Enquanto isso, em um canto-de-página de jornal do PIG…

tucano-veja-e-o-tremsalão-latuff-ago-13

Os golpistas paulistas parecem não se importar com a notícia abaixo encontrada em um canto discreto de um dos jornais do PIG (Partido da Imprensa Golpista). Afinal, compromete todo o esquema de poder no Tucanistão, inclusive os candidatos de sempre: Serra e Alckmin…

A Operação Alba Branca, que investiga desvio de dinheiro público destinado a merendas escolares em São Paulo, prendeu no dia 29 de março de 2016 o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Leonel Julio, e mais seis investigados por um esquema de fraude na merenda escolar. A operação, comandada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público Estadual de São Paulo, decretou também a prisão do presidente da União dos Vereadores do Estado, Sebastião Misiara.

Os mandados de prisão temporária foram expedidos pela Justiça de Bebedouro, no interior paulista. A decisão da juíza Rosane Cristina de Aguiar Almeida foi tomada na segunda-feira, dia 28/03/16.

Os alvos das ações são suspeitos de participar de um esquema de fraudes nos contratos para fornecimento de merenda para escolas da rede pública estadual e também municipais. Os sete são acusados de fraude em procedimento investigatório, organização criminosa e formação de quadrilha.

O esquema envolvia o pagamento de propina a agentes públicos e era liderado pela Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (Coaf), que mantinha contratos com prefeituras para fornecer alimentos.

Leonel Julio, do antigo MDB, presidiu a Assembleia e foi cassado em 1976 pela ditadura acusado depois de ter suas contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas. Na época, o caso ficou conhecido como “escândalo das calcinhas“. A operação afirma que o filho de Leonel, Marcel Ferreira Julio, é lobista do esquema e o elo da Coaf com a Assembleia e o governo de São Paulo. Marcel está foragido desde 19 de janeiro.

A Alba Branca aponta para o suposto envolvimento do presidente da Assembleia de São Paulo, deputado Fernando Capez (PSDB) e de outros parlamentares. A investigação sobre Capez, que já teve a quebra de sigilo decretada, está em curso no Tribunal de Justiça do Estado. O tucano afirmou que está “à disposição” para colaborar com as investigações e disse que é injusta sua vinculação.

A Operação Alba Branca envolve ainda Luiz Roberto dos Santos, o Moita, ex-chefe de gabinete da Casa Civil do governo Geraldo Alckmin (PSDB). Dirigentes da Coaf apontaram também os deputados federais Baleia Rossi (PMDB) e Nelson Marquezelli (PTB) e o deputado estadual Luiz Carlos Godim (SD) como beneficiários do esquema. Todos negam.

De acordo com as investigações, o esquema era alimentado por um sobrepreço que variava de 10% a 30% de cada contrato de fornecimento de suco de laranja para a merenda escolar. O caso lança suspeita sobre a Casa Civil, núcleo da articulação política do governo Alckmin, e Secretaria de Educação.

Em outra linha de investigações e denúncias contra o governo paulista, a Justiça de São Paulo aceitou nova denúncia criminal sobre o cartel de trens e transformou em réus cinco executivos que trabalharam para a Alstom e para a CAF. Segundo o Ministério Público de São Paulo, eles teriam participado de fraudes em licitação de R$ 1,8 bilhão em 2009 e 2010, na gestão de José Serra (PSDB) no governo paulista. É a oitava ação penal que apura corrupção em contratos do sistema metroferroviário. E não dão em nada… Nenhuma revolta dos eleitores do Tucanistão!

A concorrência visava a compra, a reforma e a manutenção de trens pelo prazo de 20 anos para a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Um dos indicadores de fraude na licitação, segundo o promotor Marcelo Mendroni, foi o preço apresentado pela CAF, que concorreu sozinha e venceu a disputa. O preço ofertado tinha uma diferença de 0,0099% em relação ao valor de referência, o montante fixado pela CPTM como o preço máximo. Outros indícios de fraude foram encontrados em e-mails trocados entre os executivos, entre eles o de suposto cartel. Para Mendroni, as mensagens provam fraude e acertos para evitar concorrência.

A reportagem procurou os citados, mas não recebeu respostas, e não dá manchete escandalosa como no caso federalum peso, duas medidas. Serra cinicamente disse, em outras ocasiões, que “seu governo conseguiu reduzir o preço de compra de trens”. A diferença, que poderia ser muito maior, foi embolsada por quem?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s