Estado da Nação e a Leitura do Jornaleco do Domingão

avaliac%cc%a7a%cc%83o-do-governo-temer-7-8-dez-16 comparac%cc%a7a%cc%83o-com-a-dilma-dez-16Rir para não chorar... A leitura dominical de jornal merece brevíssimos comentários.

“A maioria da população brasileira (63%) é favorável à renúncia do presidente Michel Temer (PMDB) ainda neste ano para que haja eleição direta, apontou a pesquisa do Datafolha. Segundo o levantamento, 27% dos entrevistados se disseram contra a saída do peemedebista para esse fim, 6% se declararam indiferentes e 3% não souberam responder. Para que a população vá às urnas e escolha um novo presidente para o mandato-tampão, seria necessário que Temer deixasse o cargo até 31 de dezembro de 2016”.

Segundo o artigo 81 da Constituição Federal, um novo pleito direto deve ser convocado em 90 dias se os cargos de presidente e vice-presidente ficarem sem titulares. Do contrário, a eleição é indireta. “Ocorrendo a vacância nos últimos dois anos do período presidencial, a eleição para ambos os cargos será feita 30 dias depois da última vaga, pelo Congresso Nacional”, determina o texto constitucional.

Em síntese, neste Natal, fora Tender! Vaza a jato!

COMENTÁRIO: A maioria da opinião pública brasileira age como na confissão de Giordano Bruno, em 1600, perante o Papa da Igreja Católica, depois de ser torturado pela Inquisição:

“Eu apenas errei quando ousei pedir à Igreja que combatesse um sistema de superstição e ignorância que a sustenta. Errei eu quando acreditei poder reformar as condições dos homens com a ajuda deste ou daquele príncipe. Vi todas as tentativas que fiz acabarem em sangue.  Quanta perda [se provoca ao] pedir a quem tem os poderes que reforme o poder. Que ingenuidade… Quiseram minha confissão, já a tiveram. É a confissão de uma derrota”.

Pedir a um golpista traidor ter a grandeza de renunciar, para o bem da Nação brasileira, é o mesmo que pedi-lo para abandonar os poderes do Estado em benefício da defesa de si próprio e de seus prepostos, bando conhecido como a Camarilha dos Quatro. Que ingenuidade

Que se vayam todos! Refundação político-partidária no Brasil só com uma Assembleia Constituinte sem os envolvidos no esquema de financiamento eleitoral corrupto. Mas haverá o risco da Constituição sair pior do que a atual

Por que? Basta ler os contumazes comentários neofascistas postados após as notícias para ver como estes estão assanhados e sem pudor de formar a opinião pública. Por exemplo, “um dos filhos da funkeira Tati Quebra Barraco, 36, Yuri Lourenço da Silva, 19, foi morto na madrugada deste domingo (11) durante uma operação policial contra o tráfico de drogas no bairro de Cidade de Deus, no Rio de Janeiro”.

Comentário típico postado em seguida por um (e)leitor boçalnaro: “Para variar, o “Folheto Comunista” [ref. à FSP, sic], quando se refere à polícia, sempre parte da presunção de culpa: a “vítima” foi “assassinada” enquanto que o morto é, sempre, um “provável suspeito”. As tendenciosas equipes de jornalismo existentes no Brasil (salvo raríssimas exceções) criminalizam as polícias enquanto buscam justificar ou minimizar os atos dos criminosos. É por essas e outras que a credibilidade da mídia tradicional vai de mal a pior (ainda bem)”. Entendeu o risco da casta dos guerreiros voltar ao Poder?

Enquanto o País está um caos político, socioeconômico e jurídico, meus coleguinhas neoliberais dão um toque de humor com a esquizofrênica Teoria da Bomba-Relógio — ou do retardo da explosão, calculada exatamente para a próxima gestão:

  • todos os bons resultados que apareceram na Era Social-Desenvolvimentista (2003-2014) foram fruto da política econômica neoliberal do governo anterior, i.é, do FHC;
  • todos os maus resultados que aparecem agora com a volta da Velha Matriz Neoliberal (2015-2016) são frutos da Nova Matriz Macroeconômica (2007-2014)!

Em outras palavras, qualquer política econômica só apresenta seus resultados em outros governos! Tem uma defasagem perfeita!

expectiva-econo%cc%82mica-dez-16Veja a pesquisa acima. Nos últimos meses, a situação econômica do país piorou na avaliação de 65% da população e se manteve como estava para 25%; 9% disseram que houve melhora. Sobre a situação pessoal do entrevistado, a percepção de piora recente corresponde a 50% dos brasileiros. Para 38%, ficou como estava e 10% disseram que melhorou.

A tensão política da semana passada assustou aplicadores —já ressabiados com a política brasileira— sobre o risco de Temer perder “governabilidade”. Segundo um desses representantes, quem já está no Brasil ficou muito “preocupado” e adotará posição de “cautela” em relação a novas aplicações. E quem não está, por enquanto, não quer vir.

Apesar de tudo isso, leia a opinião do meu ex-colega Samuel Pessôa (físico com doutorado em Economia, ambos pela USP, sócio da consultoria Reliance e pesquisador associado do Ibre-FGV):

“As dificuldades de Michel Temer resultam da herança maldita da nova matriz econômica e da irresponsabilidade fiscal, além da enorme leniência do governo petista com a inflação. Os remédios são amargos, mas estão fazendo efeito.” (FSP, 11/12/16).

Briga contra os números: pela primeira vez na história econômica brasileira, desde 1964, a taxa de inflação ficou abaixo de 6,5% aa (teto da meta) durante 10 anos (2005-2014)! Fruto da “enorme leniência do governo petista com a inflação”?!

Não é politicamente correto alegar que é autismopsicopatologia caracterizada pelo recolhimento e absorção do indivíduo em seu universo privilegiado de pensamentos, sentimentos e devaneios subjetivos, com o consequente alheamento do mundo exterior e a perda do contato com a realidade a seu redor –, pois isso ofende os autistas!

pagamentos-da-odebrechtPrá não dizer que não falei de flores, o toque-final de humor — para não chorar com o Estado da Nação brasileira — é a lista com os codinomes usados no Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht! Porém, por alguma estranha razão o jornaleco do domingão esqueceu de publicar o codinome de Santo do governador do Estado de São Paulo…

POLÍTICOS NA MIRA DA ODEBRECHT

Alguns dos citados em delação premiada de Cláudio Melo Filho, ex-executivo da empreiteira

Citado Posição atual Apelido Quanto a Odebrecht diz que pagou (R$)
Michel Temer (PMDB-SP) Presidente da República  MT 10.000.000
Eliseu Padilha (PMDB-RS) Ministro da Casa Civil Primo 4.000.000
José Yunes (PMDB-SP) Assessor especial da Presidência da República e amigo de Michel Temer Valor não determinado
Moreira Franco (PMDB-RJ) Secretário do Programa de Parcerias em Investimentos do governo de Michel Temer Angorá Valor não determinado
Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) Ex-ministro dos governos Temer e Lula Babel 5.880.000
Eduardo Cunha (PMDB-RJ) Ex-deputado federal Caranguejo 11.500.000
Renan Calheiros (PMDB-AL) Presidente do Senado Justiça 6.020.000
Romero Jucá (PMDB-RR) Senador Caju 19.150.000
Eunicio Oliveira (PMDB-CE) Senador Índio 2.100.000
Jaques Wagner (PT-BA) Ex-ministro do governo Dilma e ex-governador da Bahia Polo 20.500.000
Adolfo Viana (PSDB-BA) Deputado estadual Jovem 50.000
Anderson Dornelles (PT-RS) Ex-assessor da presidente Dilma Rousseff Las Vegas 350.000
Antonio Brito (PSD-BA) Deputado federal Misericórdia 230.000
Antônio Imbassahy (PSDB-BA) Deputado federal  Embaça aí… 299.700
Arthur Maia (SD-BA) Deputado federal Tuca 600.000
Arthur Virgílio (PSDB-AM) Prefeito de Manaus Kimono 300.000
Benito Gama (PTB-BA) Ex-deputado federal 30.000
Carlinhos Almeida (PT-SP) Prefeito de São José dos Campos 50.000
Ciro Nogueira (PP-PI) Senador Cerrado, Piqui 1.600.000
Claudio Cajado (DEM-BA) Deputado federal 305.000
Colbert Martins (PMDB-BA) Suplente de deputado federal, eleito vice-prefeito de Feira de Santana (BA) Médico 591.443
Daniel Almeida (PC do B-BA) Deputado federal, líder do PCdoB na Câmara Comuna 100.000
Delcidio do Amaral (PT-MT) Ex-senador Ferrari 500.000
Duarte Nogueira (PSDB-SP) Deputado federal, eleito prefeito de Ribeirão Preto Corredor 750.000
Edvaldo Brito (PSD-BA) Vereador Candomblé 300.000
Flávio Dolabella (-) Funcionário público Fazendeiro 45.000
Francisco Dornelles (PP-RJ) Vice-governador do Rio Velhinho 200.000
Gim Argello (PTB-DF) Ex-senador Campari 2.800.000
Heráclito Fortes (PSB-PI) Deputado federal Boca Mole 250.000
Hugo Napoleão (DEM-PI) Ex-governador, ex-deputado e ex-senador pelo Piauí Diplomata 200.000
Inaldo Leitão (PR-PI) Deputado federal Todo Feio, Cunhado 100.000
Iracema Portella (PP-PI) Ex-deputada federal 500.000
João Almeida (PSDB-BA) Ex-deputado federal 500.000
José Agripino Maia (DEM-RN) Senador Pino, Gripado 1.000.000
José Carlos Aleluia (DEM-BA) Deputado federal Missa 580.000
Jutahy Magalhães (PSDB-BA) Deputado federal Moleza 850.000
Kátia Abreu (PMDB-TO) Senadora
Leur Lomanto Junior (PMDB-BA) Deputado estadual 250.000
Lídice da Mata (PSB-BA) Senadora Feia 200.000
Lucio Vieira Lima (PMDB-BA) Deputado federal Bitelo 1.900.000
Marco Maia (PT-RS) Deputado federal Gremista 1.350.000
Orlando Silva (PC do B-SP) Deputado federal 100.000
Paes Landim (PTB-PI) Deputado federal Decrépito 180.000
Paulo Henrique Lustosa (PMDB-CE) Deputado federal Educador 200.000
Paulo Magalhães Junior (DEM-BA) Vereador Goleiro 50.000
Paulo Skaf (PMDB-SP) Presidente da Fiesp 6.000.000
Robério Negreiros (PMDB-DF) Deputado distrital 50.000
Rodrigo Maia (DEM-RJ) Presidente da Câmara dos Deputados Botafogo 600.000

2 thoughts on “Estado da Nação e a Leitura do Jornaleco do Domingão

  1. Adoro seus textos, e a listinha de músicas, então!!! Ajudam a compreender e enfrentar esses tempos de golpes. Grata.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s