Economia em Letras de Música: Dinheiro, Salário, Dívida, Vagabundagem…

Pesquisando no Spotify por palavra-chave, descobri diversas letras de músicas cujo tema é dinheiro. Curiosamente, sob o título “Dinheiro Vem, Dinheiro Vai” achei duas letras (reproduzidas abaixo), porém não a do Jorginho do Império (vídeo acima).

Também não achei as letras das marchinhas de carnaval: Eu brinco / Barrigudo, Careca e Sem Dinheiro! / Me Dá Um Dinheiro Aí / Eu Queria Ser Dinheiro / Se tivesse um milhão / Dinheiro é pra Gastar (Cantores: Jorge Goulart e Marlene). Mas anotei, mentalmente, uma marchinha com a qual me identifiquei: 🙂

Velho, barrigudo, careca e sem dinheiro

Barrigudo, careca e sem dinheiro

Não pode ser, não pode ser

O homem para dar sorte com mulher

Tem que ter algum negócio qualquer

Se é moço, rico e cabeludo

Com ele vale-tudo

Com ele vale-tudo

Se é velho, careca e não é endinheirado

Só apanha, só apanha resfriado

Atchim!

Escute em:

https://open.spotify.com/track/2WPoPleSDRp2uVUB0Q3Jr7

http://www.deezer.com/track/80666118

II Lista de Economia em Letras de Música:

  1. Eu brinco / Barrigudo, Careca e Sem Dinheiro! / Me Dá Um Dinheiro Aí / Eu Queria Ser Dinheiro / Se tivesse um milhão / Dinheiro é pra Gastar (Cantores: Jorge Goulart e Marlene)
  2. O Dinheiro Não É Tudo Mas É 100% (Compositores: Falcão/Tarcísio Matos)
  3. Não Quero Dinheiro, Só Quero Amar (Tim Maia)
  4. Pra Que Dinheiro (Martinho da Vila)
  5. Pecado Capital (Paulinho da Viola)
  6. Dinheiro Vai, Dinheiro Vem (Jaque Barraqueira)
  7. Dinheiro Vai, Dinheiro Vem (MC CB)
  8. Acertei No Milhar (Moreira da Silva / Compositores: Wílson Batista & Geraldo Pereira)
  9. Não Há Dinheiro Que Pague (Roberto Carlos / Compositor: Renato Barros)
  10. Falta Um Zero no Meu Ordenado (Ary Barroso)
  11. Dezessete e Setecentos (Luiz Gonzaga)
  12. Dinheiro Não É Semente (Ciro Monteiro / Compositores: Felisberto Martins E Mutt)
  13. O Assunto é Dinheiro (Jackson do Pandeiro)
  14. O que vale a nota sem o carinho da mulher (Jorge Veiga)
  15. Cem Mil Réis (Noel Rosa)
  16. Só o Meu Salário Não (Fabio Brazza)
  17. Garoto de Aluguel (Zé Ramalho)
  18. Dívidas (Titãs / Compositores: Branco Mello & Arnaldo Antunes)
  19. Dívida (O Rappa / Compositor: Tonho Crocco/ Ultramen)
  20. Endividado (Forró da Sacanagem)
  21. O Endividado (Ton Oliveira)
  22. Endividado (Skuba / Compositores: S. Soffiatti, R. Cerqueira, Thaíde)
  23. Dia de Pagamento (Forró Real)
  24. Como É Duro Trabalhar (Toquinho e Vinícius)
  25. Vai Trabalhar Vagabundo (Chico Buarque)
  26. Vagabundo (Ney Matogrosso)
  27. Abrigo de Vagabundos (Adoniran Barbosa)
  28. Vagabundo (Sérgio Reis)
  29. Vagabundo É Foda (Oriente)
  30. Pega Ladrão! (Gabriel O Pensador)

O Dinheiro Não É Tudo Mas É 100% (Compositor: Falcão/Tarcísio Matos)

2 mais 2 são 4

Sexta-feira à noite

O quadrado de 69 é pura esculhambação

Que gente besta não conta

E sabido se atrapalha

Pois fazer conta de cabeça, noves fora nada

Legal que só!

Entrar pra vida legislativa

Puxar o trem com a caneta

(De trás pra frente)

Cheio de parentes, de agregados,

De aderentes, etc. e tal

 

2 mais 2 nunca é 4

Segunda-feira de manhã

1000 meu com 1000 seu é a comissão

Que o tesoureiro se assusta

Mas passa o recibo

Diz que não está por dentro e tira 10%

Legal que só!

Entrar pra vida legislativa

Pra me eleger

Posso contar, humildemente

Com meus parentes, meus agregados,

Meus aderentes e depois tchau!

 

Não Quero Dinheiro, Só Quero Amar (Tim Maia)

 

Vou pedir pra você voltar

Vou pedir pra você ficar

Eu te amo

Eu te quero bem

Vou pedir pra você gostar

Vou pedir pra você me amar

Eu te amo

Eu te adoro, meu amor

A semana inteira fiquei esperando

Pra te ver sorrindo

Pra te ver cantando

Quando a gente ama não pensa em dinheiro

Só se quer amar

Se quer amar

Se quer amar

De jeito maneira

Não quero dinheiro

Eu quero amor sincero

Isto é que eu espero

Grito ao mundo inteiro

Não quero dinheiro

Eu só quero amar

 

Espero para ver se você vem

Não te troco nessa vida por ninguém

Porque eu te amo

Eu te quero bem

Acontece que na vida a gente tem

Que ser feliz por ser amado por alguém

Porque eu te amo

Eu te adoro, meu amor

 

A semana inteira fiquei esperando

Pra te ver sorrindo

Pra te ver cantando

Quando a gente ama não pensa em dinheiro

Só se quer amar

Se quer amar

Se quer amar

De jeito maneira

Não quero dinheiro

Eu quero amor sincero

Isto é que eu espero

Grito ao mundo inteiro

Não quero dinheiro

Eu só quero amar [2x]

 

De jeito maneira

Não quero dinheiro

Eu quero amor sincero

Isto é que eu espero

Grito ao mundo inteiro

Não quero dinheiro

Eu só quero amar

 

Pra Que Dinheiro (Martinho da Vila)

 

Dinheiro pra que dinheiro

Se ela não me dá bola

Em casa de batuqueiro

Só quem fala alto é viola

 

Venha depressa, correndo pro samba

Porque o samba já vai terminar

Afina logo a sua viola

E canta samba até o sol raiar

 

Mas, dinheiro pra que dinheiro…

 

Eu era um cara muito solitário

Não tinha mina pra me namorar

Depois que eu comprei uma viola

Arranjo nega de qualquer lugar

 

Dinheiro pra que dinheiro…

 

Eu tinha grana

Me levaram a grana

Fiquei quietinho

Nem quis reclamar

Mas, se levarem

A minha viola, não me segura

Porque eu vou brigar

 

Dinheiro pra que dinheiro …

 

Pára depressa com essa viola

Porque o samba já vai terminar

Eu vou depressa correndo pra casa

Pegar a marmita para ir trabalhar

 

Dinheiro pra que dinheiro….

 

Pecado Capital (Paulinho da Viola)

 

Dinheiro na mão é vendaval

É vendaval

Na vida de um sonhador

De um sonhador

Quanta gente aí se engana

E cai da cama

Com toda a ilusão que sonhou

E a grandeza se desfaz

Quando a solidão é mais

Alguém já falou.

 

Mas é preciso viver

E viver

Não é brincadeira não

Quando o jeito é se virar

Cada um trata de si

Irmão desconhece irmão

E aí

Dinheiro na mão é vendaval

Dinheiro na mão é solução

E solidão

Dinheiro na mão é vendaval

Dinheiro na mão é solução

E solidão

 

Dinheiro na mão é vendaval

É vendaval

Na vida de um sonhador

De um sonhador

Quanta gente aí se engana

E cai da cama

Com toda a ilusão que sonhou

E a grandeza se desfaz

Quando a solidão é mais

Alguém já falou

 

Mas é preciso viver

E viver

Não é brincadeira não

Quando o jeito é se virar

Cada um trata de si

Irmão desconhece irmão

E aí

Dinheiro na mão é vendaval

Dinheiro na mão é solução

E solidão

Dinheiro na mão é vendaval

Dinheiro na mão é solução

E solidão

E solidão

E solidão

E solidão

 

Dinheiro Vai, Dinheiro Vem (Jaque Barraqueira)

 

A vida e dura, ela e pesada.

Tem uns com muito, e outros que.

Não tem nada.

Sigo lutando, mas não sei onde.

Chegar tem gente suja querendo

Me governar,e eles mentem só pra ficar lá

No alto, um dia desses vamos saber do assalto.

Fico olhando tudo isso acontecer

Assisto tudo o que passa da tv

E do meu carro vejo pessoas sofridas

Tirando onda com bagulho na avenida

Passo por elas, mas não sei qual é o perigo.

Diz-me ai quero saber quem é o bandido

 

Dinheiro vai, dinheiro vem.

Quem pode pode não faz nada por ninguém

Dinheiro vai, dinheiro vem.

Quem pode pode não faz nada por ninguém

 

É o dia á dia é o pobre já esta acostumado

Diz-me ai quero saber quem é o culpado

É eles ficam com o bolso cheio de grana

Na maior pose dando uma de bacana

É a miséria que afeta o cidadão

Diz-me ai quero saber quem é o ladrão

 

Dinheiro Vai, Dinheiro Vem (MC CB)

Sigo sempre avançado e veloz

Um letrista afiado e feroz

Os que pá que acha que quem tá

Somos nós pera aí Cb

excedendo a voz

 

Coração é de pedra é gelado

Nessas ruas de orgias treinado

Ei garçom e meu drinque, viado

Tem dinheiro pode vir meu chegado

 

O controle da festa nós embaça

Tô com as gata do giro e mais

Com dinheiro o sorrisinho vem de graça

Elas pira na moeda e nem disfarça

E fica cheia de graça

 

Dinheiro vai, dinheiro vem

E elas focada pousada fisgada

Nas nota de cem

Dinheiro vai, dinheiro vem

Depois da vip a suite mais chique

vai vira um harém

Harém vai virar um harém

Harém Ôô vai virar

 

Acertei No Milhar (Moreira da Silva / Compositor: Wílson Batista & Geraldo Pereira)

 

– Etelvina!

– O que é, Moringueira?

– Acertei no milhar

Ganhei 500 milhas

Não vou mais trabalhar

Você dê toda a roupa velha aos pobres

E a mobília podemos quebrar

Isto é pra já

Vamos quebrar

 

Pegou um móvel bacana a bessa

Jogou na parede

– Pode quebrar minha filha

O pai tá com tudo

Nota de mil que é bom

Tá morando aqui no buraco do pano

Quer ver? Não tiro poque não fica bem

 

Etelvina

Vai ter outra lua-de-mel

Você vai ser madame

Vai morar no Palace Hotel

Eu vou comprar um nome não sei onde

De Marquês Moringueira de Visconde

Um professor de francês, mon amour

Eu vou trocar seu nome

Pra madame Pompadour

Até que enfim agora eu sou feliz

Vou passear Europa toda até Paris

 

E nossos filhos?

– Oh, que inferno!

Eu vou pô-los num colégio interno

Telefone pro Mané do armazém

Porque não quero ficar

Devendo nada a ninguém

E vou comprar um avião azul

Para percorrer a América do Sul

 

Mas de repente, de repenguente

Etelvina me chamou

Está na hora do batente

Mas de repente

Etelvina me chamou

Disse: Acorda Vargolino

Mete os peitos pelos fundos

Que na frente tem gente

 

Foi um sonho, minha gente!

 

Não Há Dinheiro Que Pague (Roberto Carlos / Compositor: Renato Barros)

Eu sempre acreditei que a qualquer hora

Eu pudesse lhe deixar

E pensei que sem você

Não poderia nunca me queixar

Mas quando fiquei sem lhe ver

Então é que eu pude entender

Que não há dinheiro no mundo

Que me pague a saudade de você

 

Não há dinheiro no mundo

Que me pague a saudade de você

E agora que você de novo está comigo

Eu posso até dizer

Que foi tão grande o castigo

Mas me fez enfim compreender

 

O erro que eu cometi

Sofrendo porém aprendi

Que não há dinheiro no mundo

Que me pague a saudade que senti

Não há dinheiro no mundo

Que me pague a saudade que senti

Não há dinheiro no mundo

Que me pague a saudade que senti

 

Falta Um Zero no Meu Ordenado (Ary Barroso)

 

Trabalho como louco

Mas ganho muito pouco

Por isso eu vivo sempre atrapalhado

Fazendo faxina

Comendo no “China”

Tá faltando um zero no meu ordenado

 

Trabalho como louco

Mas ganho muito pouco

Por isso eu vivo sempre atrapalhado

Fazendo faxina

Comendo no “China”

Tá faltando um zero no meu ordenado

 

Tá faltando sola no meu sapato

Somente o retrato

Da rainha do meu samba

É que me consola

Nesta corda bamba

 

Dezessete e Setecentos (Luiz Gonzaga)

 

Eu lhe dei vinte mil réis pra pagar tês e trezentos

 

Você tem que me voltar: dezesseis e setecentos

dezessete e setecentos

Dezesseis e setecentos

Mas se eu lhe dei vinte mil réis pra pagar três e trezentos você tem que me voltar

– Dezesseis e setecentos

Mas dezesseis e setecentos?

– Dezesseis e setecentos

 

– Por que dezesseis e setecentos?

Por que dezesseis e setecentos?

Mas se eu lhe dei vinte mil Réis pra pagar três e trezentos

Você tem que me voltar é…

 

Sou diplomado, frequentei a academia

– Dezesseis e setecentos?

Conheço geografia, sei até multiplicar

– Dezesseis e setecentos?

Dei vinte mango para pagar três e trezentos

 

Dezessete e setecentos você tem que me voltar

 

Mas eu lhe dei vinte mil réis pra pagar três e trezentos

– Dezesseis e setecentos

– Mas dezesseis e setecentos?

– Dezesseis e setecentos?

Se eu lhe dei vinte mil´Réis

pra pagar três e trezentos você tem que me voltar é…

-Dezesseis e setecentos

– Dezesseis e setecentos?

Você tem que voltar dezessete e setecentos

Eu acho bom você tirar os nove fora

 

Evitar que eu vá embora e deixe a conta sem pagar

 

Eu já lhe disse que essa droga tá errada

Vou buscar a tabuada e volta aqui pra lhe provar

 

Você tem que me voltar é….

Dezesseis e setecentos

Por que dezesseis e setecentos?

-Dezesseis e setecentos?

Não ´e dezessete e setecentos?

 

Dinheiro Não É Semente (Ciro Monteiro / Compositor: Felisberto Martins E Mutt)

 

Dinheiro não é semente

Que, plantando, dá.

Se eu quero ver a cor dele,

Eu tenho que trabalhar.

Se alinhado,

É porque tenho gosto.

Se ando endinheirado

É com o suor do meu rosto.

(bis)

 

Não vivo por ver um outro viver

Vivo porque sei compreender

Que, sem trabalhar,

Eu não vivo sossegado.

Na tesoura dos amigos

Eu ando sempre cortado

 

E o dinheiro não é…

 

O Assunto é Dinheiro (Jackson do Pandeiro)

Escute em: https://open.spotify.com/track/0FayUeqhsQy5Oiz2X5KBUS

 

O que vale a nota sem o carinho da mulher (Jorge Veiga)

Escute em: https://open.spotify.com/track/5R2sPEY0NDtums6UQLGs5k

 

Cem Mil Réis (Noel Rosa)

Você me pediu cem mil réis,

Pra comprar um soirée,

E um tamborim,

O organdi anda barato pra cachorro,

E um gato lá no morro,

Não é tão caro assim.

 

Não custa nada,

Preencher formalidade,

Tamborim pra batucada,

Soirée pra sociedade,

Sou bem sensato,

Seu pedido atendi,

Já tenho a pele do gato,

Falta o metro de organdi.

 

Sei que você,

Num dia faz um tamborim,

Mas ninguém faz um soirée,

Com meio metro de cetim,

De soirée,

Você num baile se destaca,

Mas não quero mais você,

Porque não sei vestir casaca.

 

Só o Meu Salário Não (Fabio Brazza)

https://www.youtube.com/watch?v=7jpldHXKChc

Ô Brazza! Situação tá complicada pra mim esse mês hein mano!

Ixe Garden, pra mim também meu, ’tá’ osso

 

Aumentou, o preço da carne e o quilo do pão

Aumentou, o câmbio do dólar e a corrupção (e aumentou)

Aumentou, o custo de vida para o cidadão

Só o meu salário não, só o meu salário não!

Eu falei que aumentou?

Aumentou, o preço da carne e o quilo do pão

Aumentou, o câmbio do dólar e a corrupção (e aumentou)

Aumentou, o custo de vida para o cidadão

Só o meu salário não, só o meu salário não!

Só o meu salário não, só o meu salário não!

 

MC Garden

Aumentou minha rima

E o número de mina que se vende na esquina

Aumentou no Brasil a quantidade de chacina

E só pra piorar mais aumentaram gasolina…

 

Aumentou o imposto

E aumentou a fila da farmácia lá do posto

Criança que o pai deixa com Hematoma no rosto

E consequentemente aumentou nosso desgosto…

 

Na biqueira do morro aumentou mais o consumo

A mãe pediu socorro pois seu filho tá sem rumo

Gastando o seu torro na pedra que faz de fumo,

Se tornou dependente…

 

Eu corro pra resolver a responsa que assumo

Porque esse meu povo não pode perder o prumo

Percorro um caminho longo que não tem resumo

Então bola frente…

 

E nas avenidas

Aumentaram os radares numa grande proporção

Na habilitação aumentou a pontuação

Mesmo com ciclovia aumentou a poluição

 

E na escola da favela

Esvaziaram a sala e acabaram enchendo a cela

Aumentaram os menores traficando na viela

Já que ninguém deu trela aumentou mais a sequela

 

Na rede social aumentou meus seguidores

Geração de pensadores, alunos e professores

E no meu canal do youtube também aumentou

O número de visualização

 

Aumentou minha alegria confesso para os senhores

Mas restou uma agonia referente aos valores

A questão que me atormenta é:

Por que aqui tudo aumenta só o meu salário não?

 

Só o meu salário não, só o meu salário não!

Eu falei que aumentou?

Aumentou, o preço da carne e o quilo do pão

Aumentou, o câmbio do dólar e a corrupção (e aumentou)

Aumentou, o custo de vida para o cidadão

Só o meu salário não, só o meu salário não!

Só o meu salário não, só o meu salário não!

 

Vai Fabio Brazza!

 

E aumentou o gás e a conta de luz

Aumentou ainda mais a fila do SUS

Violência voraz que não se reduz

E os IPVAs e IPTUs

 

Que situação o povo não tem condição

Aumentou até a condução

Mas tem gente feliz porque diz

Que aumentou a bunda da Mulher Melão

 

E a corrupção só se faz aumentar

E apesar de pesar é de se lamentar

Que aumentou a taxa tributária

E a conta bancária do parlamentar

 

Enquanto no plenário o salafrário

Vai ficando milionário

Meu salário ainda anda

Mais baixinho que o Romário

 

Chega a ser irônico

Nesse aperto econômico

Tanto preço astronômico

 

E aumentou a família e a comida na mesa

Aumentou minha despesa e o desprezo com idoso

E aumentou minha tristeza e eu fiquei tão nervoso

Que aumentou minha pressão

 

Coração não aguenta, a mulher se lamenta

A gente até tenta porém meu irmão

Como é que se sustenta se tudo aumenta…

Só o meu salário não?

 

Só o meu salário não, só o meu salário não!

Só o meu salário não, só o meu salário não!

Eu falei que aumentou?

 

Garoto de Aluguel (Zé Ramalho)

 

Baby !

Dê-me seu dinheiro que eu quero viver

Dê-me seu relógio que eu quero saber

Quanto tempo falta para lhe esquecer

Quanto vale um homem para amar você

Minha profissão é suja e vulgar

Quero pagamento para me deitar

Junto com você estrangular meu riso

Dê-me seu amor que dele não preciso

 

Baby !

Nossa relação acaba-se assim

Como um caramelo que chega-se ao fim

Na boca vermelha de uma dama louca

Pague meu dinheiro e vista sua roupa

Deixe a porta aberta quando for saindo

Você vai chorando e eu fico sorrindo

Conte pras amigas que tudo foi mal

Nada me preocupa de um marginal

 

Baby !

Nossa relação acaba-se assim

Como um caramelo que chegas-e ao fim

Na boca vermelha de uma dama louca

Pague meu dinheiro e vista sua roupa

Deixe a porta aberta quando for saindo

Você vai chorando e eu fico sorrindo

Conte pras amigas que tudo foi mal

Nada me preocupa de um marginal

 

Dívidas (Titãs / Compositor: Branco Mello & Arnaldo Antunes)

 

Meu salário

Desvalorizou

Dívidas, juros, dividendos.

Credores credores credores,

Agora é assim.

Senhores senhores senhores,

Tenham pena de mim.

Muito já gastei,

Vive como rei.

Diversões, luxo, divertimento.

Credores credores credores,

Agora é assim.

Senhores senhores senhores,

Fiquem longe de mim.

 

Dívida (O Rappa / Compositor: Tonho Crocco/ Ultramen)

 

Um homem com palavra é um homem da verdade

É requisito básico pra personalidade

Não importa a idade a cidade ou a nação

Respeito é herança da civilização

 

A taxa é zero o juro é alto vamos conversar

Ressarcimento pagamento vamos negociar

Aquela dívida de uns anos atrás está bem viva

Você não lembra mais

 

Não é só na Santana Leopoldina ou Parthenon

A honra é coisa muito séria em qualquer região

Aquele safado me deve e deve pra você também

E ainda por cima de tudo acha que tá tudo bem

 

A taxa é zero o juro é alto vamos conversar

Ressarcimento pagamento vamos negociar

Aquela dívida de uns anos atrás está bem viva

Você não lembra mais

 

A sua justificativa é o ensino escolar

Ele não aprendeu a dividir só quer multiplicar

Amigo chega de conversa já estou passando mal

Resolveremos esse cálculo no distrito policial

 

A taxa é zero o juro é alto vamos conversar

Ressarcimento pagamento vamos negociar

Aquela dívida de uns anos atrás está bem viva

Você não lembra mais

 

Endividado (Forró da Sacanagem)

 

Todo final de mês

Quando chega meu cartão

Eita fatura muito doido

Que me lasca meu irmão

Passo o cartão pra sair

Pra me divertir

Comprei um carro rebaixado

tô de borça por ai. (2x)

 

Pra acabar de completar

Comprei roda e paredão

Onde eu chegou sou gostoso

Onde eu paro eu sou gatão

Saio pra curtir, na fita por ai

Ninguém sabe o que eu faço

Eu não nego sou assim.

 

Endividado: tô estourado!

Coloquei roda no meu carro, paredão tá pipocado

Individado: tô estourado!

Aonde eu chegou sou gostoso,aonde eu paro eu sou gatão. (2x)

 

Todo final de mês

Quando chega meu cartão

Eita fatura muito doido

Que me lasca meu irmão

Passo o cartão pra sair

Pra me divertir

Comprei um carro rebaixado

tô de borça por ai. (2x)

 

Pra acabar de completar

Comprei roda e paredão

Onde eu chegou sou gostoso

Onde eu paro eu sou gatão

Saio pra curtir, na fita por ai

Ninguém sabe o que eu faço

Eu não nego sou assim.

 

Individado: tô estourado!

Coloquei roda no meu carro, paredão tá pipocado

Individado: tô estourado!

Aonde eu chegou sou gostoso, aonde eu paro eu sou gatão. (2x)

 

O Endividado (Ton Oliveira)

 

Eu sou humilde, honesto e trabalhador

Igual a maioria do povo brasileiro

Que dá um duro pra sustentar a familia

E quando chega o fim do mês não vê a cor do dinheiro

 

É aluguel, é água luz e telefone

E o que me resta não dá pra fazer a feira

Me chega conta toda hora todo dia

E pra sair dessa agonia eu vou cair na bebedeira

 

Ai meu Deus do céu

Como é que eu pago as minhas contas

Ai meu Deus do céu

Quando é que eu fico sem dever? (2x)

 

Chega a cobrança do colégio dos meninos

Segunda-feira tenho uns cheques pra cobrir

O telefone eu já nem vou mais atender

Já começo a me esconder e boto a mulher pra mentir

 

Ai meu Deus do céu

Como é que eu pago as minhas contas

Ai meu Deus do céu

Quando é que eu fico sem dever? (2x)

 

Eu sou humilde, honesto e trabalhador

Igual a maioria do povo brasileiro

Que dá um duro pra sustentar a familia

E quando chega o fim do mês não vê a cor do dinheiro

 

É aluguel, é água luz e telefone

E o que me resta não dá pra fazer a feira

Me chega conta toda hora todo dia

E pra sair dessa agonia eu vou cair na bebedeira

 

Ai meu Deus do céu

Como é que eu pago as minhas contas

Ai meu Deus do céu

Quando é que eu fico sem dever? (2x)

 

Chega a cobrança do colégio dos meninos

Segunda-feira tenho uns cheques pra cobrir

O telefone eu já nem vou mais atender

Já começo a me esconder e boto a mulher pra mentir

 

Ai meu Deus do céu

Como é que eu pago as minhas contas

Ai meu Deus do céu

Quando é que eu fico sem dever? (2x)

 

Endividado (Skuba / Compositores: S. Soffiatti, R. Cerqueira, Thaíde)

 

Eu to cansado

Vê se me deixa dormir

To preocupado

Já não consigo mais rir

‘cê ta por fora

não sabe da situação

não tem mais jeito

já to devendo um milhão

todo mundo ta atrás de mim

é cobrança que não tem mais fim

endividado eu já pensei em fugir

endividado se for pra mim eu saí

endividado eu já pensei em fugir

endividado me dá um dinheiro aí

to pendurado e ainda penso em comprar

mas eles sabem que não consigo pagar

to encanado com essa situação

não teu mais jeito agora só com oração

dinheiro, dinheiro, quem quer dinheiro???

É a frase mais usada no mundo inteiro

Uma merda que não feita no banheiro

Se fosse, seria protegido

Por arame farpado e cão perdigueiro

O pote no fim do arco-íris

É de quem chegar primeiro

O contingente atrás de emprego

Parece formigueiro

A saída não é arrebentar carro forte

Com fuzil AR-15 e morteiro

Bom seria se minha grana

Enchesse um trem cargueiro

A avareza é consequência do dinheiro

 

Dia de Pagamento (Forró Real)

 

Não venha me dizer que até agora trabalhou

Pois eu não acredito, esse papo me cansou

Por que é que sexta feira que você demora assim?

Será que você está saindo à toa por aí?

 

Você não acredita, mais eu vou lhe dizer

Dia de pagamento é um tormento, cedo eu não posso sair

Você tem que acreditar em mim, eu não vou lhe enganar

Fico contando nos dedos as horas de voltar pra lhe amar

 

Pois cadê o seu batom? Fui lanchar e saiu

E o perfume que usou? Com o tempo sumiu

Essa roupa amassada, suada o que será que ela viu? (2x)

 

Como É Duro Trabalhar (Toquinho e Vinícius)

 

Fui caminhando, caminhando

À procura de um lugar

Com uma palhoça, uma morena

E um cantinho pra plantar

 

Achei a terra, vi a casa

Só faltava capinar

Mas sem o colo da morena

Quem sou eu pra me abusar

 

E lá vou eu

Paro aqui, paro acolá

E lá vou eu

Como é duro trabalhar

 

E vou cantando, tiro moda

Faço roda no arraial

Busco a morena de olho em calda

Cheiro de canavial

 

E bico essa, bico aquela

Vou bicando sem parar

Mas não tem mais moça donzela

Que mereça eu me abusar

 

Vai Trabalhar Vagabundo (Chico Buarque)

 

Vai trabalhar, vagabundo

Vai trabalhar, criatura

Deus permite a todo mundo

Uma loucura

Passa o domingo em familia

Segunda-feira beleza

Embarca com alegria

Na correnteza

 

Prepara o teu documento

Carimba o teu coração

Não perde nem um momento

Perde a razão

Pode esquecer a mulata

Pode esquecer o bilhar

Pode apertar a gravata

Vai te enforcar

Vai te entregar

Vai te estragar

Vai trabalhar

 

Vê se não dorme no ponto

Reúne as economias

Perde os três contos no conto

Da loteria

Passa o domingo no mangue

Segunda-feira vazia

Ganha no banco de sangue

Pra mais um dia

 

Cuidado com o viaduto

Cuidado com o avião

Não perde mais um minuto

Perde a questão

Tenta pensar no futuro

No escuro tenta pensar

Vai renovar teu seguro

Vai caducar

Vai te entregar

Vai te estragar

Vai trabalhar

 

Passa o domingo sozinho

Segunda-feira a desgraça

Sem pai nem mãe, sem vizinho

Em plena praça

Vai terminar moribundo

Com um pouco de paciência

No fim da fila do fundo

Da previdência

Parte tranquilo, ó irmão

Descansa na paz de Deus

Deixaste casa e pensão

Só para os teus

A criançada chorando

Tua mulher vai suar

Pra botar outro malandro

No teu lugar

Vai te entregar

Vai te estragar

Vai te enforcar

Vai caducar

Vai trabalhar

Vai trabalhar

Vai trabalhar

 

Vagabundo (Ney Matogrosso)

 

Acordei, o sol na minha cara

Cara que mamãe beijou

Sol vagabundo, nenhum

Vagabundo que sou

Acordando tarde

Antes tarde do que numa hora certa, errada

Nada disso era o que eu queria

Acordar no susto com esse sol na minha cara

Estilhaços, bombas, bumbos e mil gritos de araras

O ruido luminoso, alto e claro desse sol na minha cara

(bis)

 

Nem todo conselho é bom

Nem todo automóvel, táxi

Nem todo sopro é de saxi

Nem todo filé, mignon

Nem toda arte é um dom

Nem todo voto é secreto

Nem todo amigo é discreto

Nem todo batuque é samba

Nem toda casa é de bamba

Nem todo malandro, esperto

 

Acordei, o sol na minha cara

Cara que mamãe beijou

Sol vagabundo, nenhum

Vagabundo que sou

Acordando tarde

Antes tarde do que numa hora certa, errada

Nada disso era o que eu queria

Acordar no susto com esse sol na minha cara

Estilhaços, bombas, bumbos e mil gritos de araras

O ruído luminoso, alto e claro desse sol na minha cara

 

Abrigo de Vagabundos (Adoniran Barbosa)

 

Eu arranjei o meu dinheiro

Trabalhando o ano inteiro

Numa cerâmica

Fabricando potes

e lá no alto da Moóca

Eu comprei um lindo lote dez de frente e dez de fundos

Construí minha maloca

Me disseram que sem planta

Não se pode construir

Mas quem trabalha tudo pode conseguir

 

João Saracura que é fiscal da Prefeitura

Foi um grande amigo, arranjou tudo pra mim

Por onde andará Joca e Matogrosso

Aqueles dois amigos

Que não quis me acompanhar

Andarão jogados na avenida São João

Ou vendo o sol quadrado na detenção

 

Minha maloca, a mais linda que eu já vi

Hoje está legalizada ninguém pode demolir

Minha maloca a mais deste mundo

Ofereço aos vagabundos

Que não têm onde dormir

 

Vagabundo (Sérgio Reis)

 

Eu nasci como nasce qualquer vagabundo

até hoje eu não soube quem foram meus pais

Eu cresci nas tabernas ao som das garrafas

pescando de linha na beira do cais

se eu almoço eu não janto se janto eu não sei

pra mim é o bastante comer uma vez

pra casa eu não levo nenhum desaforo

eu visito a cadeia 10 vezes por mês

Nas noites escuras se tenho dinheiro

às vezes me enfio num grosso tufão

nas noites de lua me encosto na esquina

tocando modinha com meu violão

lá pra meia noite que o sono me aperta

então eu me deito em qualquer lugar

as pedras da rua são meu travesseiro

e a porta da igreja me serve de lar

Se saio na rua disposto a brigar

todos se intimidam na minha navalha

e assim vou vivendo sem era nem beira

gozando as delicias da vida canária

Lenço no pescoço, cigarro no queixo

chapéu desabado, viola na mão

se encontro uma briga já vou provocando

e se toco a poeira levanta do chão

eu já quase apanhei de quatro indivíduos

na briga que eu fiz no bar do café

valeu a firmeza que eu tenho no pulso

valeu a destreza que tenho no pé

dei uma pernada que o chapéu voou

era levantar e tornar cair

Faço isso pra dar trabalho a policia

enquanto a morte não lembra de mim

 

Vagabundo É Foda (Oriente)

 

You don’t like me but your girlfriend do

She bump my music when she taking showers

Not caring if you like it or not I can just pause

But I rather continue

When I talk shit about you yo she doesn’t defend you

 

Ok, ok you make good money and work an honest job

And you like to call me a bum cause I haven’t blown up

And you talk shit about my tattoos but she likes them

You brag about your money but homie she ain’t excited

 

I write this with the intension to prove em that we are different

Yo soy vagabundo but listen homeboy I am gifted

I smell like weed and I’m not rich and I got homies who paint

And that’s the reason why you hating cause your girl can relate

You’re caught up on your high class views and forgot what life’s about

 

Oh baby you crazy but we living the fast life

You can wife her after to just make sure she act right

 

Oriente, Niterói, Rio de Janeiro

Liga 021 e chama nós pra fazer a festa

Aqui ninguém presta mas mesmo assim elas gostam

Vagabundo é foda, cambada de maconheiro

 

Oriente, Niterói, Rio de Janeiro

Liga 021 e chama nós fazer a festa

Aqui ninguém presta mas mesmo assim elas gostam

Vagabundo é foda, é foda

 

O pai dela fala pra ela não ouvir meu som

Mas pra mim ta tranquilão

Ela ouve mais o que eu falo

Quer fazer uma aposta

Se eu casar ela te troca

E te visita no sábado

Ainda te pede um trocado

 

Pra comprar um álcool pra mim

E vc ta assustado

Porque eu sou tatuado

Mal encarado

E magrin

Nunca fui de aturar sermão

Nem de sogro, nem patrão

A vida e uma estrada

E eu piloto no embalo

 

É oriente doutor

Tranquem suas janelas

Segurem suas donzelas

Que os magrin é o terror

A festa só começou

Vagabundo reinou

De cidade em cidade

Passamos levando amor

E eu que nem sempre calmo

Mas nunca preocupado

Vou fazendo o meu trabalho

Pra isso que Deus me mandou

 

Oriente, Niterói, Rio de Janeiro

Liga 021 e chama nós pra fazer a festa

Aqui ninguém presta mas mesmo assim elas gostam

Vagabundo é foda, cambada de maconhe

 

Oriente, Niterói, Rio de Janeiro

Liga 021 e chama nós fazer a festa

Aqui ninguém presta mas mesmo assim elas gostam

Vagabundo é foda, é foda

 

E na levada complicado, vagabundo assusta

Se tentar copiar aí que vagabundo frusta

Vagabundo é foda, se dorme leva a multa

Se comigo não morre, se eu tiver no mic vagabundo surta

 

Haikaiss e oriente, pensa, conta quantas vezes

Vim de 011, sem o 12, eu só colo com 13

Vagabundo passa intacto, sem o pacto

Vagabundo causa impacto na rede

Destruí, quem me roubava, com download gratuito

Porque se eu encher meu copo, não é pro alheio molhar o bico

 

Sua cara não me comove, sobrevivo sem teu suporte

Sete do nove, independência ou morte

Chino, nissin, pedro qualy

Cola self p., chega ai, assina mais um classic

Século xxi, vai ter que aguentar o contraste

Onde vagabundo mora até umas horas o rap nasce!

 

Próximo em prol de nós, união de praxe!

 

Oriente, Niterói, Rio de Janeiro

Liga 021 e chama nós fazer a festa

Aqui ninguém presta mas mesmo assim elas gostam

Vagabundo é foda, cambada de maconhe

 

Oriente, Haikaiss, são paulo, rio de janeiro

Liga o gordo e o Chuck e chama nós pra fazer a festa

Aqui ninguém presta mas mesmo assim elas gostam

Vagabundo é foda, é foda

 

Pega Ladrão! (Gabriel O Pensador)

 

“- Vossa Excelência, agora explique, mas não complique!

– Vossa Excelência, eu já expliquei! Eu não vi essa lista.

Eu afirmo com a mais absoluta certeza e sinceridade

Que eu nunca vi essa lista!

Não sei dessa lista, não quero saber e tenho raiva de quem sabe!

Quem disser que eu vi essa lista é um mentiroso,

E vai ter que provar! E se provar, vai se ver comigo!”

 

Pega ladrão! No Governo!

Pega ladrão! No Congresso!

Pega ladrão! No Senado!

Pega lá na Câmara dos Deputados!

Pega ladrão! No Palanque!

Pega ladrão! No Tribunal!

É por causa desses caras

Que tem gente com fome

Que tem gente matando

Etc e tal…

 

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega

Pega, pega ladrão!

A miséria só existe porque tem corrupção!

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega

Pega, pega ladrão!

Tira do Poder, Bota na prisão!

 

E você que é um simples mortal

Levando uma vidinha legal

Alguém já te pediu 1 real?

Alguém já te assaltou no sinal?

Você acha que as coisas vão mal?

Ou você tá satisfeito?

Você acha que isso é tudo normal?

Você acha que o país não tem jeito?

Aqui não tem terremoto

Aqui não tem vulcão

Aqui tem tempo bom

Aqui tem muito chão

Aqui tem gente boa

Aqui tem gente honesta

Mas no poder é que tem gente que não presta

 

“Eu fui eleito e represento o povo brasileiro.

Confie em mim que eu tomo conta do dinheiro.”

 

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega

Pega, pega ladrão!

A miséria só existe porque tem corrupção!

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega

Pega, pega ladrão!

Tira do Poder, Bota na prisão!

 

Tira esse malando do poder executivo!

Tira esse malandro do poder judiciário!

Tira esse malandro do poder legislativo!

Tira do poder que eu já cansei de ser otário!

Tira esse malandro do poder municipal!

Tira esse malandro do governo estadual!

Tira esse malandro do governo federal!

Tira a grana deles e aumenta o meu salário!

 

“- Tá vendo essa mansão sensacional?

Comprei com o dinheiro desviado do hospital.

– Ah! E o meu cofre cheio de dólar?

É o dinheiro que seria pra fazer mais uma escola.

– Precisa ver minha fazenda! Comprei só com o dinheiro da merenda!

– E o meu filhão? Um milhão só de mesada!

E tudo com o dinheiro das crianças abandonadas.

– E a minha esposa não me leva à falência

Porque eu tapo esse buraco com o rombo da Previdência.

– Vossa excelência, cê não viu meu avião?

Comprei com uma verba que era pra construir prisão!

– E a superlotação?

– Problema do povão! Não temos imunidade? Pra nós não pega não.”

 

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega

Pega, pega ladrão!

A miséria só existe porque tem corrupção!

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega

Pega, pega ladrão!

Tira do Poder, Bota na prisão!

 

A miséria só existe porque tem corrupção

Desemprego só aumenta porque tem corrupção

Violência só explode porque tem tanta miséria e desemprego

Porque tem tanta corrupção!

 

“Todos que me conhecem sabem muito bem que eu não admito

O enriquecimento do pobre e o empobrecimento do rico.”

 

E você, que nasceu nesse país

E que sonha e que sua pra ser feliz

Você presta atenção no que o candidato diz?

Ou cê vota em qualquer um, seu babaca?

E depois da eleição você cobra resultado?

Ou fica ai parado de braço cruzado?

Cê lembra em quem votou pra deputado?

E quem você botou lá no Senado?

 

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega

Pega, pega ladrão!

A miséria só existe porque tem corrupção!

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega!

Pega, pega ladrão!

Pega, pega

Pega, pega ladrão!

Tira do Poder, Bota na prisão!

 

“- Como vocês suspeitavam, eu realmente vi essa lista.

Eu vi, mas não li. E digo mais, eu engoli.

Pra que ninguém lesse também. E foi com a melhor das intenções.

Burlei a Lei, mas com toda honestidade!

– Vossa Excelência engoliu a lista?

– Bem, eu a coloquei para dentro do meu organismo,

Num lugar seguro e escuro. De modo que pra todos os efeitos,

Sendo assim desta maneira, eu me reservo ao direito

De não dizer nada mais. Tá tudo publicado nos anais.

– Mas ontem o senhor falou que não viu a lista.

Hoje o senhor fala que viu a lista. E amanhã o senhor…

– Ah! Amanhã ninguém lembra mais!

E o caso da lista vai entrar prá lista dos casos,

Os casos que ficaram pra trás…”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s