Mercado de Ações

A sociedade anônima permite a milhares de indivíduos juntarem recursos para empreendimentos em longo prazo que exigem grande investimento de capital antes que se obtenha lucro. Depois do advento do mercado de crédito bancário e do mercado de títulos de dívida pública, o passo seguinte na história financeira do mundo, contada por Niall Ferguson no livro “A Ascensão do Dinheiro”, foi o aparecimento do mercado de ações.

Continue reading “Mercado de Ações”

Aula sobre Mercado de Ações

Aula 4 Mercado de Ações

Método Didático: Como preparação para aula, os alunos devem ler todo o material didático desse link, solicitando esclarecimento das dúvidas ao professor durante a aula. É espécie de apostila com resumo para a consulta anterior ou posterior à aula (postada com link acima: clique em Aula 4 Mercado de Ações). Na aula, vamos expor o material audiovisual, apenas como índice adequado para não esquecer nenhum ponto durante a apresentação.

Plano da Aula: faremos essa abordagem conceitual, em apresentação oral e sumária, depois de assistir  a abordagem histórica ilustrada do assunto: o Terceiro Episódio do DVD, baseado no livro de Niall Ferguson, professor de Harvard, “A Ascensão do Dinheiro“, intitulado “Inflando Bolhas“.

Resumo da Aula: leia post Mercado de Ações.

Dia 31 de outubro de 2011: Planeta Terra com 7 Bilhões de Habitantes

 

Antônio Gois (Folha de S. Paulo, 30/10/11) diz que o anúncio, pela ONU, de que chegaremos simbolicamente hoje ao marco de 7 bilhões de habitantes reacendeu o debate sobre a capacidade do planeta de prover recursos para sustentar, com qualidade, tanta gente. A preocupação é justificada pela constatação de que a maior parte do crescimento projetado para o futuro acontecerá em países pobres. Até 2100, a ONU estima que a população aumentará em mais 3 bilhões. Dez países, sozinhos, serão responsáveis por mais da metade disso. Oito são africanos.

Continue reading “Dia 31 de outubro de 2011: Planeta Terra com 7 Bilhões de Habitantes”

Economia Brasileira: Sexta Maior do Mundo em 2011

 

Érica Fraga (Folha de S. Paulo, 30/10/11) mostra que a crise dos países desenvolvidos ajudará o Brasil a ganhar posições com mais rapidez no ranking de maiores economias do mundo. Em 2011, o Produto Interno Bruto brasileiro medido em dólares deverá ultrapassar o do Reino Unido, segundo projeções do Fundo Monetário Internacional e das consultorias EIU (Economist Intelligence Unit) e BMI (Business Monitor International).

A estimativa mais recente, da EIU, prevê que o PIB do Brasil alcance US$ 2,44 trilhões, ante US$ 2,41 trilhões do PIB britânico. Com isso, o Brasil passará a ocupar a posição – inédita desde, pelo menos, 1980 – de sexta maior economia do mundo. Em 2010, ao deixar a Itália para trás, o país já havia alcançado o sétimo lugar.

Continue reading “Economia Brasileira: Sexta Maior do Mundo em 2011”

Blogosfera (por Antônio Prata)

[Postado por Antonio em 18/10, 09:36 PM] Para os que gostam de sorvete, fica a dica: o de baunilha, da Gelateria Rimini, na Bela Vista, é sensacional.

(10 Comentários)

[Jujuzinha, Bauru, SP, 9:41 PM] Cara, tb adoro sorvete de baunilha! Quando for aí pra SP vou procurar essa Rimini, com certeza! Valeu pela dica!!!

[Victor Zanetti, Osasco, SP, 10:07 PM] Na boa, quem gosta mesmo de sorvete jamais pediria um de baunilha, sem graça, insosso. Aliás, como os textos deste blog, ao qual não voltarei.

[Che, Teresópolis, RJ 10:15 PM] Pode crer, Zanetti! A baunilha tá pros doces como o hambúrguer pros salgados, é o símbolo da colonização gastronômica e cultural que vem sendo perpetrada pelos EUA desde meados do século 20, com a anuência e o auxílio das nossas elites! Abaixo a baunilha! Viva o cupuaçu!

[Adolfo, Ouro Fino, MG, 11:45 PM] Caros Victor e Che, se os senhores tivessem se dado ao trabalho de pesquisar, descobririam que a baunilha (Vanilla planifolia) tem uma rica história, é natural do México e já era usada há séculos por povos pré-colombianos, assim como o chocolate, a batata e o tomate. Ou seja, deveria ser um orgulho de nossa “latinidad”! Mais informações aqui: http://migre.me/5WAjK

[Arthur Souza, Joinville, 12:06 AM] Hahaha! “Orgulho de nossa latinidad”?! Quanta cretinice esquerdoide! Maias, Incas e Astecas tinham escravos e faziam sacrifícios de criancinhas! Aliás, nada muito diferente do que ocorre hoje em Cuba, com a “anuência e o auxílio” da esquerda latino-americana.

[rolexonline.com 12:07 AM] Compre Rolex original! Vários modelos! Não é pirata! Garantia 1 ano! Todos os cartões! http://www.rolexonline.com!

[Wilson T. Boucinhas, SP, 1:05 AM] É isso aí Arthur sem comentários é essa gente que quer implantar uma ditadura no estilo cubano em nosso país aliás isto já está acontecendo com o governo stalinista de Dilma Rousseff que censura o comercial da Hope manda demitir o Rafinha Bastos e outros exemplos!

[Che, Teresópolis, RJ 1:36 AM] Só um fascista pode achar que Dilma Rousseff quer implantar um regime cubano no Brasil: o governo do PT se dobrou às elites e ao cartel financeiro internacional! Se nos transformarmos em Cuba, será na de Fulgencio Batista, com seus cassinos e shows de mulatas!

[Stella, Itabuna, BA, 1:47 AM] Batista e Fidel, Hitler e Stalin, são todos iguais em seus extremismos! “A virtude está na moderação”: Saint-Exupéry.

[Rodriguêra, Sua Mãe, 3:56 AM] Aê seus bando de péla-saco! Pega o sorvete de baunilha e Cuba e os Astecas e o Santo sei lá do que e &%^#$@%*@!!!! E chupa gambá! E chupa bambi! E dá-lhe porco!!!! Free Rafinha Bastos! É nóis, bro!

antonioprata.folha@uol.com.br

@antonioprata

Blog ‘Crônica e Outras Milongas’

antonioprata.folha.blog.uol.com.br

Fonte: Folha de S. Paulo, 19 de outubro de 2011

Lomografias

As Lomografias são um charme. De certa forma, tudo é ampliado, fazendo com que objetos comuns ganhem encanto, detalhes que em outras situações passariam despercebidos. Caracterizadas por misteriosas vinhetas, vazamentos, grãos lo-fi, lindos borrões e um mágico equilíbrio entre contraste e saturação… só para dizer algumas.

A combinação desses fatores e um toque saudável do inesperado torna cada Lomografia única. Essencialmente, a Lomography ilustra o elemento surpresa que apenas o filme analógico fotográfico pode criar e proporcionar a completa celebração do momento.

Experimente com diferentes tipos de filmes, e tente diferentes truques e técnicas como o processo cruzado ( x-pro) – que funciona bem com as câmeras lomográficas!

Veja as lomografias deGaleria de Nina Torres

Por um Mainstream da Economia modesto e heterodoxo: Um Manifesto Acadêmico

O Prof. Luiz Carlos Bresser-Pereira enviou-nos um Manifesto Acadêmico. Ele o resumiu da seguinte forma. O núcleo duro da economia neoclássica (Equilíbrio Geral, Macroeconomia de Expectativas Racionais, e Modelos de Crescimento Endógeno) é essencialmente equivocado, porque ela adota um método hipotético-dedutivo. Este é adequado para metodológica das ciências, ao passo que uma ciência substantiva social requer método empírico ou histórico-dedutivo. Embora a microeconomia marshalliana também seja hipotético-dedutiva, ela se tornou uma grande conquista, porque, na verdade, fundou uma ciência metodológica referente à tomada de decisões econômicas, mais tarde completada por Teoria dos Jogos. Como o pensamento dedutivo permite o raciocínio matemático, os modelos resultantes são, aparentemente, científicos e constituem o núcleo do mainstream da Economia. Mas, muitas vezes, eles são apenas “raciocínios” econômicos, e não constituem teorias realistas capazes de prever e orientar decisões. Este fato se tornou evidente, em 2008, com a crise financeira global. Agora, é a hora de mudar o mainstream, e o presente trabalho é um Manifesto Acadêmico neste sentido. Precisamos de uma teoria econômica modesta e pragmática: uma abordagem keynesiana-estruturalista da Economia, que leve em consideração não apenas os agentes econômicos, mas também as estruturas e instituições.

Leia o Manifesto11.07.Mainstream_modest_heterodox-manifest-11