Um Conto de Três Hiatos: Desemprego, Utilização da Capacidade Instalada da Indústria e Produto

Utilizaçãos dos Fatores PIB Inflação Hiatos Muito Consumo Pouca Indústria

O artigo de autoria de Sergio Afonso Lago Alves e Arnildo da Silva Correa, economistas do Banco Central do Brasil — http://www.bcb.gov.br/pec/wps/port/TD339.pdf –, analisa a relação entre desemprego, utilização da capacidade instalada na indústria e in‡flação no Brasil por meio de curvas de Phillips desagregadas. O principal diferencial da análise é:

  1. considerar separadamente as dinâmicas dos setores de bens comercializáveis e de não comercializáveis, e
  2. ressaltar a importância do mercado de trabalho e da utilização da capacidade instalada da indústria para explicar a dinâmica da in‡flação.

Usando dados trimestrais para o período 1999T2-2012T4, obtiveram estimativas para a NAIRU, NAICU e para o Hiato do Produto incorporando maior estrutura econômica no …filtro de Kalman.

Os resultados sugerem que variáveis de mercado de trabalho e da indústria têm impactos relevantes sobre a in‡flação:

  1. o Hiato do Desemprego é a variável de demanda relevante para explicar a infl‡ação de não comercializáveis, enquanto que
  2. o Hiato da Utilização da Capacidade é importante para a in‡flação de bens comercializáveis.

Há evidência de substancial redução na NAIRU no período recente. Seu valor situava-se próximo a 6,3% no …final de 2012, o que implica que a taxa de desemprego encontra-se abaixo da NAIRU desde meados de 2010.

Os resultados evidenciam uma dicotomia na economia brasileira no período recente: 

  1. o setor industrial apresenta fraco desempenho e di…ficuldades de reagir,
  2. o mercado de trabalho encontra-se aquecido, gerando pressões sobre o Hiato do Produto.

O artigo também enfatiza possíveis vieses gerados por estimações agregadas num contexto dicotômico.

Compreende-se a importância desse TD-BCB na controvérsia entre economistas brasileiros a respeito do combate à inflação.

  • Uns dizem que, no Brasil, o que baixa a taxa de inflação é a queda da taxa de câmbio, i.é, apreciação da moeda nacional que derruba os preços dos produtos e insumos importados e, conjuntamente, a competitividade dos produtos nacionais.
  • Outros dizem que seria necessário um brutal aumento da taxa de desemprego acima da Taxa Natural de Desemprego (NAIRU) para que o índice de preços caia a 4,5% aa.

O COPOM está se apoiando nas evidências empíricas reveladas por esse TD-BCB. Continue reading “Um Conto de Três Hiatos: Desemprego, Utilização da Capacidade Instalada da Indústria e Produto”

Repasse Cambial para Preços

Taxa de câmbio nominal O cenário econômico mundial recente tem sido caracterizado por processo de recuperação desigual das grandes economias. De um lado, a economia dos Estados Unidos mostra sinais mais sólidos de melhora nos seus fundamentos. De outro, em países da Europa, além do Japão e de alguns países emergentes, a recuperação tem sido mais lenta, evidenciada por menores taxas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

A esse cenário de crescimento heterogêneo, deve-se acrescentar os riscos decorrentes do início do processo de normalização das condições monetárias em importantes economias maduras, notadamente nos Estados Unidos.

Em conjunto, esses fatores têm gerado focos de volatilidade nos mercados internacionais de moedas, com o fortalecimento do dólar americano frente às demais moedas. Considerando o período de doze meses até o início do mês de março de 2015, o dólar valorizou 27% ante o euro, 11% frente à libra esterlina, 18% em relação ao iene japonês e 32% ante o real.

Nesse contexto, é natural que autoridades monetárias se preocupem com a intensidade de repasse das variações cambiais para preços. Dada a relevância do tema, este boxe do Relatório de Inflação do primeiro trimestre de 2015, elaborado pelo Banco Central do Brasil (BCB), trata do repasse cambial, identificando fatores e condições que podem mitigar seu efeito sobre os preços internos. Continue reading “Repasse Cambial para Preços”