Milionários “Poupadores” e “Investidores” em Automóvel: Maus Exemplos de “Bons Clientes”

Danielle Brant (FSP, 23/10/17) publicou reportagem sobre um aparente mistério de irracionalidade sem esclarecer o perfil dos clientes milionários que investem em caderneta de poupança. Qual é a faixa etária? Será que é ainda o trauma do “confisco da poupança” pelo Collor há ¼ de século?! O argumento é que “um novo confisco de depósitos de poupança por O Governo criaria uma grande tensão social”?!

Estamos vivendo sob o império da burrice. Na rede social — e na vida pública –, se perdeu o pudor de demonstrar a ignorância, pois sempre se acha algum ignorante que concorda consigo. É o viés heurístico da auto validação ilusória.

Além de abrir mão de um ganho maior, quem deixa mais de R$ 1 milhão na caderneta ainda tem que lidar com o risco de perder parte do dinheiro em caso de quebra da instituição financeira em que os recursos estão. O FGC (Fundo Garantidor de Créditos) assegura depósitos até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira. No caso de quem tem mais que R$ 1 milhão, seria necessário dividir os valores em bancos diferentes para contar com a garantia integral do FGC. Leia: FGC Censo 2016 e FGC-06.2017. Continue reading “Milionários “Poupadores” e “Investidores” em Automóvel: Maus Exemplos de “Bons Clientes””