Interpretações do Brasil Urbano-Industrial: Castas dos Guerreiros e Mercadores X Casta da Aristocracia Oligárquica Regional

O livro A Revolução Burguesa no Brasil de autoria de Florestan Fernandes foi publicado em 1974, sendo pouco entendido por causa de seu hermetismo teórico-metodológico. Seja para o mal (academicismo), seja para o bem (rigor científico), demarca a entrada no debate político brasileiro da casta de sábios-universitários, isto é, docentes de um Ensino Superior um pouco mais massificado em comparação com a elite formada outrora no exterior.

Florestan, em sua “Sociologia histórica de longa duração” sobre a revolução burguesa no Brasil, analisa a particular configuração histórica  de um processo que é, simultaneamente, econômico, político, social, cultural e se estende até à estrutura da personalidade e às formas de condutas individuais. Esse processo multidimensional ocorre em múltiplas escalas e com diversas interconexões entre seus componentes. Reconstruir esses níveis de análise nas suas diferenças e nas suas articulações em cada fase do processo é a principal tarefa de sua análise. Continue reading “Interpretações do Brasil Urbano-Industrial: Castas dos Guerreiros e Mercadores X Casta da Aristocracia Oligárquica Regional”

Percepções e Valores Políticos nas Periferias de São Paulo

A mais recente polêmica nas redes sociais diz respeito à pesquisa Percepções e valores políticos nas periferias de São Paulo, produzida e divulgada pela Fundação Perseu Abramo. Sites e institutos conservadores, assim como usuários das redes com esta orientação, comemoraram o fato de que nas periferias a população manifesta uma preferência por valores liberais. A FPA considera que é uma boa oportunidade para o debate e publicar uma série de pontos de vista e considerações acerca do que foi aferido pela pesquisa. Reproduzo abaixo um artigo de meu ex-aluno no doutorado do IE-UNICAMP.

Nova classe trabalhadora é contra aumento de impostos, mas reconhece a importância dos serviços públicos

Por William Nozaki* Continue reading “Percepções e Valores Políticos nas Periferias de São Paulo”

Ernani Torres: Visão Endógena de um Economista do BNDES

ernani-torres

Ernani Teixeira Torres Filho (Rio de Janeiro, RJ, 1955) é graduado em Economia pela Faculdade de Ciências Econômicas da UFRJ (1977), mestre (1982) e doutor (1991) em Economia pela mesma instituição, é professor associado do Instituto de Economia (IE) da UFRJ. Em 1976 prestou concurso para o BNDES, instituição da qual foi superintendente e aposentou-se em 2011. É coautor comigo de um artigo sobre o BNDES publicado no número especial da revista Economia & Sociedade e como Texto para Discussão no IPEA.

Em entrevista concedida aos pesquisadores Gloria Maria Moraes da Costa (coordenadora), Hildete Pereira de Melo e Victor Leonardo de Araújo, no livro “BNDES: Entre o Desenvolvimentismo e o Neoliberalismo (1982-2004)” (Rio de Janeiro: CICEF, 2016), ele afirma que a percepção do BNDES junto aos empresários é muito boa.

“É uma instituição confiável, o que não é comum entre instituições estatais. O BNDES não é uma instituição comum nos governos e na experiência capitalista ocidental. Não é à toa que, quando você comparar, vai ver que os asiáticos (os chineses, os japoneses) são os únicos que têm algo parecido com a gente. Na América Latina? Esqueça. Continue reading “Ernani Torres: Visão Endógena de um Economista do BNDES”