Virar site? Profissionalizar o blog?!

Ontem, recebi gentil mensagem de ex-aluno que tem experiência em programação e design para a Web com proposta para o meu blog. Ele acha que “ele está em um momento único, se consolidando como um dos primeiros blogs de Economia do Brasil [mantendo o ritmo receberá, cumulativamente, 100.000 visitas em seu primeiro aniversário em 22/01/11], e deveria aproveitar o momentum com o aumento do numero de visitas para profissionalizar o blog. Como?

1. Profissionalizar o design. Fazer um site visualmente interessante.

2. Profissionalizar sua ocupação. Monetizar o blog.

Existem diversas maneiras de monetizar um site. A primeira que está na moda, no momento, é o Google AdSense, que é o sistema do Google de anúncios. E também há a clássica venda de links (texto ou figura) no próprio site. Nesse sentido podem ser feitos acordos com as editoras dos seus livros, por exemplo, para além de anunciar seu livro também outros da editora e/ou acordos com sites das lojas virtuais que vendem os livros”.

Fiquei pensando a respeito, preparando-me para conversa futura, e resolvi navegar pela internet para obter mais informações a respeito. Faço aqui resumo do material que obtive, pois poderá interessar a mais pessoas.

No Blog do Luís, a gente encontra ótima síntese a respeito dessa diferença, depois de se desembaraçar da chamada “monetização”. Diz ele: “Para muita gente, site e blog é a mesma coisa, mas na prática podemos observar que há algumas diferenças que podem ser facilmente percebidas. Particularmente eu gosto mais de blog, mas entendo que muitas pessoas ainda estão ligadas no modelo tradicional, ou seja, os sites”.

As diferenças entre sites e blogs apresentadas aqui se refere ao seu ponto de vista. Mas eu as estendo para algumas outras definições que poderão ser perfeitamente aceitas sob o meu ponto de vista.

Site:

  1. É o modelo tradicional de páginas web.
  2. Normalmente tem a home page, ponto inicial para outras páginas.
  3. A comunicação com o leitor normalmente é feita via email.
  4. Necessita-se de conhecimento mínimo em HTML.
  5. A definição de conteúdo é trabalhosa, pois os clientes entendem que o site é algo muito formal.
  6. Em muitos casos, definir textos para sites, por exemplo, é muito trabalhoso.
  7. A atualização é feita em períodos longos.
  8. Muitos sites parecem a CNN ou a BBC pelo grau de formalidade que tem.

Blog

  1. Expressa a Opinião Pessoal do autor apenas. Não é opinião corporativa e/ou institucional, ou seja, vigora a plena liberdade de opinião do cidadão!
  2. Interação, pois o conteúdo pode ser discutido (Comentários) e Classificado (Rate this… colocar estrelas).
  3. A Atualização é constante e, em muitos casos, diário e/ou várias vezes por dia, embora tenha blog que foge desta regra, pois o seu conteúdo não muda já que cada post que é feito nele não perderá seu valor com o passar do tempo.
  4. A Linguagem adotada é mais coloquial e menos formal.
  5. O Modelo Estrutural também é diferente, no blog temos várias Páginas sequenciais, podendo navegar entre elas sem precisar ficar voltando à Página Inicial, via Categorias, Calendário, Tags, Pesquisa, etc. que estão na margem lateral.
  6. Completando o item anterior, no site o Modelo de Navegação é vai e volta, no blog é próximo, próximo...
  7. O Conteúdo pode ser classificado por Categoria, Data ou Tags.
  8. O Tratamento de cada assunto é chamado de “post“, logo o que o blogueiro faz é postar.
  9. Geralmente, tem Foco muito bem definido, tem blogs sobre Esportes, Tecnologia, Saúde, Política, Sustentabilidade, etc., ou é de Variedades, como é o caso do meu por tratar de Cidadania & Cultura.
  10. O Autor do blog, normalmente, é identificado e conhecido, tornando mais humana, pessoal ou interativa a relação entre autor e leitor.
  11. Não precisa de Conhecimento de Tecnologia para criar seu blog, qualquer pessoa pode criar um com alguma facilidade (ver: Quero Criar Um Blog), apesar de algumas situações requerem certo grau de conhecimento pesquisado na própria internet.

Aos poucos, visitando outros blogs e sites, vai ficando mais claro, para mim, o que não quero para o meu blog:

  1. Monetização: pelo menos por ora, enquanto eu não necessitar disso para viver. Eu tenho prazer em fazer o blog, porque ele não é ofício nem obrigação. Já fui alertado por amigo: “Não vire escravo do seu blog”! Eu não aprecio publicidade.
  2. Poluição visual: bastam duas cores, azul e branco, claro, sou cruzeirense! [Pronto, perdi a torcida do Clube Atlético Mineiro…] Busco usar imagens apenas como ilustrações de conteúdo. Aliás, acho-as imprescindíveis. São linguagem, muitas vezes, irônica, possivelmente, estatística. “Site visualmente interessante” depende de gosto pessoal; para muitos, a profusão é sinal de prodigalidade e liberalidade no poder de gastos. Coloca-se grande quantidade de luzes e cores, abundância de links, exuberâncias de gosto duvidoso…
  3. Curriculum Vitae e/ou Obras Completas: visito Home Page de colegas notáveis, tais como Gustavo H. B. Franco ou Bresser Pereira Website, sinto-me “esmagado” com tanta sapiência contida em uma página só! Única conclusão a que chego é que bom saber que lá tem grande acervo de conhecimentos, mas jamais deles desfrutarei. É muita sabedoria, erudição, quase infinita sabedoria divina. Eu queria apenas trocar uma palavra ou opinião…
  4. Impessoalidade: a idéia do blog não é manter distanciamento pessoal, pelo contrário, é a de aproximação, interlocução e relacionamento interpessoal em abrangência virtual muito maior do que o da “nossa aldeia (ou turma)”!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s