Palavras

Como Escrever Bem, livro de autoria de William Zinsser, publicado em 1976, finalmente, em 2017, foi traduzido pela Editora Três Estrelas. Continuo apresentando minhas anotações de sua leitura.

Evite jargão, seja jornalês, seja economês. É uma mistura de palavras vulgares, palavras inventadas e chavões tão difundidos que dificilmente um escritor consegue evitar seu uso inconsciente ou fácil.

Para não ser um escrevinhador qualquer, combata esses lugares-comuns. Você nunca deixará a sua “marca no mundo” como escritor se não desenvolver respeito pelas palavras e uma curiosidade quase obsessiva em relação aos vários matizes de seus significados.

Eu adoro dicionários, especialmente, os etimológicos! De onde vêm as palavras?

O que é jornalês ou economês? É uma colcha de palavras correntes remendada com outras de outros discursos. Pior é quando mistura ambos: o jornalês com economês… Argh… Tome um “crescimento robusto” com “um apetite para conquistar uma fatia” de O Mercado… Parece que o escrevinhador está em uma pizzaria.

Evite uma situação dessas dando uma atenção profunda às palavras. A disputa, na escrita, não é pelo primeiro lugar, mas pela originalidade.

Adquira o hábito de ler o que se escreve, atualmente, e o que foi escrito pelos antigos mestres. Compare. Escrever é algo que se aprende por imitação.

Aprenda a escrever lendo autores que produziram textos que você gostaria de ter escrito. Tente imaginar o que eles escreveriam em seu lugar, mas inove por si só. Cultive os melhores modelos. Mas seja original, não copiando – ou psicografando – o outro imaginado.

“Os autores que usam clichês frequentemente trabalham para editores que já viram tanto clichês que nem mesmo os identificam mais”.

Adquira o hábito de usar dicionários. Se você tem alguma dúvida sobre o significado de uma palavra, consulte os dicionários: http://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/

Aprenda sua etimologia – etimologias não são definições, são explicações sobre como nossas palavras surgiram e o que significavam.

http://origemdapalavra.com.br/site/

https://www.dicionarioetimologico.com.br/

No mínimo, a consulta a dicionários poupa o tempo que você gastaria para vasculhar seu cérebro – fora seu viés heurístico de representatividade – à cata da palavra exata que está na ponta de sua língua, mas que você não consegue dizer.

Ao escolher e ordenar as palavras, leve em conta também sua sonoridade. Aspectos como ritmo e aliteração – repetição dos mesmos fonemas no início de várias palavras na mesma frase ou verso, a fim de obter efeito estilístico – são essenciais para cada frase. Leia em voz alta o que escreveu. Como soou?

Bons prosadores precisam ser um pouco poetas, sempre ouvindo aquilo que escrevem. Gostam de saborear (com o ouvido) a conformação que as palavras adquirem ao formatarem uma sentença.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s