Educação Financeira e Equívocos de “Economistas Especialistas”


Ana Estela de Souza Pinto (FSP, 11/12/17) publicou longa reportagem sobre assunto sobre o qual me surpreende a quantidade de asneiras com que “economistas-especialistas” pautam a imprensa: o suposto “hábito de poupança”. Os colegas com formação ortodoxa tratam esse tema macroeconômico e social como fosse:

  1. uma questão de força-de-vontade individual,
  2. um “sacrifício para chegar ao paraíso do consumo futuro”, via uma parcimônia religiosa, ou
  3. um imediatismo/consumismo de O Brasileiro — mas quem é, hein? –, devido ao Estado de Bem-Estar Social brasileiro!

Acreditem: já li colega-colunista afirmando isso sem nenhum pudor — e ainda achando que reforçava seu argumento ao dizer que “o Estado chinês por não oferecer essa nossa extraordinária qualidade de vida tornou os chineses poupadores”! Podes crer…

Tendo a ignorância chegado a esse patamar inacreditável, mas que eu não ousaria dizer insuperável, pois ela pode sempre surpreender, é prudente eu lembrar aos leitores um be-a-bá keynesiano ou de Finanças Comportamentais, comentando a citada reportagem. Não se deixem engabelar por “economistas-especialistas” com a péssima formação ortodoxa! Continue reading “Educação Financeira e Equívocos de “Economistas Especialistas””