Mensuração da Participação do Capital e do Trabalho no Valor Adicionado

Remuneração dos Empregados X PIB 2011-2013

Thomas Piketty, no livro “A economia da desigualdade”, explica como mensurar a participação dos lucros e a participação dos salários. O produto das vendas das empresas aos consumidores e a outras empresas sempre serve para pagar três tipos de despesas, que se decompõem da seguinte forma:

  • O preço dos consumos intermediários, isto é, os bens e serviços que as empresas compraram de outras empresas e que consomem para produzir seus próprios bens e serviços, em oposição a máquinas e equipamentos que não são renovados a cada ano e que constituem o capital da empresa.
  • A remuneração dos assalariados, que inclui os salários líquidos de fato recebidos pelos assalariados, as contribuições sociais ditas salariais, que são descontadas diretamente na folha de pagamento dos assalariados (a soma do salário líquido e das contribuições sociais salariais é igual ao salário bruto), bem como as contribuições sociais ditas patronais, a cargo dos empregadores. Esse agregado representa o conjunto da renda bruta do trabalho, ou, mais simplesmente, renda do trabalho.
  • O restante do produto das vendas, uma vez que as duas primeiras despesas foram pagas, é então chamado de excedente bruto de exploração (EBE). Em geral ele é muito mais elevado que o lucro das empresas stricto sensu, pois serve para pagar não apenas os dividendos dos acionistas, mas também os juros dos empréstimos contraídos e o imposto sobre os lucros, bem como a substituição de máquinas e equipamentos desgastados, isto é, a depreciação do capital, ou amortização. Esse agregado representa o conjunto da renda bruta do capital, ou, mais simplesmente, renda do capital.

O valor adicionado da empresa é definido como a diferença entre o produto das vendas e o custo dos consumos intermediários. É, portanto, igual à soma da renda do trabalho e da renda do capital. Continue reading “Mensuração da Participação do Capital e do Trabalho no Valor Adicionado”