Financiamento Público e Regimes de Previdência

INSTITUTO DE ECONOMIA

Maiores Informações: Secretaria de Extensão  (das 09h00 às 21h00)

Fones: (019) 3521-5728 e 3521-5815

E-mail: extensao@eco.unicamp.br  / http://www.eco.unicamp.br

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA E GOVERNO

Financiamento Público e Regimes de Previdência

EMENTA: Modalidades de financiamento do setor público e/ou políticas públicas: arrecadação fiscal, emissão monetária, endividamento ou crédito público. Funções dos bancos públicos: missões sociais e ações comerciais. Reestruturação dos bancos públicos federais. Fontes de financiamento: fundos constitucionais (“parafiscais”), fundos sociais (FGTS, FAT, Fundo Soberano, etc.), captação comercial de funding e operações estruturadas de mercado de capitais. Modalidades de regimes previdenciários: regime geral (INSS), regimes próprios da União, DF, Estados e Municípios brasileiros (para servidores públicos), e regime de Previdência Complementar. Demografia e crise da Previdência Social. Posturas financeiras dos regimes de repartição e de capitalização: Ponzi (INSS), Especulativa (Benefício Definido) e Protegida (Contribuição Definida). FUNPRESP (Fundo de Previdência Complementar do Servidor Público). Fundos de pensão fechados: papel estratégico no Capitalismo de Estado Neocorporativista. Fundos de pensão abertos (PGBL/VGBL): papel-chave da Previdência Privada na aposentadoria de profissionais com Ensino Superior.

PROFESSOR RESPONSÁVEL: Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa

PROGRAMA E BIBLIOGRAFIA BÁSICA: Continue reading “Financiamento Público e Regimes de Previdência”

Economia no Cinema e na Música: Cidadania e Cultura Brasileira

UnicampUNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

INSTITUTO DE ECONOMIA

CURSO DE GRADUAÇÃO

 CE858 – TÓPICOS ESPECIAIS DE ECONOMIA III: “Economia no Cinema: Cidadania e Cultura Brasileira” (ELETIVA) – 1o. semestre de 2017

Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa

Objetivo: debater respostas apresentadas pelo Cinema Brasileiro e pela MPBE – Música Popular Brasileira sobre Economia à pergunta-chave: que país é este? Discutir a dependência da trajetória brasileira, configurada através das interações entre diversos componentes de um Sistema Complexo, destacadamente, os direitos da cidadania (civis, políticos, sociais, econômicos e das minorias), conquistados ao longo da História do Brasil, e os deveres educacionais, culturais e comportamentais éticos e democráticos, relegados a segundo plano. Propiciarão a emergência de uma democracia socioeconômica e política?

Método didático: debater se as ideias abordadas pelos filmes exibidos ou pelas músicas escutadas são representativas (ou não) de distintas interpretações sobre o Brasil, obtidas por leituras prévias da historiografia brasileira clássica, ou são expressões de sentimentos populares. A aprendizagem entre pares permitirá aos estudantes relacionar o que aprenderam, lendo ou assistindo aula, com a estória retratada nos filmes ou com os temas abordados nos distintos gêneros musicais. Assim, estimulados por empatia, eles se moverão em direção à apropriação intelectual dos temas apresentados.

Horário noturno: 3a. feira (21:00-23:00) e 5a. feira (19:00-21:00) – Sala 7

Programa e Bibliografia:

Leitura básica:

Fernando Nogueira da Costa – Interpretações do Brasil ou da Tropicalização Antropofágica Miscigenada – 2017

MOTA, Lourenço D. (org.). Introdução ao Brasil: um banquete no trópico. São Paulo. Editora SENAC, 1999.

Resenhas no Blog Cidadania & CulturaCategoria: História do Brasil

Continue reading “Economia no Cinema e na Música: Cidadania e Cultura Brasileira”

Economia Monetária 2017

UnicampINSTITUTO DE ECONOMIA

Maiores Informações: Secretaria de Extensão (das 09h00 às 21h00)Fone: (019) Fone: (019) 3521-5709 / 3521-5834
E-mail: extensao@eco.unicamp.br :http://www.eco.unicamp.br

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ECONOMIA FINANCEIRA (ECO-200)

ECO-201        ECONOMIA MONETÁRIA

EMENTA: Origem, formas de moeda e funções do dinheiro. Formação da Taxa de Juros. Debate sobre Juros no Brasil. Teorias das Decisões Financeiras em Condições de Incerteza: Finanças Racionais (fluxo de caixa descontado, diversificação do risco e eficiência do mercado) e Finanças Comportamentais (viés heurístico, dependência da forma, ineficiência do mercado).

PROFESSOR RESPONSÁVEL: Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa

LOCAL E HORÁRIO: Pavilhão da Pós-Graduação no IE-UNICAMP, segunda-feira, 19:15-22:15

Guias Didáticos:

Fernando Nogueira da Costa – Economia Monetária e Financeira: Uma Abordagem Pluralista. São Paulo, Makron Books, 1999.

Fernando Nogueira da Costa – Cartilha de Finanças Pessoais. Campinas, IE-UNICAMP, 28-set-2016.

PROGRAMA E BIBLIOGRAFIA:
Continue reading “Economia Monetária 2017”

Métodos de Análise Econômica 2016-2017

UnicampUNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

Instituto de Economia

CE-542 – MÉTODOS DE ANÁLISE ECONÔMICA V

2º semestre de 2016

Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa

Ementa: Métodos e Instrumentos de análise de conjuntura econômica. Indicadores de instituições nacionais e multilaterais. Conhecimento de fontes de informações e uso de banco de dados. Busca da simplicidade em complexidade de grandes planilhas Excel. Apresentação em PowerPoint, Slides do Google ou Prezi dos resultados de pesquisas empíricas: organização conceitual de dados e informações.

Horário: segunda-feira e quarta-feira no mesmo horário (8:00-10:00). Reservada a Sala IE-12.

Bibliografia:

Fernando Nogueira da Costa – Ensino e Pesquisa em Economia

TDIE 261 Economia Interdisciplinar

TDIE 263 Arte da Economia

Fernando Nogueira da Costa – Formação do Economista no Brasil Contemporâneo

Programa:

PARTE I: MÉTODOS E INSTRUMENTOS DE ANÁLISE DE CONJUNTURA ECONÔMICA Continue reading “Métodos de Análise Econômica 2016-2017”

ECO 200 – Macroeconomia

UnicampCurso de Especialização em Economia Financeira

Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas

Maiores Informações: Secretaria de Extensão (das 09h00 às 21h00)  Fone: (019) 3521-5709 / 3521-5834
E-mail: extensao@eco.unicamp.br :http://www.eco.unicamp.br

Macroeconomia – carga horária: 30 horas

Prof. Titular Fernando Nogueira da Costa

OBJETIVO:

O objetivo geral do curso é mostrar como o conhecimento multidisciplinar possibilita uma melhor análise para as diversas tomadas de decisão econômico-financeira, no nosso cotidiano, sistematizando o conhecimento genérico do cidadão e socializando o conhecimento específico do economista. O primeiro objetivo parcial é examinar microfundamentos da macroeconomia através das teorias das decisões básicas dos agentes econômicos ou das firmas. O segundo objetivo parcial é examinar macrofundamentos da microeconomia através das teorias dos principais problemas resultantes sistêmicos (inflação, desemprego, ciclo econômico e crise cambial) e das relações internacionais entre as decisões de políticas macroeconômicas, em economia aberta. Portanto, diversas disciplinas (economia monetária, microeconomia, macroeconomia e economia internacional) serão apresentadas de maneira integrada ou articuladas entre si.

PROGRAMA E BIBLIOGRAFIA:

O programa seguirá a ordem de apresentação do livro Economia em 10 Lições (São Paulo, Makron Books, 2000), cuja autoria é do professor do curso. As dez aulas propiciarão uma leitura dirigida, com foco nas respostas das seguintes perguntas-chave.

Leia também23 Coisas que não nos Contaram sobre o Capitalismo – Ha-Joon Chang

Continue reading “ECO 200 – Macroeconomia”

Economia no Cinema 2016

UnicampUNICAMP – Universidade Estadual de Campinas

INSTITUTO DE ECONOMIA

CURSO DE GRADUAÇÃO

CE858 (catálogo a partir de 2010) – TÓPICOS ESPECIAIS DE ECONOMIA III – “ECONOMIA NO CINEMA” (ELETIVA)

Horário: terça-feira (21:00-23:00) e quinta-feira (19:00-21:00).

Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa

Objetivo: delinear uma alternativa ao ensino tradicional de Economia via livro-texto, usando filmes, documentários e palestras para aplicar conhecimento econômico em suas interpretações. Conceitos podem ser introduzidos com de leitura de livros, reforçados através do cinema e, em seguida, fixados através de palestra e debate em sala-de-aula. A intuição e a imaginação dos alunos estão envolvidos nesse processo por meio da ação de relacionar os conceitos que aprenderam, lendo ou assistindo aulas/palestras, com a “vida no mundo real” retratada de maneira artística nos filmes.

Além da apresentação de duas referências analíticas, uma com base em Institucionalismo, outra baseada em Ambientalismo, em 2016, o foco estará dirigido para o Desenvolvimento Mundial, focalizando especialmente as características socioeconômicas e culturais do G5 – Inglaterra, Estados Unidos, França, Alemanha, Itália e Japão –, e dos BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul –, além de tratar de grandes temas geopolíticos contemporâneos como a Economia do Petróleo, inclusive o Conflito no Oriente Médio, e o Extremismo Terrorista. Outra inovação didática será a utilização de Palestras TED sobre esses temas. Continue reading “Economia no Cinema 2016”

Ensina-me a Investir (e a Ver Bons Filmes, senão a Viver)

Filmes sobre FinançasLuciana Seabra (Valor, 27/07/15) publicou uma reportagem que se relaciona com o tema do meu curso Economia no Cinema.  Reproduzo-a abaixo e, desde logo, destaco que meu drama favorito sobre a Crise Financeira de 2008 é o Margin Call: O Dia Antes do Fim” (tem no Netflix). Sugiro ler a monografia de Carolina Alonso que orientei. Está para download em: A Crise vista no Cinema.

Assistir à saga da família de Fabiano em meio à seca nordestina no filme “Vidas Secas” ensina ao investidor que ele deve ser resiliente. De forma mais concreta, por meio de referências à crise de 2008, “Grande Demais para Quebrar” também dá seu recado: nunca se deixe levar por promessas de ganhos fáceis. Os filmes, dirigidos por Nelson Pereira dos Santos e Curtis Hanson, são duas das oito obras que, na opinião de quatro renomados gestores brasileiros, trazem lições para o investidor.

Os sócios-fundadores da Gávea Investimentos, Arminio Fraga; da IP Capital Partners, Roberto Vinhaes; da SPX, Rogério Xavier; e da Teorema Gestão de Ativos, Guilherme Affonso Ferreira, mandaram suas sugestões, a pedido do Valor, para a videoteca do investidor.

Continue reading “Ensina-me a Investir (e a Ver Bons Filmes, senão a Viver)”