Governo Presidencialista com Coalizão Parlamentarista

Base Legislativa 2014Divisão de Ministérios segundo Partidos e OrçamentosBase Partidária em Ministérios

Quer gostem ou não os “puristas” ideológicos, a realidade política brasileira é muito mais complicada do que supõe a divisão maniqueísta entre “bons” e “maus”, ou, respectivamente, a esquerda e a direita. Com um sistema partidário fragmentado, para conseguir governar, principalmente depois de uma eleição acirrada com divisão dos eleitores entre 51,6% e 48,4%, em contexto de crise econômica mundial e ameaça de golpismo da direita, é inevitável a aliança entre múltiplos partidos para fortalecer a democracia brasileira. Funciona na base do “toma-lá-dá-cá”…

Em princípio, o tamanho da base aliada é parecido com o que Dilma teve ao suceder o ex-presidente Lula, que lidou com oposições maiores ao iniciar seus governos. Se considerados os partidos que deram apoio à petista na eleição e mais o PTB, cujas bancadas contrariaram a posição da direção partidária e fizeram campanha para ela, Dilma terá ao seu lado 68% dos senadores e 64,1% dos deputados federais.

Há, contudo, grande divisão nos partidos da base e ainda é difícil prever como será o relacionamento do governo com os aliados. No fim deste primeiro mandato e em especial com a queda de sua popularidade, Dilma viu sua base perder tamanho e ficar menos coesa, com projetos aprovados contra sua vontade ou de maneira diferente do que gostaria o governo.

Continue reading “Governo Presidencialista com Coalizão Parlamentarista”

O Brasil Que Queremos

O Brasil que Queremos

Documento para download produzido pelo Centro de Altos Estudos Brasil Século XXI, que sintetiza os debates, reflexões e propostas desenvolvidos no seminário “Brasil em Perspectiva II”, realizado em julho de 2014, no Rio de Janeiro, envolvendo um expressivo número de intelectuais alinhados com o pensamento desenvolvimentista contemporâneo:

Centro de Altos Estudos Brasil Século XXI – Brasil que queremos

Obs.: não fui convidado, portanto, não participei desse seminário, nem da elaboração desse documento, mas o compartilho “with a little help from my friends“…

Acrescento dados do Brasil que não queremos: o que sofre com a crise mundial e a crise fiscal…

PIB X FBCF 2008-2015Arrecadação e Desoneração Fiscal 2013-2014Restos a Pagar 2002-2014Operações Compromissadas 2007-2014

O ano de 2014 deve terminar com sinais de piora das condições de financiamento do governo junto ao mercado financeiro. De um lado, a dívida mobiliária do Tesouro deve ter um resgate líquido próximo de R$ 125 bilhões. De outro, o estoque de operações compromissadas, instrumento de curtíssimo prazo gerido pelo Banco Central, deve alcançar o maior volume para um fim de período, perto de R$ 890 bilhões, um crescimento de 75% em relação a 2013. A combinação desses dois elementos mostra que a busca por aplicações de curto prazo ganhou ímpeto nos últimos meses, como reflexo das inúmeras incertezas que cercam o cenário econômico local e também o externo. E o resultado é a redução do prazo médio da dívida do governo em posse do mercado financeiro, importante termômetro de percepção de risco. Continue reading “O Brasil Que Queremos”