Mobilidade Urbana

Habitantes por CarroSem EspaçoTempo gasto casa-trabalhoÍndice de Mobilidade Urbana RIO BSB BHZ SSAIndicadores Municipais de MobilidadeTempo médio gasto na ida ao trabalhoTempo médio para ir ao trabalho SP e RJPedala Nova YorkEntenda os meios de transportesMetrô pelo Mundo 1Metrô pelo Mundo 2Recursos públicos para mobilidade urbanaMobilidade Padrão FIFA15 propostas 115 propostas 215 propostas 3Cidade dos SonhosFonte: Folha de S.Paulo, 12 de Outubro de 2013 – Caderno Especial sobre Mobilidade Urbana

Dimmi Amora (FSP, 25/10/13) informa que a classe média, que comprou veículos com a melhoria da renda, está enfrentando mais engarrafamentos e, obviamente, os trabalhadores muito pobres (sem ocupação) e os muito ricos (idem por motivos diversos) são os que gastam menos tempo no deslocamento casa-trabalho. É o que aponta pesquisa do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada) com base em dados de 2012 da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio).

Segundo o estudo, a faixa de renda onde há a maior proporção de trabalhadores que gastam mais de 30 minutos até o trabalho é a de um a dois salários mínimos por pessoa. A parcela é de 57%.

Na faixa anterior, de meio a um salário mínimo, 55% levam esse tempo.

A nova classe média é que está tendo impacto no tempo de viagem.

No caso dos que ganham menos de 1/4 de salário mínimo por pessoa no domicílio, 58% gastam menos de 30 minutos nesse deslocamento. Esse percentual é semelhante aos que ganham mais de 5 salários mínimos (56%).

A explicação é que os muito ricos podem morar perto do trabalho e, por isso, gastam pouco tempo nesse trajeto. Já para os muito pobres, o indicador é sinal de “imobilidade” — ficam restritos a trabalhos apenas muito próximos de suas residências. [Esta hipótese supõe que todos estejam “ocupados”.]

Pelos dados, os muito pobres são os que menos têm acesso ao vale transporte (só 12% recebem) contra a média de 40% no país. Quem mais precisa é quem menos recebe.

A pesquisa aponta ainda que o tempo de deslocamento casa-trabalho nas regiões metropolitanas do país aumentou em 12% entre 1992 e 2012. O tempo médio saiu de 36,4 minutos para 40,8.

As hipóteses da pesquisa são duas:

  1. as regiões metropolitanas podem ter ficado mais espalhadas, aumentando o tempo necessário ao deslocamento, e
  2. houve um aumento do número de famílias com veículos, o que agravou os engarrafamentos.

Esse aumento de número de veículos foi registrado principalmente entre as famílias mais pobres e no Norte/Nordeste do país.

Pela primeira vez, mais de 54% das famílias têm algum veículo em casaÉ o sonho de toda família ter uma casa própria e um carrinho na garagem, como o próprio presidente Lula falava que era o sonho dele…

Nas famílias mais pobres (até 1/4 de salário mínimo por pessoa), o percentual de casas com veículos chegou a 28% em 2012 — na pesquisa de 2008, eram 16%.

Já nas famílias com mais de cinco salários mínimos de renda, o percentual é de 88% e cresceu só dois pontos percentuais nesse período.

Nas regiões de metropolitanas de São Paulo e Rio, um quarto das pessoas leva mais de uma hora até o trabalho.

Serão necessários grandes investimentos em mobilidade urbana em cidades que têm baixa capacidade fazer obra.

3 thoughts on “Mobilidade Urbana

  1. Existem 2 grandes razões para esta situação, além das que são comumente divulgadas:
    1 – As capitanias hereditárias do transporte coletivo por ônibus, que não permite alterações em seus feudos. Vários municípios, regiões metropolitanas, estados e inclusive a União tem os contratos de seus serviços públicos de transporte coletivo por ônibus vencidos e não realizam licitações para sua renovação (ver art. 175 da Constituição).
    2 – A saída do Governo Federal na década de 1990 das questões do transporte urbano, considerado pelos formuladores de políticas neoliberais (ou cooptados pelas empresas de ônibus) como problema privado ou dos municípios.

  2. Pingback: Mobilidade Urbana « Sociologia em casa

  3. Pingback: Página Internacional - A dupla imbatível

Deixe uma Resposta para Duarte Rosa Filho Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s