando estava saindo, o velho perguntou:

- Desculpe, mas se eu adivinhar a sua profissão, o senhor me devolve a ovelha?

Duvidando que o velho acertasse, o cara concordou.

- O senhor é consultor? pergunta o velhinho…

- Incrível! Como adivinhou?

- Quatro razões:
Primeira: pela frescura;
Segunda: veio sem que eu o chamasse;
Terceira: você me cobrou para dizer algo que já sei;
E quarta: nota-se que não entende merda nenhuma do que está falando: devolve já o meu cachorro!!!

Cachorro Velho mordido por Cobra bota medo de Lingüiça

A velha senhora foi para safári na África e levou seu velho vira-lata com ela. Feliz, ele se soltou. De repente, caçando borboletas, o velho cão se deu conta que estava perdido!

Vagando a esmo, procurando o caminho de volta, o velho cão percebe que um jovem leopardo o viu. Ele caminha em sua direção com a intenção de conseguir seu almoço.

Continuar a ler

Carta de Despedida do Trema

Recebi cópia da Carta de Despedida do Trema, enviada por meu ex-aluno, Giovani Damiano. Li, não agüentei… Reproduzo-a abaixo. Perdoem-me.

“Estou indo embora. Não há mais lugar para mim. Eu sou o Trema.

Você pode nunca ter reparado em mim, mas eu estava sempre ali, na Anhangüera, nos aqüiféros, nas lingüiças e seus trocadilhos por mais de quatrocentos e cinqüenta anos.

Mas os tempos mudaram. Inventaram uma tal de reforma ortográfica e eu simplesmente tô fora. Fui expulso pra sempre do dicionário.

Seus ingratos! Isso é uma delinqüência de lingüistas grandiloqüentes!…

O resto dos pontos e o alfabeto não me deram o menor apoio…

A letra U se disse aliviada porque vou finalmente sair de cima dela. Os dois pontos (:) disse que sou um preguiçoso que trabalha deitado enquanto ele fica em pé.

Até o cedilha (ç) foi a favor da minha expulsão, aquele C medroso que fica se passando por S e nunca tem coragem de iniciar uma palavra. E também tem aquele obeso do O e o anoréxico do I.

Desesperado, tentei chamar o ponto final (.) para trabalharmos juntos, fazendo um bico de reticências (), mas ele negou, sempre encerrando logo todas as discussões.

Será que se deixar um topete moicano posso me passar por aspas ()? A “verdade” é que estou fora de moda.

Quem está na moda são os estrangeiros, é o K, o W, é “kkk” pra cá, “www” pra lá.

Até o jogo da velha (X), que ninguém nunca ligou, virou celebridade nesse tal de Twitter, que aliás, deveria se chamar TÜITER.

Chega de argüição, mas estejam certos, seus moderninhos: haverá conseqüências!

Chega de piadinhas dizendo que estou “tremendo” de medo. Tudo bem, vou-me embora da língua portuguesa. Foi bom enquanto durou.

Vou para o alemão, lá eles adoram os tremas. E um dia vocês sentirão saudades. E não vão agüentar!

Nos vemos nos livros antigos. Saio da língua para entrar na história!

Adeus,

Trema.