Socialismo: Baixe a Cartilha

Gosto de estudar lendo a Wikipedia, a enciclopédia livre onde todos podem editar. Encontram-se nela 1.069.109 artigos em português, sob contribuição de 9.469 editores ativos.

É considerada já a maior enciclopédia da História da Humanidade ao ultrapassar a dimensão da chinesa. O imperador chinês Yongle, da dinastia Ming, além de suas conquistas militares, era um intelectual com gosto pela leitura.

Logo após assumir o trono, em 1403, Yongle ordenou a Academia Hanlin reunir e categorizar trabalhos literários de modo os textos raros serem preservados e suas referências facilmente encontradas.

Na versão final, na enciclopédia foram incorporados mais de oito mil textos, desde a antiguidade até o início da dinastia Ming, incluindo Agricultura, Arte, Astronomia, Drama, Geologia, História, Literatura, Medicina, Ciências Naturais, Religião e Tecnologia. O projeto se estendeu por mais quatro anos, tendo sido completado em 1408. 

Incluía mais de oito mil textos, em 22.937 rolos de manuscritos (equivalentes a “capítulos”), reunidos em 11.095 volumes. Ocupava cerca de 40 metros cúbicos e utilizou cerca de 370 milhões de caracteres chineses.

O imperador Yongle colocou seu próprio nome no trabalho – Yongle Da Dian – e escreveu um longo prefácio destacando a importância da preservação destes trabalhos.

Na atual Era Digital, a internet propicia um avanço inédito no acesso ao conhecimento. A Wikipedia facilita a não especialistas (“leigos”) uma leitura introdutória em temas diversos como: Arte, Biografias, Ciência, Filosofia, Geografia, História, Matemática, Sociedade e Tecnologia.

Acho sensacional suas hiperligações, onde um conhecimento puxa outro. Permite-nos a deixar nossa especialização afastada, pelo menos por um momento, para ampliarmos nosso conhecimento com informações básicas, propícias a uma formação mais generalista.

Recentemente, motivado por debate público sobre acontecimentos contemporâneos, envolvendo a divulgação do Anuário 2021 do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o assassinato do presidente do Haiti e os protestos de rua a favor do Estado de Direito em Cuba, resolvi pesquisar e refletir sobre um tema caro para mim: regime político.

Ciência Política não é minha formação, pois eu me graduei em Ciência Econômica. Mas acho a Ciência da Complexidade, fronteira atual do conhecimento, se dirigir para a transdisciplinaridade

Necessitamos superar o método cartesiano, baseado na dedução pura. Começa com verdades ou axiomas simples e evidentes por si mesmos. Depois raciocinar com base neles, chega-se a conclusões particulares para serem testadas no mundo real. 

Sair do hard core dos postulados não demonstráveis para deduzir o cinturão protetor, composto por teorias testáveis, não nos protege das falsas deduções a partir de hipóteses irrealistas. Esta construção mental racional-dedutiva causou (e ainda causa) muitos males em Economia, quando o núcleo central é construído com base em pura ideologia do livre-mercado.

A meu ver, a Visão Holista da Complexidade Sistêmica supera a Visão da Configuração Humana a partir do método cartesiano (1596-1650): divisão do problema em partes, reducionismo, objetivismo generalista sem contextualização e dualismo simplório. 

O Dualismo Cartesiano (ou Dicotomia Corpo-Consciência) é um conceito segundo o qual o ser humano é um ser duplo, composto de uma substância pensante e uma substância corporal extensa. Esta estaria sempre sujeito às leis deterministas da natureza, enquanto os fenômenos mentais não têm extensão nem localização no espaço.

A mente, ao realizar atividades de recordar, raciocinar, conhecer e querer, sem se submeter às leis físicas, são o lugar da liberdade. Entretanto, a expressão “pessoa cartesiana” é usada para caracterizar uma pessoa inflexível por pensar e agir sempre da mesma forma.

Regime Político, na Ciência Política, é o nome dado ao conjunto de instituições políticas por meio das quais um Estado se organiza de maneira a exercer o seu poder sobre a sociedade. Esta definição é válida mesmo se o governo for considerado ilegítimo.

Tais instituições políticas têm por objetivo regular a disputa pelo poder político e o seu respectivo exercício, inclusive o relacionamento entre os detentores do poder político (autoridades) e os demais membros da sociedade (governados).

regime político, adotado por um Estado, não deve ser confundido com a sua forma de Estado – Estado unitário ou federal – ou com o seu sistema de governo: presidencialismo, parlamentarismo, monarquia.

São regimes políticos antigos: Absolutismo, Caciquismo / Caudilhismo, Czarismo, Ditadura. Os regimes políticos contemporâneos são classificados em:

  1. regimes políticos democráticos: se caracterizam por eleições livres, liberdade de imprensa, respeito aos direitos civis constitucionais, garantias para a oposição e liberdade de organização e expressão do pensamento político;
  2. regimes políticos autoritários: operam através da suspensão das garantias individuais e das garantias políticas, sendo as normas constitucionais manipuladas ou reeditadas conforme os interesses do grupo ou partido detentor do poder executivo ou da maioria no Poder Legislativo;
  3. regimes políticos totalitários: quando está concentrado em um comandante supremo, não há qualquer vestígio de democracia, tais como ocorreram na forma de fascismo na Itália e Espanha, nazismo na Alemanha e estalinismo na União Soviética.

No caso deste relatório de pesquisa na Wikipedia e na internet, minhas anotações, para ativar minha memória (afetiva e efetiva), serão principalmente sobre o verbete “socialismo”. Resumirei as ideias-chaves, em lugar dos argumentos de autoridade, ou seja, dos autores originais dessas ideias, porque meu interesse aqui não tem finalidade acadêmica, mas sim política. 

O objetivo dessa cartilha é ampliar o conhecimento de todos para organizar a ação coletiva, isto é, a política em busca da meta de evolução sistêmica: do sistema capitalista para um sistema de bem-estar social, menos pobreza, mais igualdade sob liberdade.

Post-Scriptum:

Significado de Cartilha: ler pela cartilha (de alguém), ter as mesmas convicções; seguir as ideias, as teorias, os métodos (de uma pessoa): ele reza pela minha cartilha.

Download:

Fernando Nogueira da Costa. Socialismo. Julho de 2021

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s