Como Prever o Futuro – Metodologia e Prática (por Marcos Elias)

Giuliano Damiano envia mais uma boa sugestão: acompanhar o Blog do Empiricus Research. Vou colocá-lo na minha página de Favoritos na aba acima. Como amostra do peculiar humor de economista, leiam o post abaixo escrito por Marcos Elias.

“A previsão do futuro é indústria bilionária e que crescerá à taxa composta de 50% ao ano para os próximos 15 anos (previsão minha!). Neste segmento incluiremos as seguintes atividades:

– Horóscopo, tarô (cigano, egípcio e tradicional), quiromancia, vidência, búzios, cartomancia, cabala, numerologia e leitura de borra de vinho e de café;

– Econometria, incluindo MMQ, MMV, MMG, MQ2E e bayesiano, valuation, all in, com DCF, EVA, múltiplos e etc. e tal; análise técnica, grafista e afins; econofísica, econoquímica, econobiologia, economia-matemática e até economia-economia;

São atividades de altíssima margem, e, se usadas apenas como consultoria (pelo amor de Deus, não use essas coisas contra si mesmo!), elas te trarão duplo ganho: o seu enriquecimento absoluto (vai enfiar uma grana no bolso todo mês) e seu enriquecimento relativo (a sociedade, em geral, vai se tornar mais pobre seguindo seus conselhos, fazendo sentir-se ainda mais rico). Diante de tamanhas vantagens, decidi escrever texto sobre metodologia de previsão do futuro, de forma a tornar esta arte milenar acessível a qualquer um.

Primeiramente:

Escolha nome artístico. Em economia e afins, o sujeito geralmente toma o sobrenome como nome artístico, e isso tem muitas vantagens: se seu pai foi importante, um ministro ou presidente do BC, você pode ser confundido com isso, beneficiando-se; ou também serve para compartilhar a raiva que sentirão de você entre todos os membros da sua família. Você pode sempre dizer: “Isso aí quem fez foi meu primo”. Para as outras ciências esotéricas, vale a pena buscar nome de origem hispânica ou árabe (que tal Quiroga ou Musa Ibn Musa?) ou algo que soe como rapper (MC, Ice, Cold, etc);

Utilize adereço místico em sua vestimenta: se for banqueiro, um lencinho de seda cor de rosa no bolso do terno ou um suspensório lilás. Relógios de ouro costumam causar um bom efeito. Gravata cores abacate e laranjão também são muito comuns. Bigode, de preferência. Óculos, para dar uma certa erudição ao seu chute. Abuse das palavras em inglês, que em muitos casos funcionam como a antiga e demodé abracadabra;

Depois:

Faça as previsões chocantes. Nada de moderação. Ninguém vai te pagar para ouvir que a inflação se estabilizará em patamar aceitável ou que a bolsa oscilará em torno de 20% para os próximos dois anos. Diga que a bolsa vai a 200 mil pontos, que o petróleo vai bater US$ 200,00 o barril, que a inflação, descontrolada, será de 25% para o ano próximo. Diga que Petro será privatizada e que a Ambev, estatizada. E sempre cheque para garantir que a sua previsão é original. Respeite a charlatanice alheia;

Faça previsões para o longuíssimo prazo. Quanto mais longo, melhor. Diga que a bolsa baterá 200 mil pontos em cinco anos. Até lá, você já mudou de emprego três vezes, já enriqueceu e já pode tomar como desculpa umas cinco crises econômicas e três guerras. Nunca diga nada para o mês próximo, a não ser que esteja desesperado, desempregado ou que meta isso em fórum de ações. Vai que dá certo, e se der errado, é só recadastrar-se com um nick diferente;

Use sempre números quebrados;

Justifique-se sempre da forma mais sofisticada possível. Escreva paper que subsidie suas previsões de 108 páginas: ninguém lerá, e todos dirão que se trata de trabalho sério. Como eu sou mágico há muitos anos, vou dar algumas palavras secretas, que se utilizadas na ordem correta, podem render-lhe efeito muitíssimo bom:

– Heterocedasticidade;

– Filtros de Kalman;

– Leptocurtose, mesocurtose e platicurtose, mas nunca na mesma frase;

– Distribuição de Cauchy-Lorentz, com versão multivariada k-dimensional;

– Entropia, entalpia, energia de Helmholtz, energia livre de Gibbs, grande potencial canônico, coeficiente de Reynolds, equação de Navier-Stokes, multifractais, autômatos celulares , e, principalmente, equação de Schröedinger;

E, o mais importante, por mais que lhe peçam, nunca, em caso algum, forneça sua planilha a ninguém: você não vai querer que descubram seu segredinho, certo?

Pois, como diria o gênio máximo Niels Bohr, pai da estrutura atômica e da física quântica:

“Previsões são muito difíceis, especialmente sobre o futuro”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s