Decomposição da Inflação entre 2001 e 2014

Componentes da Inflação 2006-2014Tabela com Componentes da InflaçãoInflação dos Preços LivresGráfico com Decomposição da InflaçãoDecomposição da Inflação 2001-2014

Evolução do IPCA 1995-2014 Meus alunos do 4o. ano da graduação do IE-UNICAMP, Daniel Herrera e Rafael Peixoto, elaboraram as tabelas acima para destrinchar o controle inflacionário no Brasil até o ano passado, com taxa de inflação abaixo do teto da meta de 6,5% aa. O que ocorre no ano corrente, fundamentalmente, é o choque tarifário de 16,5% ao ano, sendo as tarifas sobre eletricidade (leia-se “seca” ou, no tucanês, “crise hídrica”) responsáveis pela metade dessa alta, pode ser visto no post Monitorando a Inflação: Custo / Benefício de seu Combate.

Daniel e Rafael se colocam a questão: por que, apesar da taxa nominal básica de juros ser tão elevada, a taxa de inflação permanece muito elevada? Respondem: “a taxa de inflação permanece muito elevada por causa da baixa produtividade de serviços e a regulagem pela demanda agregada não controlar choque de oferta, realimentação inercial e preços administrados”.

Uma overdose de juros — e regulação recessiva da demanda — provoca um ônus social para o emprego e a renda do trabalho, tendo como contrapartida um bônus: elevação da renda para o capital empregado. Aumenta a concentração da riqueza e a desigualdade social. Vale a pena para as camadas populares?

One thought on “Decomposição da Inflação entre 2001 e 2014

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s