Receita com Dividendos de Empresas Estatais

Receitas de dividendos pagos pelas empresas estatais ao Tesouro Nacional, quando transferidas pelos bancos públicos, funcionam como entrada líquida de recursos, favorecendo diretamente o resultado primário do setor público consolidado. Isto, porque as empresas estatais financeiras, como o Banco do Brasil, a Caixa Econômica e o BNDES, não entram diretamente no cálculo da Necessidade de Financiamento do Setor Público (NFSP), também chamada de “déficit nominal” ou “resultado nominal”. A NFSP corresponde à variação nominal do endividamento do setor público não-financeiro junto ao sistema financeiro e ao setor privado, doméstico ou do resto do mundo, segundo os critérios do manual de estatísticas fiscais elaborado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

Continue reading “Receita com Dividendos de Empresas Estatais”

Avaliação cerebral das decisões de gastar ou aplicar

Segundo matéria publicada na Folha de S. Paulo (25/04/10), estudo de mapeamento cerebral pode ajudar a entender a diferença entre o cérebro de pessoa esbanjadora, que gasta dinheiro como se cada dia fosse o último de sua vida, e o de algum sovina crônico, que apenas economiza, sem jamais gastar o que juntou. Os mecanismos que interagem quando alguma pessoa decide entre consumir ou armazenar o recurso, dizem os cientistas, são os mesmos que embasam a fé religiosa de alguém que se esforça em vida para ter o paraíso após a morte.

Continue reading “Avaliação cerebral das decisões de gastar ou aplicar”