The Storytelling Animal: Como as histórias nos fazem humanos

David Eagleman, neurocientista do Baylor College of Medicine, escreve ficção e não-ficção. Seus últimos livros são “Sum” e “Incognito: A vida secreta do cérebro“. Traduzi abaixo sua resenha do livro The Storytelling Animal: How Stories Make Us Human, de autoria de Jonathan Gottschall (Illustrated. 248 pp. Houghton Mifflin Harcourt. US$24) no NYT (02/08/12).

“Nós amamos uma boa história. A narrativa é costurada intrinsecamente no tecido da psicologia humana. Mas por que? Tudo é apenas diversão e jogos, ou a narrativa serve a uma função biológica?

Essas perguntas animam “The Storytelling Animal”, um novo livro cheio de perspicácia de Jonathan Gottschall. Ele se baseia em contos díspares da história e da ciência para celebrar nossa compulsão de armazenar na memória tudo ao nosso redor.

Continuar a ler

Escola Sem Sentido

Ilustração de Marta Mello para Fernanda Torres de 23.nov.2018.

Infelizmente, foi necessária a grande ameaça de retrocesso histórico à época do regime militar ditatorial, agora misturado com fundamentalismo evangélico retrógrado em costumes e intolerância, para os sábios criativos colocarem toda sua criatividade artística em defesa da democracia e contra o tempo obscuro. Até a Folha de S.Paulo está lenta, gradual e seguramente voltando aos tempos de combate à ditadura do Seu Frias.

Os cronistas progressistas estão cada vez melhores. Compartilho dois exemplos abaixo.

Nasce o projeto Escola sem Sentido

Para evitar doutrinação, colégios serão substituídos por igrejas evangélicas

Uma Notável Comissão de Homo Capensis liderada por Silas Malafaia, Tiririca, Joice Hasselmann, Luciano Hang, Ernesto Araújo e Eduardo Bolsonaro apresentou hoje uma evolução do projeto Escola sem Partido.

“Pedimos que os alunos não apontem mais os seus celulares para os professores. Apontem armas”, conclamou Eduardo Bolsonaro, enquanto desenhava uma caveira no quadro negro.

“O marxismo cultural se impregnou no globalismo e culminou no tropicalismo. Caetano, Gil e Pabllo Vittar influenciaram a Revolução Francesa que, por sua vez, culminou com a crucificação de Jesus por Jean Wyllys. Desde então, a Nova Ordem Mundial dá as cartas num movimento pélvico que visa extinguir os valores cristãos”, completou o chanceler Ernesto Araújo.

Em seguida, mostrou um slide em que discos voadores partem do interior de Roraima levando médicos em direção a Cuba.

Joice Hasselmann apresentou algoritmos baseados na lei matemática de Benford para mostrar que a soma da Lei Rouanet com a doutrinação nas escolas é igual ao CPF de Lula. “O problema do Brasil é que algumas pessoas ainda acreditam na educação e na cultura. Mas são minoria”, explicou, ajoelhada no milho e na soja.

Exaustos após elencarem tantas evidências, membros da Notável Comissão apresentaram o projeto Escola sem Sentido. “São provas e mais provas de que não faz sentido ter escola no Brasil. A Bíblia já traz todos os ensinamentos éticos, morais e cívicos”, argumentou Silas Malafaia. E concluiu: “Para evitar doutrinação comunista, vamos substituir colégios, escolas e universidades por igrejas evangélicas. Que, além de tudo, são mais lucrativas e, por isso, estimulam o empreendedorismo”.

Numa transmissão ao vivo de Harvard, Luciano Hang deu um exemplo de como o currículo escolar está partidarizado: “Nenhum aluno aprende hoje que a nota de R$ 1 saiu de circulação porque trazia mensagens subliminares sobre o tríplex de Lula. Ou que as maquininhas de cartão de crédito emitem sinais criptografados para fraudar as urnas eletrônicas”. Entusiasmado, destrinchou o Planejamento MAÇOM-ILLUMINATI para os próximos 27 anos da humanidade que a Globo vinha escondendo há décadas.

No final da tarde, Dr. Rey tentou entrar na Notável Comissão. Mas foi barrado.

Continuar a ler