Distribuição Regional da Riqueza Financeira

Estatísticas do Varejo em Dezembro de 2016 publicadas pela ANBIMA:

Defendo uma tese a respeito da concentração regional do sistema financeiro brasileiro: embora a captação do funding no mercado seja concentrada na Grande São Paulo, daí não decorre, necessariamente, o agravamento da concentração regional do crédito. Isto era o que previam diversos economistas pós-keynesianos, para esta década, baseados no equivocado conceito de preferência pela liquidez bancária e/ou aversão ao risco de emprestar para a periferia regional.

Por mais que editores e/ou pareceristas “cegos” de revistas acadêmicas rejeitem o falseamento de hipóteses de seus colegas, em um mecanismo de defesa corporativista, as estatísticas comprovam o que a análise institucionalista sugere: as instituições financeiras públicas federais – Banco do Brasil, Caixa, BNDES, BNB, BASA, Banrisul, Banestes, etc. – desfazem o que as privadas fazem: concentração do crédito com base em expectativas de mercado. Aquelas operam tendo por finalidade atender às políticas públicas. Continue reading “Distribuição Regional da Riqueza Financeira”

Estratificação Social pela Riqueza Financeira Per Capita

Terrae Brasilis é o lugar da “carteirada” tipo “o senhor sabe com quem está falando”?!

É também o lugar onde “o esnobe come angu e arrota peru”. E a auto proclamada “gente de bem”, de sua varanda “gourmet”, bate panela vazia (sic) “Le Creuset”…

Contra esse cinismo social vamos dimensionar de que essa gente está falando: é de riqueza financeira? Pelas Declarações do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física 2015, ano-calendário 2014, deixando desagregados apenas os estratos 5%, 1% e 0,1% mais ricos, é possível verificar a concentração da renda e riqueza de forma mais detalhada: os 5% mais ricos detêm 28% da renda total e da riqueza, sendo que o 1% dos declarantes mais ricos acumulam 14% da renda e 15% da riqueza. Os 0,1% mais ricos detêm 6% da riqueza declarada e da renda total.

Em 2015, o universo de declarantes foi de 26,7 milhões. Isso significa que 0,1% dessa população, que corresponde a 26,7 mil pessoas, acumulam 6% de toda a renda e riqueza declarada no IRPF no Brasil. Então, não se justifica a autossuficiência. Elas dependem da exploração do valor adicionado pelos demais. Continue reading “Estratificação Social pela Riqueza Financeira Per Capita”