Mito da Racionalidade em Decisões de investimento Financeiro

Decidir sobre alternativas de investimentos, tamanho dos aportes e prazos não é tarefa das mais simples. Diferentemente do que se pensa, os aspectos racionais têm relevância limitada no processo de escolha. As armadilhas ao tomar decisões de investimentos foram tema da palestra de Aquiles Mosca, presidente do Comitê de Educação de Investidores, no seminário “Como Investir em Você”, evento paralelo ao 9º Congresso de Fundos de Investimentos da ANBIMA.

“Se a hipótese de que somos animais totalmente racionais fosse verdade, o mercado seria equilibrado, o que não é verdade. Há apenas uma certa racionalidade o que gera imperfeições e, portanto, oportunidades para ganhos”, resumiu Mosca, lembrando que as teorias econômicas não explicam 75% das decisões financeiras.

Continue reading “Mito da Racionalidade em Decisões de investimento Financeiro”

Relação das Pessoas com Dinheiro

Despreocupado. Camaleão. Construtor. Sonhador. Planejador. Esses são os cinco perfis identificados em pesquisa conduzida pela ANBIMA e pela consultoria Na Rua sobre a relação das pessoas com dinheiro. Foram entrevistadas mais de 400 pessoas em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife ao longo de quatro meses. Desse total, 25 pessoas foram acompanhadas durante um dia inteiro para que os pesquisadores pudessem conhecer sua vida e suas relações.

O mote principal foi entender a trajetória das pessoas para depois compreender suas relações com o circuito financeiro. “O relacionamento com dinheiro é apenas mais um desdobramento da vida das pessoas. Para saber porque poupamos pouco, temos que entender quem somos”, falou Aquiles Mosca, presidente do Comitê de Educação de Investidores da ANBIMA.

A pesquisa faz parte de um trabalho inicial para entender por que os brasileiros investem pouco e foi apresentada durante o 9º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento, realizado em São Paulo nos dias 10 e 11 de maio de 2017.

Uma das dinâmicas da pesquisa foi fazer curvas com os principais momentos das pessoas. A partir dos picos que simbolizavam esses momentos vieram os aprendizados. “A curva agrupa pessoas e a partir disso começamos a entender alguns perfis. Foram entrevistados executivos, donas de casa, jovens, aposentados, estagiários, entre outros”, disse Bruno Azevedo, planejador estratégico da consultoria Na Rua. Os cinco perfis aparecem em todas as classes sociais e trazem não apenas desafios para a comunicação da indústria, mas também oportunidades.

Confira cada um deles: Continue reading “Relação das Pessoas com Dinheiro”

Conversa sobre Economia da Felicidade e Boa Vida

Convidaram-me para um bate-papo, tipo “conversa de botequim” no bom sentido coloquial, quando cientistas debatem à vontade com a plateia sobre sua fronteira de conhecimento. A programação das 22 cidades participantes no Brasil — o Pint of Science é internacional — já se encontra no site oficial do evento: www.pintofscience.com.br.

O Pint of Science começará com uma apresentação informal – sem PowerPoint – de cerca de 30 minutos sobre as seguintes questões: Trabalhar para produzir ou produzir para trabalhar? Felicidade se produz?

A apresentação para cada tema não ultrapassará os 30 minutos para que todos os ouvintes possam participar, ativamente, com perguntas.

Alguns lembretes e orientações:
Data: 17/05/2017
Horário de chegada: 19h
Local: Echos Studio Bar – Rua Agostinho Pattaro, 54 (rua da Praça do Coco) – Barão Geraldo – Campinas
  • O espaço é climatizado e comporta aproximadamente 100 pessoas.
  • Previsão de término do evento às 22h30.
  • José Dilcio Rocha, na mesma seção, falará sobre o seguinte assunto: A segurança energética assim com a segurança alimentar são prioridades para a manutenção da qualidade de vida e igualmente na busca por sua melhoria. A questão energética passa por usos de energia renovável crescente e pela universalização desse importante serviço. Vamos apresentar quais são as fontes de energia renováveis e não-renováveis, seus prós e contras e como o Brasil se mostra no contexto mundial com sua matriz energética. O que cada cidadão pode fazer para tornar o planeta uma casa mais habitável!