Diferenças entre Índia e Brasil

Talvez a abordagem estruturalista diga mais a respeito das diferenças entre Índia e Brasil do que a abordagem institucionalista adotada por Carlos Santana em sua Tese de Doutoramento em Ciência Política pelo IESP-IUPERJ, para demonstrar as semelhanças políticas do processo de reformas direcionadas à liberalização do mercado. Ele mostra, por exemplo, que “o crescimento econômico da Índia, representado pelos resultados espetaculares do setor de serviços que tão bem soube aproveitar a abertura econômica, não se espraiou para o conjunto da economia, em particular para aqueles segmentos intensivos em trabalho, como é o caso da economia agrícola, que ainda abriga 60% da força de trabalho do país”. Cita também que 90% da força de trabalho, que é a segunda maior no mundo, com quase 490 milhões de pessoas, é informal!

No Brasil, segundo a PNAD 2011, o contingente de empregados (exclusive trabalhadores domésticos) era cerca de 56,7 milhões, dos quais 80,2% no setor privado e 19,8% no público. No setor privado, 33,9 milhões de empregados (74,6%) tinham carteira de trabalho assinada. Como a contratação no setor público é obrigatoriamente formal, a dedução é que, desconsiderando-se o grau de formalidade de trabalhadores domésticos, a formalidade no mercado de trabalho brasileiro já alcança 80% dos empregados, ou seja, cerca de 45,4 milhões de pessoas. Como a população ocupada de 15 anos ou mais de idade totalizava 92,5 milhões de trabalhadores, estimo que, incluindo os trabalhadores domésticos, estão na informalidade menos do que a metade da força de trabalho brasileira.

As pinturas da Idade da Pedra nos abrigos na Rocha de Bhimbetka em Madhya Pradesh são as pegadas mais antigas conhecidas da vida humana na Índia. Os primeiros assentamentos humanos permanentes apareceram há mais de nove mil anos atrás e pouco a pouco se desenvolveram no que hoje é conhecido como a Civilização do Vale do Indo, a qual teve seu florescimento ao redor de 3 300 a.C, no oeste do atual território indiano. Depois de sua queda, começa a civilização védica, que acolheu as bases do hinduísmo e outros aspectos da sociedade indiana, período que terminou em 500 a.C, onde em todo país se estabeleceram muitos reinos independentes e outros estados conhecidos como “Mahajanapadas“.

País com tão longa história possuía população estimada em 1.205.073.612 pessoas, em julho 2012. Seu grau de urbanização (30%) é muito inferior do que o brasileiro (85%).

Compare sua estrutura de emprego setorial e números econômicos da ÍNDIA com os do BRASIL, segundo o The World Factbook da CIA:

GDP (purchasing power parity):

$4.515 trillion (2011 est.)

country comparison to the world: 4

$4.21 trillion (2010 est.)

$3.806 trillion (2009 est.)

GDP (official exchange rate):

$1.676 trillion (2011 est.)

GDP – real growth rate:

7.2% (2011 est.)

country comparison to the world: 26

10.6% (2010 est.)

6.6% (2009 est.)

GDP – per capita (PPP):

$3,700 (2011 est.)

country comparison to the world: 165

$3,500 (2010 est.)

$3,200 (2009 est.)

GDP – composition by sector:

agriculture: 17.2%

industry: 26.4%

services: 56.4% (2011 est.)

Labor force:

487.6 million (2011 est.)

country comparison to the world: 2

Labor force – by occupation:

agriculture: 52%

industry: 14%

services: 34% (2009 est.)

Esses dados para o BRASIL são:

GDP (purchasing power parity):

$2.324 trillion (2011 est.)

country comparison to the world: 8

$2.262 trillion (2010 est.)

$2.103 trillion (2009 est.)

note: data are in 2011 US dollars

GDP (official exchange rate):

$2.493 trillion (2011 est.)

GDP – real growth rate:

2.7% (2011 est.)

country comparison to the world: 129

7.5% (2010 est.)

-0.3% (2009 est.)

GDP – per capita (PPP):

$11,900 (2011 est.)

country comparison to the world: 102

$11,700 (2010 est.)

$11,000 (2009 est.)

note: data are in 2011 US dollars

GDP – composition by sector:

agriculture: 5.5%

industry: 27.5%

services: 67% (2011 est.)

Labor force:

104.7 million (2011 est.)

country comparison to the world: 6

Labor force – by occupation:

agriculture: 20% (ler observação abaixo)

industry: 14%

services: 66% (2003 est.)

A distribuição da população ocupada por atividade econômica, de acordo com o Censo brasileiro de 2010, mostrou que 50,3% se concentravam em quatro das 21 seções de atividade.

  1. A seção de comércio de mercadorias, reparação de veículos automotores e motocicletas concentrava 17,0% das pessoas ocupadas;
  2. agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, 14,2%;
  3. indústria de transformação, 11,8%; e
  4. construção, 7,3%.

Em contraste com a da Índia, que tem 52% de sua população ocupada em atividades da agropecuária com baixa produtividade, a agropecuária brasileira ocupa 14,2% da força de trabalho, mas possui uma das mais elevadas produtividades internacionais. O Brasil situa-se entre os maiores produtores mundiais e é o maior exportador mundial de alimentos.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s