Vídeo-aulas de Economia VI

Uma das “neuras” que possuo é: “quando chega minha vez, as regras mudam”! Agora (ou daqui a pouco), quando chegar a hora do Brasil se beneficiar das exportações de petróleo, o mundo mudará! Será? Para melhor? Se for para pior, ou seja, se continuar sendo “Economia do Petróleo”, agravada por escassez, o Brasil se beneficiará? Os cidadãos brasileiros se beneficiarão? Não seria melhor a continuidade da “Economia do Álcool”? Muita gente gostou disso, mas reescreverei no “politicamente correto”, na “Economia do Etanol”? No popular, “Economia da Caninha”?

Também os ecochatos não gostam dela, principalmente, os que não conhecem o País, pois acham que a cultura da cana de açúcar levará à crise de alimentos e, mais adiante, ao desmatamento da Amazônia! A cadeia dos acontecimentos, segundo eles, será assim: a lavoura da cana empurra o gado para o Norte, haverá desmatamento para criar pastagens e, futuramente ,abrirá espaço na Amazonia para a soja e, depois, aquilo lá virará deserto! Creio em… não posso dizer isso!

Tudo isso é introdução para dizer que, assistindo o documentário “Petróleo: Ouro Negro” (original: “Fields of Fuel“), cujo trailer apresento a seguir, finalmente, entendi porque houve “Lei Seca” nos Estados Unidos! Foi porque a indústria do petróleo queria sabotar o álcool, combustível biodegradável, que seria adotado pela nascente indústria automobilística!

O próprio Henry Ford, além de criar o “fordismo”, inventou o Ford T movido por álcool. Assim, os conservadores texanos, desde sempre, ou melhor, desde que expropriaram o Texas do México, defenderam a proibição de qualquer tipo de álcool: do uísque ao etanol. Os gangters de Chicago usaram e abusaram da Lei Seca, até que Ford desistiu do álcool de milho, não sei se do Jack Daniels (bourbon de milho), mas, no ano seguinte, a Lei Seca foi revogada e o “american way of life” viveu feliz para sempre!

Para sempre? Até escassear o petróleo, aí eles tinham que invadir o Iraque, país com a segunda maior reserva de petróleo do mundo. Bush, texano cuja eleição (fraudada) foi financiada pela indústria de petróleo, já tinha decidido antes de 11/9, mas faltava pretexto para satisfazer a opinião pública. O ataque às Torres Gêmeas foi providencial para esse propósito. Daí a balela do armazenamento de “armas de ataque em massa” por parte do Iraque (hoje a ameaça é a “posse” de armas nucleares pelo Irã), certo satanismo sobre o ditador Sadam Husseim, pronto!

Dica Cinematográfica: se ainda não assistiu, não deixe de assistir ao épico histórico “Assim Caminha a Humanidade“(Giants, 1956) que conta estória do choque cultural entre os estancieiros criadores de gado, supostamente aristocratas, e os petroleiros, bregas-chiques quando ascenderam. Assim caminha a humanidade emergente em todo o mundo…

Fora a estória de saga familiar, ao longo dessa transição, vale também pela fotografia e atuação de Elizabeth Taylor, Rock Hudson e James Dean, dirigidos por George Stevens. Veja a cena de James Dean logo após sua descoberta de petróleo:

Outra atuação magnífica como petroleiro é a de Daniel Day-Lewis em Sangue Negro (There Will Be Blood, 2007), inclusive ganhando o Oscar de Melhor Ator em 2007.

História do Petróleo:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s