Indignados Contra Boçalnazi: #elenão

   

Ontem, dia 29 de setembro de 2018, dentro da multidão no Largo do Batata em São Paulo, senti a sensação de participar de um ato histórico em nome da democracia contra o fascismo à la brasileira.

Já participei de muitas manifestações massivas desde a luta contra a ditadura militar. A primeira foi na em frente ao TUCA-PUC-SP em 1977: a indignação da multidão contra prisão de estudantes transbordou o âmbito universitário e foi “prá rua” sob sobrevoos ameaçadores de helicópteros da tropa de Erasmo Dias.

Fui a inúmeras manifestações na Cinelândia e passeatas na Avenida Rio Branco no Rio de Janeiro quando surgiu o PT. Mas a inesquecível foi a maior da história política da cidade: o comício contra o regime militar e a favor das Diretas Já! A imensa avenida Presidente Vargas ficou lotada por quilômetros.

Ontem, no meio da manifestação, não dava para ter uma vista panorâmica. Mas, circulando com dificuldade em torno da grande aglomeração, percebi sua imensidão. Melhor ainda: sua diversidade. Vi gente de todos os gêneros, idades, etnias, classes sociais e, destacadamente, os homossexuais, transexuais e demais minorias em luta. De cara, presenciei os estandartes e gritos dos membros da Ação Judaica Antifascista.

Mas o mais marcante foram as mulheres: muitas, mas muitas mesmo mulheres. Foi a mais bela manifestação feminina da história do Brasil! Amo as mulheres, #elenão…

O belo da multidão é agir com espontaneidade: seu comportamento é original, simples e verdadeiro. A presença de cada um era um ato político. Participava de uma ação coletiva com consciência histórica e a sensação de pertencimento a uma grande comunidade de indignados contra o apoio de parte da sociedade à truculência, violência e estupidez humana.

 

PARÓDIA FULERAGEM

A mulherada é de luta

Defende a diversidade

Se organiza e vai pra rua com a Manu e o Haddad

A mulherada tá na rua pra lutar por igualdade

A mulherada tá na rua pra lutar por liberdade

O Bolsonaro vai pra baixo

E elas vão para cima

Vai Bozo pra baixo vai

Elas pra cima (2X)

 

PARÓDIA MARCHINHA SÓ DÁ ELA

Por mais democracia

E pelas nossas vidas

Bolsonaro não #elenão!

O machismo vou combater

Mulheres no poder!

 

PARÓDIA ELA NÃO ANDA ELA DESFILA

Ele é fascista, ele é machista

Ele mente, ele é racista

É sem controle, não sabe conversar

Com o ódio que tem do povo

não serve para governar

 

PARÓDIA BAILE DA FAVELA

Ele veio quente, nós já tá fervendo (2X)

Quer desafiar não tô entendendo

Mexeu com as mulheres, você vai sair perdendo

Feminismo é resistência e luta

Negras e negros com força na luta

LGBTs vem colorindo a luta

Bozo se prepara que as mulheres tão na rua!

 

PARÓDIA GLAMUROSA

Bolsonaro, machista oportunista

Não te elejo, não voto em fascista

As mulheres se organizam e botam pressão

Contra os fascismo, contra toda opressão

 

PARÓDIA BUMBUM GRANADA

Mulherada organizada

Combatendo o machismo

Destrói o patriarcado

Na luta contra o fascismo

As mina são fora Bozo

E gritam com muita garra

Sai bozo

Vaza Vaza Vaza Vaza

 

PARÓDIA BUMBUM MAIS BATE

Nossa que delícia

A mulherada é de luta (2X)

Virou disputa

Contra o Bolsonaro

As mulheres lutam (4X)

Machismo, fascismo

Mulheres derrubam (2X)

Com Manu e Haddad tomamos as urnas (4X)

 

BOLSONARO NÃO

Bolsonaro nããão Bolsonaro não

Tô com Haddad e Manuela

Pra vencer essa eleiçããão

 

PARÓDIA CHUPA XXT

Vem contra o Bozo

Mulher na rua

Pra eleger Manu e Haddad

A mulherada

Feliz de novo

Lutando por liberdade

 

GRITOS DE ORDEM

 

Mulheres contra o fascismo!

Mulheres contra o capital!

Mulheres contra o machismo e o capitalismo neoliberal!

 

Sou feminista, não abro mão

De derrotar fascista na eleição

 

Eu já falei, vou repetir

Nessa eleição o Bolsonaro vai cair

 

Se cuida, se cuida, se cuida seu machista

A América Latina vai ser toda feminista

 

PARÓDIA BELLA CIAO

 

Uma manhã eu acordei e ecoava

“Ele não, ele não, ele não não não”

Uma manhã eu acordei

E lutei contra o opressor

 

Somos mulheres em resistência

Por um Brasil sem fascismo e sem horror

 

Vamos à luta para derrotar

O ódio e pregar o amor

 

Vamos à luta pra derrotar

O ódio e pregar o amor

Veja e escute o original hino da resistência italiana contra o fascismo:

Confira a razão das mulheres brasileiras gritarem juntas: #EleNão! #EleNunca!

“Manifesto das Mulheres Unidas contra Bolsonaro

Por igualdade, liberdade, direito e uma vida sem violência!

Quem somos?

Somos mulheres, milhões e diversas. Somos brasileiras e imigrantes. Jovens e de cabelos brancos. Negras, brancas, indígenas. Trans e travestis. Somos LGBTs, amamos homens, mulheres ou ambos. Casadas e solteiras. Mães, filhas, avós. Somos trabalhadoras, donas de casa, estudantes, artistas, funcionárias públicas, pequenas empresárias, camelôs, sem teto, sem terra. Empregadas e desempregadas. Mulheres de diferentes religiões e sem religião.

Estamos, hoje, juntas e de cabeça erguida nas ruas de todo o Brasil porque um candidato à presidência do país, com um discurso fundado no ódio, na intolerância, no autoritarismo e no atraso, ameaça nossas conquistas e nossa já difícil existência. Estamos na rua porque seu programa político econômico é um retrocesso, uma reprodução piorada das políticas terríveis do Temer.

Quem é Jair Bolsonaro?

Jair Bolsonaro, atualmente do PSL, Deputado Federal há 27 anos, já foi filiado a 9 partidos e teve apenas dois Projetos de Lei aprovados em toda sua vida política.  Ele se apresenta como algo “novo” mas, é, na verdade, mais um “político de carreira” que trabalhou para eleger seus filhos e usufrui de privilégios, como o imoral auxílio moradia, enquanto milhares de famílias estão sem teto e lutam por um lugar digno para morar.

Porque somos contra Bolsonaro?

1. Jair Bolsonaro despreza negros, indígenas, homossexuais e todas as que lutam em defesa dos direitos das mulheres. Considera quilombolas “vagabundos”. Faz apologia à cultura do estupro. Diz que o nascimento de sua única filha mulher foi uma “fraquejada”. Insiste que não há nada a fazer quanto à diferença salarial entre homens e mulheres. Para ele, dar “porrada” em meninos impede que eles “se tornem” gays. Seu vice na chapa, o General Mourão, declarou que famílias criadas por mães e avós são fábricas de desajustados;

2.  Votou a favor do congelamento dos gastos com saúde, educação e assistência social por 20 anos. Promete aumentar impostos sobre os pobres e reduzi-los para os ricos. Já anunciou uma onda de privatizações, vendendo as estatais e todo patrimônio do povo brasileiro. É um dos autores do Projeto de Lei que defende que o SUS não é obrigado a atender mulheres vítimas de abuso sexual. É apoiador do projeto “Escola sem Partido”, que acaba com a liberdade pedagógica e com o desenvolvimento do pensamento crítico em relação à sociedade caótica que vivemos.

3. Votou a favor da Reforma Trabalhista e da Lei das Terceirizações, responsável por permitir que grávidas realizem trabalhos insalubres, pelo aumento do desemprego e do trabalho informal, em especial entre as mulheres negras. Já disse que “os trabalhadores devem escolher entre ter direitos e ter empregos”. Foi o único deputado a votar contra a PEC das domésticas, que garantiu às empregadas direitos trabalhistas básicos como o pagamento de hora extra e o recolhimento de FGTS. Já se comprometeu a aprovar a Reforma da Previdência, que aumenta a idade para se aposentar e iguala a idade entre mulheres e homens;

4. Defende o aprofundamento de um projeto de segurança pública falido, que trata violência com mais violência e militarização. Projeto que é implementado há muitos anos no Brasil, em especial no Rio de Janeiro, cidade onde mais morre civis e policiais em confrontos e onde Marielle Franco e Anderson foram executados há mais de 6 meses, crime ainda sem respostas. Defende a liberação do porte de armas, seguindo o modelo dos EUA, país que tem os maiores índices de homicídio e suicídio, em especial entre jovens;

5. Tem como candidato à Vice, um General que defende a tomada do poder pelas Forças Armadas e a elaboração de uma nova Constituição sem participação popular. É uma chapa que coloca, declaradamente, a democracia em risco!

Jair Bolsonaro é defensor da Ditadura Militar, afirmou que o erro dos militares foi torturar em vez de matar e não esconde sua admiração ao mais notório torturador do regime militar de 1964, o General Ustra.

Não queremos ditadura ou fascismo nem a ampliação da matança policial-militar nas ruas responsável pelo genocídio da juventude negra. Queremos liberdade, igualdade, justiça social e direitos! Bolsonaro é tudo que o Brasil não precisa para superar a crise e avançar.

Nós, mulheres diversas e unidas, defendemos o oposto do que ele prega: defendemos o respeito às diferenças; o direito das mulheres de viverem seguras e decidirem sobre o seu próprio corpo; defendemos salários iguais entre homens e mulheres, entre negros e brancos; defendemos cotas para os que foram historicamente injustiçados e prejudicados; defendemos serviços públicos com qualidade para as mulheres pobres e seus filhos.

Defendemos a mais ampla liberdade de ensinar e de aprender, sem lei de mordaça, seja na escola, ou na Universidade.

Defendemos que as pessoas sejam livres para amar e sejam respeitadas por isso. Defendemos o debate de ideias e a democracia.

Ele prega o ódio, nós pregamos o respeito. Ele defende a morte e a tortura, nós defendemos a vida.

Por isso dizemos: Ele Não! Nem os filhos! Bolsonaro Nunca! Fascismo não!”

1 thought on “Indignados Contra Boçalnazi: #elenão

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s