Economia Alemã Contemporânea

Alemanha Unificada

A economia alemã – a quinta maior economia do mundo em termos de PIB PPC e a maior da Europa – é uma das principais exportadoras de máquinas, veículos, produtos químicos e equipamentos. Ela se beneficia de uma força de trabalho doméstica altamente qualificada.

Tal como os seus vizinhos da Europa Ocidental, a Alemanha enfrenta desafios demográficos significativos para o crescimento sustentado de longo prazo. Taxas de fecundidade baixas e imigração líquida em declínio aumentam a pressão sobre o sistema de bem-estar social do país que necessita de reformas estruturais. As reformas iniciadas pelo governo do chanceler Gerhard Schröder (1998-2005), consideradas necessárias para tratar da cronicamente elevada taxa de desemprego e da taxa de crescimento médio baixo, tem contribuído para um crescimento econômico mais robusto e queda do desemprego.

Esses avanços, tal como um subsídio governamental, reduzindo o custo da hora de trabalho, ajudam a explicar o aumento relativamente modesto do desemprego durante a recessão de 2008-09 – a mais profunda desde a Segunda Guerra Mundial – e a diminuição da taxa de desemprego para 5,3% em 2013. O novo governo alemão prometeu um salário mínimo de US$ 11 / hora para entrar em vigor em 2015.

Os estímulos e esforços de estabilização, iniciados em 2008 e 2009, e os cortes de impostos, adotados no segundo mandato da chanceler Angela Merkel, aumentaram o déficit orçamentário total da Alemanha, considerando o federal, o estadual e o municipal, para 4,1% em 2010, mas o controle dos gastos e as receitas fiscais mais altas reduziram o déficit para 0,8% em 2011. Em 2012, a Alemanha atingiu um superávit orçamentário de 0,1%.

A emenda constitucional, aprovada em 2009, limita o governo federal para o máximo de déficits estruturais de não mais do que 0,35% do PIB por ano a partir de 2016, embora essa meta já tenha sido atingida em 2012.

Após o desastre nuclear ocorrido em março de 2011 em Fukushima-Japão, a chanceler Angela Merkel anunciou, em maio de 2011, que oito dos 17 reatores nucleares do país seriam fechados, imediatamente, e as plantas restantes iriam fechar até 2022. A Alemanha espera substituir a energia nuclear com energia renovável. Antes do encerramento dos oito reatores, a Alemanha dependia da energia nuclear para 23% de sua capacidade de geração de energia elétrica e 46% da sua produção efetiva de eletricidade.

PIB (paridade de poder aquisitivo):

US$ 3,227 trilhões (2013 est) – comparação país com o mundo: 6o. (considerando a União Europeia no ranking)

US$ 3,211 trilhões (2012 est)

US$ 3,182 trilhões (2011 est)

Nota: PIB nominal convertido em dólares de 2013 (taxa de câmbio oficial): US$ 3,593 trilhões (2013 est)

PIB – taxa de crescimento real: 0,5% (2013 est) – comparação país com o mundo: 185o. lugar – contra 0,9% (2012 est) e 3,4% (2011 est)

PIB – per capita (PPP): US$ 39.500 dólares (2013 est) – comparação país com o mundo: 29o. lugar – contra US$ 39.200 (2012 est); US$ 38.900 (2011 est)

Nota: Os dados estão em dólar de 2013

Poupança nacional bruta: 24,7% do PIB (2013 est) – comparação país com o mundo: 50o. lugar – contra 24,3% do PIB (2012 est); 24,4% do PIB (2011 est)

PIB – composição por uso final:

  • consumo das famílias: 57,6%
  • consumo do governo: 19,4%
  • investimento em capital fixo: 17,5%
  • investimento em estoques: 0,1%
  • exportações de bens e serviços: 49,5%
  • importações de bens e serviços: -44,1%

(2013 est)

PIB – composição por setor de origem:

  • agricultura: 0,8%
  • indústria: 30,1%
  • serviços: 69%

(2013 est)

Agricultura – produtos: batatas, trigo, cevada, beterraba, frutas, repolho; produtos lácteos; bovinos, suínos, aves de capoeira

Indústrias: entre as maiores e mais tecnologicamente avançados produtores mundiais de ferro, aço, carvão, cimento, produtos químicos, máquinas, veículos, máquinas-ferramentas, eletrônica, automóveis, alimentos e bebidas, construção naval, têxteis

Taxa de crescimento industrial de produção: -0,3% (2013 est) – comparação país com o mundo: 167o. lugar

Força de trabalho: 44,2 milhões (2013 est) – comparação do país com o mundo: 15o. lugar

Força de trabalho – por ocupação (2011):

  • agricultura: 1,6%
  • indústria: 24,6%
  • serviços: 73,8%

Taxa de desemprego: 5,3% (2013 est) – comparação país para o mundo: 52o. lugar – contra 5,5% (2012 est)

População abaixo da linha de pobreza: 15,5% (2010 est)

Renda familiar ou consumo por percentagem:

  • 10% mais pobre: 3,6%
  • 10% mais rico: 24% (2000)

Distribuição de renda familiar – Índice de Gini: 0,270 (2006) – comparação país com o mundo: 130o. lugar – contra 0,300 (1994) (?)

Orçamento:

receita: US$ 1,626 trilhão

despesas: US$ 1,624 trilhão (2013 est)

Impostos e outras receitas: 45,3% do PIB (2013 est) – comparação país com o mundo: 20o. lugar

Excedente orçamentário (+) ou o déficit (-): 0,1% do PIB (2013 est) – comparação país com o mundo: 41o. lugar

Dívida pública: 79,9% do PIB (2013 est) – comparação país com o mundo: 26o. lugar – contra 81% do PIB (2012 est)

Atenção: a dívida pública bruta está definida no Tratado de Maastricht como a dívida pública bruta consolidada em seu valor nominal existente no final do ano nas seguintes categorias de passivos do governo (como definido no SEC 95): numerário e depósitos (AF.2 ), exceto ações, excluindo derivativos financeiros (AF.3, excluindo AF.34) e empréstimos (AF.4) de valores mobiliários; no setor das Administrações Públicas inclui os subsetores da Administração Central, Administração Estadual, Administração Local e Fundos Da Segurança Social; as séries são apresentados como porcentagem do PIB e em milhões de euros; PIB usado como denominador é o Produto Interno Bruto a preços correntes de mercado; dados expressos em moeda nacional são convertidos em euros à taxa de câmbio de final de ano fornecidas pelo Banco Central Europeu

Ano fiscal: ano civil

Taxa de inflação (preços ao consumidor): 1,6% (2013 est) – comparação país com o mundo: 44o. lugar – contra 2,1% (2012 est)

Taxa de desconto do Banco Central: 0,75% (31 de dezembro de 2013) –comparação país com o mundo: 122o. lugar – contra 1,5% (31 de Dezembro 2010)

Atenção: esta é a taxa do Banco Central Europeu sobre a facilidade de empréstimo de liquidez, que oferece crédito overnight a bancos na zona do euro.

Banco comercial – taxa de empréstimo principal: 2,8% (31 de dezembro de 2013 est) – comparação país para o mundo: 168o. lugar – contra 3,07% (31 de dezembro de 2012 est)

Estoque de dinheiro (base monetária): US$ 2,158 trilhões (31 de dezembro de 2013 est) — comparação país com o mundo: 5. lugar – contra US$ 2,025 tuilhões (est. 31 de dezembro de 2012)

Atenção: para oferta de moeda na área do euro, o Banco Central Europeu (BCE) controla a política monetária para os 17 membros da União Económica e Monetária (UEM); membros individuais da UEM não controlam a quantidade de dinheiro que circula dentro de suas próprias fronteiras.

Meios de pagamento: US$ 4,551 trilhões (31 de dezembro de 2013 est) –comparação país com o mundo: 5o. lugar – contra US$ 4,342 trilhões (31 de dezembro de 2012 est)

Estoque de crédito interno: US$ 4,457 trilhões (est. 31 de dezembro de 2013) –comparação país com o mundo: 5o. lugar – US$ 4,277 (31 de dezembro de 2012 est)

Valor de mercado das ações negociadas publicamente: US$ 1,486 trilhão (est. 31 de dezembro de 2012) – comparação país com o mundo: 10o. lugar – contra US$ 1,184 trilhão (31 de dezembro de 2011); US$ 1,430 trilhão (31 de Dezembro 2010 est)

Saldo da balanço de transações correntes: US$ 257,1 bilhões (2013 est) –comparação país com o mundo: 1o. lugar – contra 238,5 bilhões dólares (est. 2012)

Exportações: US$ 1,493 trilhão (2013 est) –comparação país com o mundo: 4o. lugar – contra US$ 1,460 trilhão (2012 est)

Exportações – produtos:

veículos automóveis, produtos de máquinas, produtos químicos, de informática e eletrônicos, equipamentos elétricos, produtos farmacêuticos, metais, equipamentos de transporte, produtos alimentares, têxteis, borracha e produtos plásticos

Exportações – parceiros:

França 9,21%, Estados Unidos 7,85%, Reino Unido 6,53%, Holanda 6,33%, China 5,91%, Itália 5,05%, Áustria 5,03%, 4,3% Suíça, Bélgica 4,04% (2013 est)

Importações: US$ 1,233 trilhão (2013 est) – comparação país para o mundo: 4o. lugar – US$ 1,222 trilhão (2012 est)

Importações – produtos:

máquinas, equipamentos de processamento de dados, veículos, produtos químicos, petróleo e gás, metais, equipamentos elétricos, produtos farmacêuticos, alimentos, produtos agrícolas

Importações – parceiros:

Holanda 12,88%, França 7,61%, China 6,25%, Bélgica 6,13%, Itália 5,31%, Reino Unido 4,61%, Áustria 4,33%, Estados Unidos 4,19%, Suíça 4,3%, Áustria 4,1%, Polônia 4% (2013 est)

Reservas em moeda estrangeira e ouro: US$ 248,9 bilhões (est. 31 de dezembro de 2012) – comparação país com o mundo: 13o. lugar – contra US$ 238,9 milhões dólares (31 de Dezembro 2011 est)

Dívida externa: US$ 5,717 trilhões (31 de dezembro de 2012 est) – comparação país com o mundo: 4o. lugar – US$ 5,338 trilhões (31 de dezembro de 2011)

Saldo de Investimento Direto Estrangeiro – em casa: US$ 1,335 trilhão (est. 31 de dezembro de 2013) – comparação país com o mundo: 5o. lugar – contra US$ 1,307 trilhão (31 de dezembro de 2012 est)

Saldo de Investimento Direto Estrangeiro – no exterior: US$ 1,871 trilhão (31 de dezembro de 2013 est) – comparação país com o mundo: 3o. lugar – contra US$ 1,788 trilhão (31 de dezembro de 2012 est)

Taxas de câmbio: Euros (EUR) por dólar dos EUA –

0,7634 (2013 est)

0,7752 (2012 est)

0.755 (2010 est)

0,7198 (2009 est)

0,6827 (2008 est)

Grupos étnicos: alemão 91,5%, turco 2,4%, outros 6,1% (composta em grande parte de grego, italiano, polonês, russo, servo-croata, espanhol)

Religiões: protestante 34%, católicos romanos 34%, muçulmanos 3,7%, não afiliados ou outros 28,3%

População: 80.996.685 (julho 2014 est) – comparação país com o mundo: 18o. lugar

Fontehttps://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/gm.html

 

3 thoughts on “Economia Alemã Contemporânea

  1. Prezado Fernando,

    Gostaria de adicionar um ponto, que creio ser uma ponta do iceberg, uma tentativa revolucionária com o passado recente.

    Na primeira metade da década passada (2000-2005), a Alemanha recebeu quase um milhão de imigrantes, na grande maioria jovens, acompanho dois sites de pesquisas germânicos, com foco na atração de pesquisadores jovens. Por incrível que pareça, venho observando, que tenho quatro amigos que os filhos tem como objetivo primeiro, estudar e morar na Alemanha!

    Os números acima citados sobre grupos étnicos, são estáticos, não capta uma tendência, ou tentativa “revolucionária” de longo prazo em curso da sociedade alemã, estão pensando no longo prazo, que é o oposto da ideologia ariana do início do século XX, foco nos jovens qualificados pelo mundo, e foco multicultural e multirracial também. Será que querem ser um Brasil na Alemanha da Europa?

    O interessante é que hoje, a seleção alemã, de certa forma já apresenta essa tendência, com jogadores que não são descendentes germânicos anglo saxão, como Khedira, Boateng (creio que tem mais), O Klose não é alemão de nascimento, mas é polonês, ou seja, não é de ascendência turna ou muçulmana. São sinais claros de quem esta se movendo, tem visão e estratégia na prática, de longo prazo.

    Quem fez a “cabeça” da pesquisadora e doutora em física química, e hoje Chanceller alemã, sobre as questões nucleares pós Fukushima, e de forma rapidíssima, foi o sociólogo da sociedade do risco, Urich Becker. No link da entrevista abaixo, que fiz tradução livre em 2011, Urich Becker associada a irresponsabilidade nuclear de Fukushima à irresponsabilidade financeira global secular (voltando ao século XVIII-XIX): “Nós temos um sistema de irresponsabilidade organizada. Ninguém é responsável por essas consequências. Temos um sistema de irresponsabilidade organizada e esse sistema tem que ser mudado”.

    A primeira ação do governo japonês após o acidente de Fukushima foi estatizar a empresa (pois precisava injetar dezenas de bilhões de dólares), que foi um acidente tão grave como o acidente de Chernobyl (mas não dito pela mídia ocidental por motivos outros), assim como fez

    Ulrich Beck e as questões nuclear pós Fukushima (20 setembro 2011 às 23:00)
    http://blogln.ning.com/profiles/blogs/urich-beck-e-as-quest-es-nuclear-p-s-fukushima

    O governo americano, estatizou a GM, a Chryler, etc (46% do PIB americano quebrou em 2008), e escreveu Noriel Roubin em 2008, entre outras:

    Nouriel Roubini: Welcome to the USSRA (United Socialist State Republic of America)
    http://taxfoundation.org/blog/nouriel-roubini-welcome-ussra-united-socialist-state-republic-america

    Noriel Roubini: Public losses for private gain (socialism for the rich)
    http://www.theguardian.com/commentisfree/2008/sep/18/marketturmoil.creditcrunch

    E la nave va…
    Sds,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s