Quem financia “os meninos do golpe”?

 

golpe meninos movimento liberal
“Estudantes pela Liberdade” (EPL) são financiados por corporação petroleira norte-americana que ataca direitos indígenas, depreda ambiente e tem interesse óbvio em atingir a Petrobras.
 

Antonio Carlos, Outras Palavras

David Koch se divertia dizendo que fazia parte “da maior companhia da qual você nunca ouviu falar”. Um dos poderosos irmãos Koch, donos da segunda maior empresa privada dos Estados Unidos com um ingresso anual de 115 bilhões de dólares, eles só se tornaram conhecidos por suas maldosas operações no cenário político do país.

Veja abaixo Koch Brothers Exposed, documentário lançado em 2012 que se tornou viral nos EUA ao mostrar como os bilionários David e Charles Koch, representando o 1%, desvirtuaram a democracia americana, comprando a Câmara e o Senado.

Se esses poderosos personagens são desconhecidos nos Estados Unidos, o que se dirá no Brasil? No entanto eles estão diretamente envolvidos nas convocações para o protesto do dia 15 de março pela deposição da presidenta Dilma.

Segundo a Folha de São Paulo, o “Movimento Brasil Livre”, uma organização virtual, é o principal grupo convocador do protesto. A página do movimento dá os nomes de seus colunistas e coordenadores nos Estados. Segundo o The Economist, o grupo foi “fundado no último ano para promover as respostas do livre mercado para os problemas do país”.

Continue reading “Quem financia “os meninos do golpe”?”

Rússia: Controle de Grande Território por Líderes Autoritários

Hoje à noite, em meu curso Economia no Cinema 2015, faremos um seminário sobre a Rússia, motivados por ter assistido o filme Alexandre Nevsky. É um épico sobre a vida do príncipe russo Alexander Nevsky que venceu os cavaleiros Teutónicos. Sergei Eisenstein fez uma analogia entre 1242, quando o príncipe pescador Alexander Nevsky da Rússia reage contra a invasão dos teutônicos (alemães), na Batalha do Gelo, e 1938, véspera da II Guerra Mundial, quando a URSS está na iminência de ser atacada por Hitler. Porém, neste ano, Stalin firma o pacto de não-agressão Germânico-Soviético, talvez para ganhar tempo na preparação da defesa militar.

Com este filme, Eisenstein superou (incorporando) o seu trabalho experimental de montagens, partindo para seu primeiro trabalho para o grande público. Após um longo período de fracassos e de uma longa estadia no exterior, este filme trouxe-lhe a glória que há tanto tempo lhe era devida. Neste trabalho conjunto com Sergei Sergeyevich Prokofiev (23 April 1891 — 5 March 1953 — leia  Prokofiev), ele aprofunda-se na integração do som e da imagem. Embora com roteiro ideológico ultranacionalista, é um espetáculo estético de fotografia, posicionamentos da câmara, montagem e trilha sonora. A tela se transforma em arte plástica, quase pictórica.

Leia mais: Revolução no Cinema: O Encouraçado Potemkin; Outubro de 1917 de Sergei Eisenstein

Humberto Saccomandi é Editor Internacional. Publicou artigo (Valor, 08/05/2015) no dia seguinte ao que o líder russo, Vladimir Putin, completou 15 anos no poder, com um breve balanço de sua Era. Ele é satanizado no Ocidente, mas aprovado em seu país. “Os primeiros 15 anos”, ironizam muitos russos, já que ninguém acredita que Putin deixará de dar as cartas em Moscou tão cedo. Ele terá desafios internos, em especial na economia. Mas provavelmente continuará sendo por muito tempo um desafio para o resto do mundo. Continue reading “Rússia: Controle de Grande Território por Líderes Autoritários”