Estímulo Econômico para Retomada do Crescimento dos Estados Unidos

The Economist (6/2/21) pergunta e responde: “Public Debt: How Much is too Much?

A economia dos Estados Unidos se recuperará mais rapidamente da pandemia do que seus pares do mundo rico, prevê o FMI. Não porque controlou a propagação de doenças – não o fez -, mas principalmente por causa de seu enorme estímulo econômico, que aumentou a renda familiar em mais de 6% em 2020, mesmo quando a taxa de desemprego atingiu um pico próximo a 15%. 

Antes de Joe Biden se tornar presidente, o Congresso já havia gasto US$ 4 trilhões para combater a crise. Agora ele propõe US$ 1,9 trilhão a mais para gastos emergenciais. Isso levaria o total a mais de 25% do PIB em 2019. Os republicanos acham isso muito. Um grupo de senadores do partido fez uma contraoferta de um plano de cerca de US$ 600 bilhões (ver artigo).

O tamanho certo para a conta não tem o melhor julgamento de cima para baixo. Os Estados Unidos não estão em uma recessão normal possível de ser melhor resolvida por uma redução calibrada dos gastos do governo. 

Nenhuma quantidade de injeção reabrirá totalmente restaurantes, boates e escritórios, enquanto o vírus continuar prevalecendo – nem isso seria desejável. O governo deve, em vez disso, combater a crise de baixo para cima.

O Congresso deveria gastar tudo o que for necessário com vacinas e com a reposição da renda dos trabalhadores. Eles estão sofrendo com a crise. Eles perderam seus empregos sem culpa própria. Se suas rendas entrassem em colapso, eles reduziriam seus gastos, espalhando a dor para o resto da economia. Estender um generoso acréscimo aos benefícios do seguro-desemprego além de seu vencimento em março deve ser uma prioridade.

Ninguém deve se preocupar com o custo de fornecer o que é, na verdade, ajuda humanitária em caso de desastre. O prolongamento de grandes déficits, entretanto, traz um risco

De acordo com as projeções oficiais, divulgadas em 1º de fevereiro, sem mais estímulos, o PIB dos Estados Unidos ficaria aquém de seu potencial em apenas 1,3% no final de 2021. Os gastos propostos por Biden são seis vezes maiores do que o déficit. 

O efeito “multiplicador” dos gastos do governo na produção é difícil de estimar, mas é pequeno hoje porque muitas famílias estão economizando dinheiro de estímulo. No entanto, se as vacinas permitirem a economia se reabrir totalmente, no segundo semestre de 2021, os efeitos reprimidos do estímulo podem causar um superaquecimento da economia, levando a uma explosão da inflação.

Uma inflação mais alta seria tolerável e bem-vinda, até certo ponto. Mas isso significaria qualquer gasto adicional com déficit, por exemplo, no plano de infraestrutura de Biden, alimentar ainda mais o fogo. Melhor preservar o combustível fiscal evitando generosidade desnecessária. 

Os democratas querem enviar cheques no valor de US$ 1.400 para a maioria dos indivíduos, somando-se aos US$ 600 que receberam recentemente. As doações universais impedem as pessoas de cair nas fendas dos programas burocráticos testados, mas US$ 2.000 é um total arbitrário popularizado por Donald Trump. 

O plano de Biden também inclui US$ 350 bilhões para governos estaduais e locais. No início da crise, esperava eles sofrerem um colapso nas receitas fiscais. Na verdade, seus orçamentos se sustentaram à medida que os generosos benefícios de desemprego do governo federal e uma explosão de gastos com bens aumentaram suas receitas fiscais. Nenhum desses itens do projeto de lei de Biden é uma prioridade.

A política fiscal certa seria flexível, proporcionando gastos de emergência, enquanto a pandemia persistir, e economizando um impulso fiscal mais amplo para mais tarde, se necessário. Os republicanos – e alguns democratas moderados – estão certos em argumentar: US$ 1,9 trilhão é excessivo hoje

O Sr. Biden pode estar disposto a cortar sua proposta. Uma cifra de cerca de US$ 950 bilhões permitiria seguro-desemprego, uma quantidade menor de cheques universais abrangentes, o ataque de Biden à pobreza infantil e gastos extras com vacinas.

Da mesma forma, os democratas têm razão em temer os falcões no Congresso poderem prejudicar a recuperação se a crise piorar. Os republicanos deveriam se comprometer a apoiar mais gastos caso isso aconteça. Os democratas deveriam economizar suas oportunidades limitadas para contornar a oposição republicana no Senado. Um acordo bipartidário agora aumentará as chances de a economia obter a quantidade certa de apoio no momento certo.

1 thought on “Estímulo Econômico para Retomada do Crescimento dos Estados Unidos

  1. Republicou isto em Iso Sendacz – Brasil and commented:
    De comum com o Brasil, o descontrole da doença, que coloca ambas as Nações no topo da lista global de mortes. De distinto, o estímulo estatal à recuperação econômica, lá de um quarto do PIB pré-pandêmico, algo que aqui equivaleria a cerca de R$ 1,8 trilhão, sete a oito vezes o que o Congresso Nacional fez o governo gastar – este queria um auxílio emergencial de um terço do valor aprovado.
    Se a economia estadunidense é mais de dez vezes a nossa, quando se compara a população a diferença não chega a duas vezes.
    A quem o governo tem ajudado, já que à nossa sofrida gente não é?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s