Documentário Brasil, O Grande Salto Para Trás

Documentário Brasil, o grande salto para trás – Brésil, Le grand bond en arrière – Frédérique Zingaro e Mathilde Bonnassieux – 2017 – 55 min. (legendado).

Ladislau Dowbor enviou-me a dica do documentário europeu sobre o golpe no Brasil e o atraso social, econômico e político que está sendo gerado. Independentemente de firulas jurídicas e aparências de ritos legais, o fato é que assumiu o poder e toma medidas absurdas um governo com 3% apenas de aprovação.

No plano internacional a compreensão está finalmente se enraizando, de que um governo que toma medidas antipopulares e com esse nível de rejeição confirma a violação de procedimentos democráticos e caracteriza um golpe jurídico-parlamentar. Se não é golpe na origem, é golpe nos resultados. O silêncio das panelas é impressionante. Confira em: https://www.youtube.com/watch?v=XDZ5UtlsqdA

Dica: Série “In My Shoes”

O chileno Cesar Hidalgo é um dos mais importantes cientistas latino-americanos em atividade. Ele tem 37 anos, aparência de rockstar, com cabelos grandes, barba, bigode e jaqueta de couro de motociclista (sua vestimenta oficial). Ele é um dos mais conhecidos professores do MIT.

Se fosse há 20 anos, muita gente descreveria seu trabalho como “epistemologia“, ou seja, a ciência que estuda a própria ciência. No entanto, como vivemos na era da internet e palavrões como esse são cada vez mais raros, sua especialidade é usualmente descrita como “data visualization” (visualização de dados).

[Fernando Nogueira da Costa: adoro fazer isso, a transformação de grande planilhas estatísticas em conhecimento, ou seja, a complexidade em simplicidade!]

Em suma, ele transforma imensos arquivos do conhecimento humano (especialmente dados científicos) em gráficos interativos e acessíveis, que permitem que até um leigo compreenda as informações só de bater o olho. Para fazer isso, obviamente, ele precisa ter um conhecimento profundo dos dados com que trabalha, e da própria ciência de modo geral.

César lançou um seriado sobre sua própria vida de cientista, chamado “In My Shoes” (algo como “No meu lugar”). São oito episódios, de cerca de 18 minutos cada um. Eles não estão no Netflix (deveriam estar!), mas podem ser assistidos gratuitamente on-line (inmyshoes.info) com legendas em espanhol no Vimeo.

Continue reading “Dica: Série “In My Shoes””

Arte e Ideais de Beleza Feminina ao Longo do Tempo

Elena Rossini apresenta seu curta: I was asked to make a short experimental film for ARTE/the Louvre Museum’s project “4 Semaines” about women and beauty, because of all my work on “The Illusionists.” In the video, I juxtapose the portrayal of women in the arts vs. mass media.

The official page for the video is here:
louvre.arte.tv/2009/12/la-femme-ideale-nexiste-pas/

Documentário “Destruição a Jato” e o Problema das Finanças Públicas

A memória humana é curta. Por isso, é bom registrar todos os fatos recentes através de um documentário (veja acima), mesmo que ele seja realizado “no calor da hora”, i.é, sem o distanciamento histórico para efetuar uma análise mais “fria”, abrangente e racional da experiência vivenciada.

O documentário mostra que éramos felizes até 2014 — e sabíamos, pois votamos na reeleição da Presidenta Dilma. Porém, a pressão midiática e empresarial, depois de uma campanha eleitoral acirrada, a levou a cometer um “estelionato eleitoral”: a volta da Velha Matriz Neoliberal, o “tripé macroeconômico”. Com todos os seus erros (e acertos), a chamada pejorativamente pela mídia e colunistas neoliberais de Nova Matriz Macroeconômica — desoneração fiscal, depreciação da moeda nacional, cruzada contra os juros mais elevados do mundo –, adotava um gradualismo muito mais adequado à regulação do que o tratamento de choque neoliberal da política econômica levyana: uma overdose de choques (fiscal, tarifários, cambial e de juros) em simultâneo.

Os números oficiais abaixo registram a Grande Depressão, gerada em 2015 e aprofundada em 2016, com o processo golpista do Parlamento brasileiro, inclusive aprovando “pautas-bombas” com medidas para sabotagem do Poder Executivo. Isto sem contar o locaute golpista dos industriais da FIESP.

Então, a economia brasileira parou não só por causa da Operação Lava-Jato, como sugere a tese defendida no documentário, embora a prisão das cúpulas das empresas corruptoras tenha paralisado todas as iniciativas particulares. Um fenômeno macroeconômico, social e político tem sempre multi-causas. Apresento abaixo alguns números que permitem analisá-lo com maior frieza.

Pela estatística apresentada recentemente pelo IBGE, é inegável que já em 2014 havia um grave problema de Finanças Públicas a ser enfrentado. Questiono a forma pela qual buscou-se sua solução: rápido tratamento de choque e não lento gradualismo. A dosagem é a diferença entre o remédio e o venenoContinue reading “Documentário “Destruição a Jato” e o Problema das Finanças Públicas”

Cinco Câmeras Quebradas

Para legendas em português, clicar no botão no canto inferior direito do vídeo.

“Imagine que não houvesse nenhum país

Não é difícil imaginar

Nenhum motivo para matar ou morrer

E nem religião, também

Imagine todas as pessoas

Vivendo a vida em paz” (John Lennon)

Impressionou-me muito assistir “5 Broken Cameras“, o primeiro documentário palestiniano nomeado para um Oscar. É documento histórico, pois coloca o expectador dentro da cena, criando uma verdadeira empatia com o documentarista e seus conterrâneos.

Ele mostra a violência do exército israelense contra os residentes de uma aldeia chamada Bilin na Cisjordânia. Para ocupar o território conquistado à força, colonos israelitas se mudam para os novos apartamentos nos cumes vizinhos a Bilin. Não só os habitantes de Bilin são atacados, como até mesmo as oliveiras que lhes restam são queimadas por colonos ou arrancadas pelo exército usando máquinas de construção blindadas.

Com início em 2005, Emad Burnat, um camponês tornado cineasta amador, foi  filmando ao longo de um período de cinco anos com cinco máquinas de filmar danificadas uma após outra por soldados ou colonos israelitas. Ele documentou os protestos contra as confiscações de terras pelo governo israelita e a construção do muro que ocupa as suas terras cultivadas e os irá separar delas.

Apesar do grande risco pessoal, ele continuou a filmar com um sentimento de obrigação moral para com o seu povo e o desejo de alertar o mundo sobre a luta para salvar a sua terra. Em 2009, Burnat conseguiu o auxílio do ativista e realizador israelita Guy Davidi para o ajudar a montar o filme. Continue reading “Cinco Câmeras Quebradas”

Documentário sobre a Vida de Frank Sinatra

Boa dica para o feriadão. Assisti logo que foi lançado no Netflix. Agora, li (Valor, 30/10/15) a boa resenha habitual em Amir Labaki, diretor­ fundador do É Tudo Verdade Festival Internacional de Documentários. Na verdade, o mais interessante do documentário sobre a vida de Frank Sinatra é que ele mostra os contextos de suas distintas fases de vida de maneira admirável. É a história norte-americana do século XX que visualizamos em uma recuperação extraordinária de imagens. Faz lembrar a série sobre Jazz de Ken Burns, o melhor documentário sobre a maior expressão da cultura popular nos Estados Unidos.

“Desde a semana passada está oficialmente aberta, também por aqui, a comemoração do centenário de nascimento de Frank Sinatra (1915-1998), a ser completado em 12 de dezembro. A partir de então é possível assistir pela Netflix ao documentário em duas partes “All or Nothing At All“, de Alex Gibney, lançado nos EUA pela HBO em abril. Em pouco mais de quatro horas, Gibney resume o essencial da obra e da vida do mais admirado, influente e perfeccionista cantor de música popular do século XX. Como esqueleto dramático, ele se apoia nas filmagens do show de despedida de Sinatra em junho de 1971, em Los Angeles. Sim, dois anos mais tarde ele já estava de volta aos estúdios e palcos, vindo mesmo ao Brasil para uma apresentação histórica no Maracanã em 1980 e uma série de shows mais intimistas no Maksoud Plaza, em São Paulo, em agosto do ano seguinte. Continue reading “Documentário sobre a Vida de Frank Sinatra”

Um Sonho Intenso

UM SONHO INTENSO ESTREIA NO CANAL CURTA DIA 13 DE AGOSTO DE 2015, QUINTA-FEIRA, ÀS 22 HORAS NO CANAL CURTA — PODE SER VISTO NOS CANAIS: 56 DA NET 83 NA GVT 76 NA OI TV 103 NA VIVO TV 69 NA CLARO TV

A Fundação Perseu Abramo realizou em sua sede a exibição do documentário Um sonho Intenso, dirigido por José Mariani. Em seguida ocorreu um debate com a presença do próprio diretor do filme, José Mariani, Marcio Pochmann (Presidente da FPA), Joaquim Floriano (Diretor da FPA) e do professor da Unicamp Reginaldo Moraes.