Armadilha de Liquidez

Armadilha de Liquidez é processo identificado por Keynes que consiste na situação em que o aumento da oferta de dinheiro, por exemplo, via resgate dos títulos de dívida pública (“quantitative easing”) não tem por consequência a queda da taxa de juros, mas sim a elevação das reservas dos bancos, aplicadas em Tesouraria, e do público não bancário em saldos monetários ociosos.

Nessa circunstância específica de depressão, os agentes econômicos acreditam que a taxa de juros se encontra em nível muito baixo, próxima de zero, e certamente aumentarão em futuro próximo. Assim, a concessão de empréstimos prefixados ou a aquisição de títulos financeiros em longo prazo acarretará perda. Enquanto aguardam mudança na conjuntura, mantêm o dinheiro na forma líquida. Também não gastam enquanto esperam queda de preços em bens e serviços. Economista pré-keynesiano, que pensa em termos de poupança, acredita que os indivíduos guardam o dinheiro apenas para complementar a pensão previdenciária.

Continue reading “Armadilha de Liquidez”