Museu Nacional do Brasil: Um País A Procura de Si Perde O Arquivo Onde Poderia Encontrar Sua História

Pedro Soares Botelho , um português observador do País, escreveu um pertinente texto a respeito do incêndio do Museu Nacional. Reproduzo-o abaixo.

Continue reading “Museu Nacional do Brasil: Um País A Procura de Si Perde O Arquivo Onde Poderia Encontrar Sua História”

Maria da Conceição Tavares por Ricardo Bielschowsky

Meu amigo Ricardo Bielschowsky, com autoironia, se define como “um intérprete dos intérpretes do Brasil”. Ele é um destacado “explicador” do pensamento econômico brasileiro. Possui brilhante capacidade de síntese de – como ele diz – “o que os outros pensam”. Vamos resumir sua breve resenha publicada na Revista de Economia Contemporânea (IE-UFRJ. Rio de Janeiro, 14(1): 193-200, jan./abr. 2010) sobre a obra escrita da Professora Maria da Conceição Tavares.

A obra oral é bastante conhecida: a capacidade de formar discípulos críticos à realidade, dentro do método histórico-estruturalista, com visão holística da indústria brasileira e do sistema financeiro nacional.

Quanto à obra escrita, Ricardo Bielschowsky a divide em dois grandes períodos:

  1. até as proximidades de 1980, na Era Desenvolvimentista, em torno da presença do crescimento socioeconômico;
  2. depois dela: as causas da ausência de crescimento.

Continue reading “Maria da Conceição Tavares por Ricardo Bielschowsky”

Inflação Acelerada: Crítica Construtiva de Conceição Tavares à Teoria da Inflação Inercial

Conceição Tavares – 2015

Na resenha teórica de Rogerio Pereira de Andrade e Renata Carvalho Silva, Uma mestra na periferia do capitalismo: a economia política de Maria da Conceição Tavares (Campinas, Texto para Discussão do IE-UNICAMP n. 172, dez. 2009), os autores afirmam a influência da agenda keynesiana ter continuado presente nas reflexões posteriores da autora em sua discussão acerca dos determinantes da inflação na economia brasileira (Tavares & Belluzo, 1984/1986).

Ela tem como referencial de análise o paradigma keynesiano de determinação dos preços, baseado nos trabalhos de Paul Davidson (e seu uso das categorias mercados spote forward) e John Hicks (e sua taxonomia preços fixe flex). Estes autores costumam ser associados à Escola Pós-Keynesiana, embora a obra de Hicks seja antecedente a essa corrente de pensamento econômico.

Nos anos 70 e 80, a aceleração inflacionária tornou-se uma preocupação tanto nas economias centrais, quanto nas periféricas. No caso brasileiro, ainda de forma mais aguda. Os dois choques do petróleo, a ruptura da regra de câmbio fixo da institucionalidade do sistema de Bretton Woods, e o choque dos juros norte-americano agravaram a incerteza a respeito o cálculo prospectivo capitalista na formação de preços. Continue reading “Inflação Acelerada: Crítica Construtiva de Conceição Tavares à Teoria da Inflação Inercial”

Conceição Tavares: Esquema Tri-setorial da Dinâmica Interindustrial em Kalecki e Princípio da Demanda Efetiva em Keynes

Na resenha teórica de Rogerio Pereira de Andrade e Renata Carvalho Silva, Uma mestra na periferia do capitalismo: a economia política de Maria da Conceição Tavares (Campinas, Texto para Discussão do IE-UNICAMP n. 172, dez. 2009), os autores afirmam: para compreender a industrialização no Brasil, privilegiando os aspectos endógenos da acumulação de capital, Tavares vale-se do princípio da demanda efetiva. Para ela, as economias não enfrentam problemas do lado da oferta, e sim pelo lado da demanda, quando se caracteriza uma situação de “insuficiência da demanda efetiva”.

Tavares destaca o aspecto crucial da demanda efetiva ser o investimentoenquanto instrumento de expansão da capacidade produtiva e da acumulação de capital. Entre as variáveis de gasto é importante também o consumo capitalista, como enfatizado por Michael Kalecki. Ele tem um papel a desempenhar na realização dos lucros no processo de acumulação.

A utilização do esquema de três setores de Kalecki é funcional para explicar a interpretação de Tavares do “crescimento desequilibrado”. Essa ideia tornou-se a base da nova visão da autora sobre a dinâmica cíclica da industrialização brasileira, presente em suas teses de Livre-Docência e Titular, defendidas respectivamente em 1974 e 1978, pela UFRJ. Continue reading “Conceição Tavares: Esquema Tri-setorial da Dinâmica Interindustrial em Kalecki e Princípio da Demanda Efetiva em Keynes”

Influência da Formação Marxista em Conceição Tavares

Na resenha teórica de Rogerio Pereira de Andrade e Renata Carvalho Silva, Uma mestra na periferia do capitalismo: a economia política de Maria da Conceição Tavares (Campinas, Texto para Discussão do IE-UNICAMP n. 172, dez. 2009), os autores a iniciam ao focalizar seu conceito de lucro.

Lucro, segundo a autora, é inerente aoprocesso de produção capitalista na sua forma completa ou, em linguagem marxista, “reprodução ampliada do capital”. Por isso, não pode ser ‘deduzido’ diretamente da ‘mais-valia’ ou do‘excedente’, nem contabilizado pelo número de horas do ‘sobretrabalho’. O lucro requer a valorização, ou precificação em termos monetários,das mercadorias produzidas pela força detrabalho em seu uso de meios de produção.

Portanto, por expressar avalorização do capital empregado na produção, o lucro capitalista implica a existência de “três movimentos lógicos do processo de valorização”:

  1. em primeiro lugar, a apropriação do trabalho abstrato pelo capital (determinação da taxa de mais-valia);
  2. em segundo lugar, sua transformação em preços de produção (determinação da taxa média de lucro);
  3. por fim, a transfiguração do capital em uma mercadoria singular, o dinheiro (determinação da taxa efetiva de lucro).

No seu movimento de auto expansão e valorização permanente, o capital termina por encontrar-se “prisioneiro de si mesmo”, isto é, “o dinheiro tentando valorizar o dinheiro”. Esta é a ideia chave para a compreensão de um aspecto central, desenvolvido de forma sistemática ao longo de sua obra: a lógica financeira do processo de valorização do capital sobrepondo-se à sua dimensão produtiva. Continue reading “Influência da Formação Marxista em Conceição Tavares”

Uma Mestra na Periferia do Capitalismo: A Economia Política de Maria da Conceição Tavares

O objetivo deste artigo de Rogerio Pereira de Andrade e Renata Carvalho Silva, publicado como Texto para Discussão do IE-UNICAMP (Campinas, n. 172, dez. 2009), é identificar os aspectos metodológicos e as principais referências teóricas no pensamento econômico de Maria da Conceição Tavares. Apresentam, em linhas gerais, o diálogo crítico da autora com as vertentes da Economia Política fundadoras de sua obra.

As contribuições de Tavares têm como referência as obras de vários pensadores da tradição da Economia Política, tais como Marx, Keynes, Joan Robinson, Schumpeter, Kalecki e Steindl, no âmbito da teoria econômica mais geral. Ela também se apoia em autores estruturalistas a respeito da questão do subdesenvolvimento latino-americano, como Raul Prebisch, Aníbal Pinto e Celso Furtado, entre outros. Este artigo, porém, concentra-se na interação intelectual com Marx, Keynes, Kalecki e autores pós-keynesianos.

É possível identificar, na obra de Tavares, três planos de reflexão de mútua influência:

1)   fase da CEPAL: a questão do (sub)desenvolvimento econômico periférico, em particular da economia brasileira;

2)   fase da UNICAMP: o diálogo crítico com autores importantes da tradição da Economia Política, como Marx, Keynes e Kalecki;

3)   fase da UFRJ: análise da (des)ordem econômica mundial, apresentando uma “visão geopolítica para entender melhor a formação dos centros hegemônicos”.

Continue reading “Uma Mestra na Periferia do Capitalismo: A Economia Política de Maria da Conceição Tavares”

Maria da Conceição Tavares: Resumo da Obra por Maria Sílvia Possas

Maria Sílvia Possas, ex-colega do IE-UNICAMP, atualmente professora do IE- UFRJ, publicou ensaio intitulado Maria da Conceição Tavares (Estudos Avançados 15 (43), 2001: 389-400). Esquematizo-o em seguida, de maneira útil para minha reflexão, escrita sob convite, sobre a Professora.

Tavares exerceu grande influência sobre o pensamento econômico brasileiro. Tratou de assuntos variados, mas há uma preocupação em toda a sua obra:

  1. o desenvolvimento de países “periféricos”,com especial ênfase no caso brasileiro, e
  2. a sorte de grandes contingentes da sua população, excluídos economicamente.

Seu ponto de partida foi o pensamento cepalino, com ênfase nas relações econômicas e de poder entre nações centrais e periféricas.

Porém, procurou repensar essa matriz, ampliando a importância de questões como:

  1. variáveis internas a cada país, em especial a presença do setor produtor de bens de capital;
  2. as necessidades de financiamento do desenvolvimento e
  3. como os modos historicamente específicos de atendê-las repercutem.

Continue reading “Maria da Conceição Tavares: Resumo da Obra por Maria Sílvia Possas”