Imigração para a América

Map of the world showing which countries that traffic in humans to the U.S.; map shows how individual countries comply with anti-trafficking laws. The Kansas City Star 2009

Diogo Bercito (FSP, 09/03/17) avalia que as primeiras semanas do governo de Donald Trump, nos Estados Unidos, foram marcadas pelo recrudescimento à migração e pelo veto à entrada de cidadãos vindos de países muçulmanos. Como relatou a correspondente Isabel Fleck, entre as decisões mais polêmicas tomadas pelo republicano está a de autorizar a deportação “expressa” para imigrantes ilegais que não consigam comprovar que vivem no país de maneira contínua por ao menos dois anos. As novas regras preocupam brasileiros que moram nos EUA — cerca de 1,4 milhão de pessoas, segundo o Itamaraty.

A rigidez dessas normas contrasta com a imagem tida dos EUA como um país formado por migrantes em busca de liberdade e de novas oportunidades. Uma imagem, aliás, repleta de contradições, como a vinda forçada de milhões de escravos e a restrição à entrada de raças consideradas inferiores em determinados momentos. O site http://www.vox.com/ em Immigration in America Maps reuniu nesta semana 37 mapas detalhados que explicam essa história. Quatro deles estão expostos a seguir.

Um projeto do Migration Policy Institute mapeia a população de imigrantes e emigrantes por país a partir de dados do governo americano. Ao selecionar os Estados Unidos, é possível constatar que o país recebeu pessoas de todo o mundo — a globalização da migração ao país foi intensificada a partir de 1965, com a substituição das cotas então vigentes, que privilegiavam migrantes europeus.

Origem de imigrantes nos EUA. Crédito Migration Policy Institute

Um relatório de 2013 da ONU estimou que 19,8% dos imigrantes internacionais vivem nos EUA. O mapa abaixo, do Worldmapper, distorce a representação a partir de quantos imigrantes moram em cada país — quanto mais inflado, maior o número. A imagem pode ser contrastada com este outro mapa distorcido a partir da população total.

Mapa distorcido a partir da população de imigrantes. Crédito Worldmapper

As políticas migratórias dos Estados Unidos privilegiavam, entre a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e 1965, imigrantes brancos, congelando a demografia do país. Alemães eram os principais imigrantes no país até a década de 1960, quando passaram a ser substituídos por mexicanos. A tendência está evidente nestes dois mapas:

Origem de imigrantes nos EUA. Crédito Pew Research Center

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s