Alteração no Plano Anual de Financiamento (PAF) pelo Governo Golpista

PAF 2015Detentores da DPMFiPAF 2016

Resultados Esperados 2016Eduardo Campos e Edna Simão (Valor, 26/07/16) informam que o Tesouro Nacional pode fazer uma alteração no Plano Anual de Financiamento (PAF) deste ano, em agosto de 2016, para acomodar o efeito da melhora recente das condições de mercado sobre o perfil da dívida.

Os objetivos estabelecimentos pelo PAF, mais conservadores, eram coerentes com um momento em que a percepção de risco mais elevado encarecia a colocação de papéis prefixados e de prazo mais longo, situação que levou o Tesouro a ampliar a venda de títulos atrelados à Selic. Agora, algum ajuste nesses objetivos pode ser necessário, dada a firme queda dos juros de longo prazo e melhora do apetite dos investidores, que permitiram que o Tesouro voltasse a reforçar a venda de papéis prefixados.

A participação dos prefixados – LTNs e NTN-Fs – na Dívida Pública Federal (DPF) está acima do teto de 35% estabelecido pelo Plano Anual de Financiamento (PAF). Em junho de 2016, o percentual foi a 36,3%. Se o Tesouro entender que o percentual vai ficar acima de 35% até o fim do ano, os objetivos estabelecidos no PAF podem ser revistos.

Tomando como exemplo a LTN com vencimento em 2019, a taxa já esteve em 16,6% no começo ano. Após a conspiração para o golpe, o papel é negociado na faixa de 12,2%. O papel ganha atratividade em relação aos títulos atrelados à Selic, conforme se espera que o próximo movimento do Comitê de Política Monetária (Copom) seja de redução de juros. O ajuste fino entre essas posições depende de quando o investidor acredita que o BC vá começar a reduzir a Selic.

Já os com taxa flutuante, as LFTs, representavam em junho 25,75% da DPF, abaixo da banda do PAF, de 30% a 34%. O intervalo estabelecido em 2015 era de 17% a 22% e foi elevada em 2016 pelo quadro adverso que prevalecia quando o PAF foi divulgado. Os ativos atrelados aos índices de preços (NTNs) representam 33,73%, pouco acima do teto da banda de 29% a 33%.

Em junho de 2016, as colocações líquidas somaram R$ 61 bilhões, maior desde junho de 2015. Esse é um mês marcado por baixos vencimentos e, ainda assim, segundo Secunho, houve forte demanda nas colocações em mercado.

A DPF fechou o mês de junho de 2016 em R$ 2,958 trilhões, alta de 2,77%, já a dívida interna subiu 3,41%, totalizando R$ 2,837 trilhões. O PAF estabelece banda de R$ 3,1 trilhões a R$ 3,3 trilhões.

Em julho de 2016, houve vencimento expressivo de R$ 90 bilhões em LTN. Mas o mercado se antecipou a esse evento. Como exemplo, os investidores estrangeiros, que venderam cerca de R$ 17 bilhões desses títulos, mas montaram posições em outros ativos, o que provocou a elevação do estoque da dívida nas mãos desses investidores de R$ 455,54 bilhões para R$ 465,61 bilhões de maio para junho. No entanto, a participação caiu de 16,6% para 16,41%.

A perda de participação relativa tem relação com o forte aumento na posição das instituições financeiras, que ampliaram sua participação no total da dívida em quase de R$ 45 bilhões, para R$ 671 bilhões, uma fatia equivalente a 23,65% do total da dívida em junho, contra 22,87% no mês anterior. Com esse avanço, os bancos retomaram a posição de maiores financiadores da dívida que, pontualmente, haviam perdido em maio para os fundos de previdência. Os chamados investidores institucionais detinham, em junho de 2016, 23,57% do total da dívida.

O custo do estoque da dívida interna permaneceu em 14,02% aa pelo segundo mês seguido. Ele começou o ano em 14,24% aa. Já o custo de colocação em mercado segue batendo novos recordes, marcando 14,42% aa no mês de junho.

Essa elevação decorre do método de cálculo que considera acumulados nos últimos 12 meses. Embora o custo venha se reduzindo, há um estoque de títulos com taxas mais altas ainda sendo carregado na estatística. A redução de custo só vai se materializar conforme as colocações a taxas mais altas, feitas no começo do ano, comecem a perder peso na composição do indicador.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s