Escolha de Valores Éticos Profissionais

Cada empresa tem uma motivação e uma identidade específica. Uma empresa se destaca das outras não só pela sua área de atuação, mas também pelo claro desenvolvimento e divulgação da sua missão, visão e valores. Por exemplo, a Caixa busca ir além de ser um banco, mas ser uma instituição para todos os brasileiros, promovendo a inclusão social e trabalhando para atender com a mesma atenção todos os cidadãos. Ao contribuir significativamente para melhorar a vida das pessoas, principalmente as de baixa renda, o servidor público da Caixa cumpre uma missão social.

Assim, os valores de uma empresa consistem em comportamentos determinantes da forma de sua gestão. Uma empresa sustentável em longo prazo costuma estar alicerçada em valores como honestidade, responsabilidade social, integridade, inovação, sustentabilidade, transparência, inspiração, flexibilidade, entre outros.

Essas normas e princípios devem ser passados como exemplos dos superiores hierárquicos para outros trabalhadores da empresa, de modo a atenderem à demanda social. Os valores éticos de uma empresa são uma parte crucial da sua cultura organizacional.

Na vida em sociedade, os valores morais são essenciais. Ditam os comportamentos individuais, a forma de interação entre seus membros, e daí a emergência de certa ordem no cotidiano social. Os valores sociais estão focados no desenvolvimento da cidadania, a partir de direitos e deveres de modo a melhorar a vida em sociedade.

Partindo do conceito da ética, os valores éticos são princípios comportamentais. Não se limitam apenas às normas, costumes e tradições culturais de uma sociedade (valores morais), mas também procuram se focar nas características compreendidas como essenciais para o melhor modo de viver ou agir em sociedade de modo geral.

A palavra “ética” vem do Grego “Éthos”. Significa “modo de ser” ou “caráter”. Já a palavra “moral” tem origem no termo latino “morales”. Significa “relativo aos costumes”.

Éthos é o conjunto dos costumes e hábitos fundamentais, no âmbito do comportamento (instituições, afazeres etc.) e da cultura (valores, ideias ou crenças), característicos de uma determinada coletividade, época ou região. Cada casta tem seu Éthos.

Casta é um sistema tradicional e hereditário de estratificação social, com base em classificações como a etnia cultural, a religião, a ocupação profissional. No caso, nos interessa esse último critério: o exame das castas profissionais.

Analiso a desigualdade social brasileira sob o ponto de vista da apropriação de renda e riqueza pelas castas ocupacionais. Para isso, classifico as 132 ocupações principais dos declarantes de imposto de renda em cada uma das seis castas básicas. Uso como fonte de dados os Grandes Números DIRPF 2017 Ano Calendário 2016, publicados pela Receita Federal. Adoto critérios de valores morais para avaliar se o posicionamento nesse ranking se relaciona com seus posicionamentos ideológicos.

As castas dos oligarcas governantes e sábios tecnocratas recebem os maiores rendimentos. Estas e as castas dos mercadores ganham quase o dobro ou mais que as demais castas.

Em patrimônio líquido, a dos mercadores supera todas, é quase o dobro em relação ao das castas dos sábios, sete vezes maior em relação a guerreiros e trabalhadores. Só os oligarcas governantes e sábios tecnocratas têm riqueza média per capita próxima da deles.

Retomando o conceito da ética pública, os valores éticos são princípios não limitados apenas às normas, costumes e tradições culturais de uma sociedade (valores morais), mas também procuram se focar nas características compreendidas como essenciais para o melhor modo de viver ou agir em sociedade de modo geral. Ser membro do aparelho do Estado, portanto, exige a renúncia às vantagens privadas em favor do bem comum e da coisa pública – essa abstenção pessoal é uma abnegação.

A República exige essa disposição ao sacrifício. Nela há supremacia do bem comum sobre qualquer desejo particular de ter. O servidor público tem de adotar a ideia de dever em vez da meta individualista e exclusiva de enriquecer a qualquer custo.

Boa parte dos servidores públicos tiveram uma formação universitária. Seus valores sociais estão focados nos direitos e deveres da cidadania para ajudar a melhorar a vida em sociedade.

Estudar é obrigação da cidadania, por isso, universitários prezam, acima de tudo, o reconhecimento de mérito na vida profissional. O ranking de renda e riqueza da casta dos sábios-universitários demonstra mais a demanda social por prestação de serviço por parte de cada profissional face ao número limitado deles com ensino de nível superior.

Em síntese, a renda do trabalho do universitário depende, essencialmente, de si e do plano de carreira profissional da instituição onde exerce seu ofício. Se adota a meritocracia, é um sistema ou modelo de hierarquização e premiação baseado nos méritos pessoais de cada indivíduo. O significado literal de meritocracia seria “poder do mérito”.

De acordo com essa definição, o processo de mobilidade profissional e social é uma consequência dos méritos individuais de cada pessoa, ou seja, dos seus esforços e dedicações. As posições hierárquicas estariam condicionadas às pessoas com os melhores valores educacionais, morais e aptidões técnicas ou profissionais específicas e qualificadas em determinada área de atuação.

Busque fazer seu melhor para ter seu mérito reconhecido. Daí, talvez, o dinheiro vai atrás de você. Quem vai gastá-lo quer o melhor pelo seu dinheiro.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s