Discurso da Servidão Voluntária dos Economistas a O Mercado

Binyamin Appelbaum, autor de “Hora dos Economistas” [The Economists’ Hour: How the False Prophets of Free Markets Fractured Our Society], publicado em 2019, afirma: os economistas conservadores tinham uma relação mais complicada com o conservadorismo social da “direita religiosa” e com os opositores dos direitos civis das minorias. Alguns dos mais importantes defensores da fé nos mercados, notadamente Milton Friedman, vítima de discriminação antissemita em sua própria carreira acadêmica, argumentaram: os grupos minoritários deveriam adotar a competição por méritos nos mercados como a melhor defesa disponível contra a perseguição majoritária.

Em mercados perfeitos é mais fácil para acomodar diversas necessidades e preferências, inibindo a discriminação de qualquer outra forma além da não capacidade de pagamento, i.é, restrição orçamentária. Friedman, e outros economistas importantes, também expressaram opiniões capazes de espantar os conservadores sociais, incluindo apoio à imigração, legalização de drogas e direitos dos gays.

Muitos sociólogos conservadores hesitaram sobre a campanha presidencial de 1964 do libertário Barry Goldwater. Muitos economistas conservadores foram afetados pela agenda racista da campanha presidencial de George Wallace em 1968.

No entanto, na década de 1970, os dois campos – as áreas de conhecimento da Sociologia e da Economia – haviam encontrado um pedaço de terreno comum suficiente: conservadores sociais temiam por seus valores morais e conservadores econômicos temiam por seus valores de propriedade, ambos se sentiam profundamente ameaçados pela expansão do governo.

Líderes religiosos sintetizaram as duas correntes do conservadorismo, caracterizando a busca da riqueza como um empreendimento moral. Um pastor evangélico chamou sua igreja de “shopping para Deus” e disse a seus seguidores: “Você tem o direito ordenado por Deus de ser rico”. A Teologia da Prosperidade contamina todo o mundo ocidental.

O conservadorismo se tornou uma coalizão de poderosos, defendendo o status quo contra ameaças reais e imaginárias. Essa coalizão era crucial na geração de apoio político suficiente para políticas orientadas para O Mercado.

Para os conservadores sociais, no entanto, os resultados foram confusos. A virada para autorregulação dos mercados fez dos Estados Unidos uma sociedade mais diversificada e permissiva, mas também limitou a velocidade e a magnitude dessas mudanças culturais e econômicas. A priorização da eficiência e do crescimento econômico forneceu uma justificativa de valor neutro para resistir a políticas redistributivas e programas de bem-estar. E a discriminação econômica — não apenas tolerada, mas celebrada — era em si um proxy poderoso e durável para outras formas de discriminação.

Os economistas iniciaram uma mudança no discurso público de concursos entre grupos para transações entre indivíduos. Os economistas retratavam a sociedade como uma “planície igualitária”, onde empresas e trabalhadores, por exemplo, interagiam em termos uniformes. As pessoas foram reimaginadas como plenamente informadas e capacitadas, mestres de seus próprios destinos. O que deveria ser se tornou o que é na mente abstrata de economistas mal (in)formados.

O gráfico mais icônico da economia ilustra a relação entre oferta e demanda e mostra um par de linhas curvas cruzando em um X em um campo desprovido de história ou contexto. A importância do mercado de ações, talvez a coisa mais próxima de um exemplo real de mercado de livros didáticos, ajudou a consolidar a visão popular de O Mercado como cruel, mas justo, um estereótipo contra os esforços para tornar o mundo real um pouco menos injusto.

Se uma família negra tomava um empréstimo hipotecário subprime, a visão do mercado não considerava os pais e avós terem sido incapazes de gerar riqueza, ou os principais credores se recusarem a fazer empréstimos na vizinhança ou o quão difícil era encontrar e manter empregos capazes de pagar salários decentes. A visão do mercado era um mutuário e um credor terem feito um acordo justo, simplesmente, porque ambos esperavam se beneficiar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s