Cidadania & Cultura

Conquista de Direitos Civis, Políticos, Sociais e Econômicos com Cumprimento de Deveres Educacionais, Culturais e Comportamentais Éticos e Democráticos

Mercado de Moedas e Cenário para 2015

A alta do dólar e a queda dos preços das commodities, que têm gerado alívio para os consumidores dos Estados Unidos, estão desnorteando os bancos centrais de outras regiões ao alargar a distância entre a revigorada economia americana e a dos países da Europa e Ásia.

O dólar está subindo em relação às moedas de todo o mundo. Recentemente, ele manteve a alta em relação ao iene, sustentando a maior cotação em sete anos, e atingiu um pico de dois anos ante o euro. A moeda americana também avançou em relação ao real, ao dólar australiano e à rupia indiana e continua batendo recordes na Rússia, levando o banco central a intervir para amparar o rublo.

A valorização do dólar têm intensificado o declínio dos preços das commodities, incluindo alimentos, metais e, em especial, o petróleo, que já recuou quase 40% desde meados de junho. O crescimento lento na Europa e na Ásia vem minando a demanda por esses bens e deixando os mercados inundados com um excesso de oferta. A maioria das commodities é cotada em dólares, de forma que os consumidores e empresas fora dos EUA veem seu poder de compra encolher quando suas moedas enfraquecem.

Essa tendência apresenta novos desafios para os formuladores de políticas na Europa e no Japão, que lutam para preservar uma minguada recuperação econômica e combater a inflação baixa. Os bancos centrais estão cogitando — ou adotando — medidas drásticas que vão desde taxas de juros negativas à compra de bilhões de dólares em títulos de dívida. Durante sua reunião mensal, o Banco Central Europeu discutiu a possibilidade de recorrer à compra de ativos para estimular a economia (prática chamada de relaxamento quantitativo), embora tenha decidido esperar até o início de 2015 para reavaliar suas políticas, disse Mario Draghi, o presidente do BCE.

Mas a queda abrupta do preço do petróleo — o produto de importação mais caro para muitos países — está reduzindo a eficácia de medidas para gerar inflação e fortalecer a economia. Continue reading “Mercado de Moedas e Cenário para 2015”

Retomada dos EUA X Cenário de Baixo Crescimento Mundial

Múltiplas frentes sinalizam a perda de vitalidade da economia ao redor do globo.

Na Europa, os preços ao consumidor, em novembro, avançaram no passo mais lento registrado em cinco anos, aumentando o receio de que o continente possa estar caminhando para a deflação. No Japão, o importante índice de preços ao consumidor de outubro de 2014 registrou o menor crescimento deste ano.

Nas duas economias, a queda nos preços do petróleo estragou uma estratégia planejada pelos bancos centrais para evitar a deflação e alimentar a confiança do consumidor e das empresas.

Nos países emergentes, o cenário não é muito melhor. Na Índia, o crescimento desacelerou no terceiro trimestre. Os dados do Brasil mostram que a economia saiu por pouco da recessão no terceiro trimestre graças aos gastos do governo, mas os economistas alertam para o potencial de uma estagnação prolongada.

Continue reading “Retomada dos EUA X Cenário de Baixo Crescimento Mundial”