Métodos de Análise Econômica 2016

UnicampUNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

Instituto de Economia

CE-542 – MÉTODOS DE ANÁLISE ECONÔMICA V

2º semestre de 2016

Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa

Ementa: Métodos e Instrumentos de análise de conjuntura econômica. Indicadores de instituições nacionais e multilaterais. Conhecimento de fontes de informações e uso de banco de dados. Busca da simplicidade em complexidade de grandes planilhas Excel. Apresentação em PowerPoint dos resultados de pesquisas empíricas: organização conceitual de dados e informações.

Horário: segunda-feira e quarta-feira no mesmo horário (8:00-10:00). Reservada a Sala IE-12.

Bibliografia:

Fernando Nogueira da Costa – Ensino e Pesquisa em Economia

TDIE 261 Economia Interdisciplinar

TDIE 263 Arte da Economia

Fernando Nogueira da Costa – Formação do Economista no Brasil Contemporâneo

Programa:

PARTE I: MÉTODOS E INSTRUMENTOS DE ANÁLISE DE CONJUNTURA ECONÔMICA Continue reading “Métodos de Análise Econômica 2016”

Economia no Cinema 2016

UnicampUNICAMP – Universidade Estadual de Campinas

INSTITUTO DE ECONOMIA

CURSO DE GRADUAÇÃO

CE858 (catálogo a partir de 2010) – TÓPICOS ESPECIAIS DE ECONOMIA III – “ECONOMIA NO CINEMA” (ELETIVA)

Horário: terça-feira (21:00-23:00) e quinta-feira (19:00-21:00).

Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa

Objetivo: delinear uma alternativa ao ensino tradicional de Economia via livro-texto, usando filmes, documentários e palestras para aplicar conhecimento econômico em suas interpretações. Conceitos podem ser introduzidos com de leitura de livros, reforçados através do cinema e, em seguida, fixados através de palestra e debate em sala-de-aula. A intuição e a imaginação dos alunos estão envolvidos nesse processo por meio da ação de relacionar os conceitos que aprenderam, lendo ou assistindo aulas/palestras, com a “vida no mundo real” retratada de maneira artística nos filmes.

Além da apresentação de duas referências analíticas, uma com base em Institucionalismo, outra baseada em Ambientalismo, em 2016, o foco estará dirigido para o Desenvolvimento Mundial, focalizando especialmente as características socioeconômicas e culturais do G5 – Inglaterra, Estados Unidos, França, Alemanha, Itália e Japão –, e dos BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul –, além de tratar de grandes temas geopolíticos contemporâneos como a Economia do Petróleo, inclusive o Conflito no Oriente Médio, e o Extremismo Terrorista. Outra inovação didática será a utilização de Palestras TED sobre esses temas. Continue reading “Economia no Cinema 2016”

Economia Interdisciplinar

 UnicampUNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS – INSTITUTO DE ECONOMIA

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

HO 450 TÓPICOS AVANÇADOS EM TEORIA ECONÔMICA — TEMA: “ECONOMIA INTERDISCIPLINAR”

Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa

Objetivo: Debater a nova fronteira teórica da Ciência Econômica que se inspira em metodologia de Outras Ciências, tanto em Ciências Humanas como Economia Comportamental (ou Psicologia Econômica), quanto em Ciências Sociais como Economia Institucionalista (ou Sociologia Econômica weberiana), e até mesmo em Ciências Naturais como Economia Evolucionária (ou Biologia Evolucionista darwiniana). Pretende-se também analisar se a Economia da Complexidade (ou Engenharia da Computação econômica) integra esses diversos insights e escalas de análise interdisciplinares, reintegrando a partição da realidade realizada pelas diversas Ciências Afins.

Leituras de Referência:

Fernando Nogueira da Costa; Taciana Santos; Daniel Pereira da Silva; Samir Luna de Almeida. Economia interdisciplinar. Texto para Discussão do IE-UNICAMP 261 (postado no site); Dezembro 2015.

Obs: este artigo, elaborado coletivamente no Curso de 2015, foi o primeiro a ser publicado no número 1 da Revista de Empreendedorismo, Negócios e Inovação da UFABC.

TDIE 261 Economia Interdisciplinar

TDIE 263 Arte da Economia

Fernando Nogueira da Costa – Ensino e Pesquisa em Economia

Método do Curso: a proposta é dividi-lo em duas partes:

  1. Economia Abstrata com uma aula expositiva com o entendimento do professor para dirigir a leitura e um seminário entre alunos e professor com um (ou mais) aluno(s) apresentando as questões-chave de cada corrente; e
  2. Economia Aplicada com apresentações individuais do Tema de Tese e vínculos e/ou inspirações nas correntes de pensamento apresentadas, além de um projeto de trabalho empírico a ser realizado, transformando a complexidade de grandes bancos de dados ou planilhas de cálculos estatísticos em simplicidade analítica.

Dica: Como Ler Livros: O Guia Clássico da Leitura Inteligente.

Resenha da Literatura — o método abrange quatro páginas:

  1. Primeira, contextualizar o livro dentro de algum debate, mostrando qual é o “estado-da-arte”;
  2. Segunda, resumir o que diz o(s) autor(es) em suas próprias palavras, sem nenhum adjetivo;
  3. Terceira, confrontar a segunda parte com a primeira, isto é, mostrar o que o autor avançou em relação ao debate;
  4. Quarta, concluir dizendo o que  o autor da obra resenhada poderia ter avançado e não o fez, ou seja, apresentando a contribuição original/pessoal do autor da resenha ao avanço do debate.

Continue reading “Economia Interdisciplinar”

Métodos de Análise Econômica 2015

UnicampUNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS
Instituto de Economia

CE-542 – MÉTODOS DE ANÁLISE ECONÔMICA V — 2º semestre de 2015

Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa

Ementa: Métodos e Instrumentos de análise de conjuntura econômica. Indicadores de instituições nacionais e multilaterais.

Horário: segunda-feira e quarta-feira no mesmo horário (8:00-10:00). Reservada a Sala IE-12?

Programa:

Bibliografia Básica:

COSTA, Fernando Nogueira da. Ensino e Pesquisa em Economia – Métodos de Análise Econômica. Campinas, IE-UNICAMP, 2014. Continue reading “Métodos de Análise Econômica 2015”

Economia Monetária – 2016

UnicampINSTITUTO DE ECONOMIA

Maiores Informações: Secretaria de Extensão (das 09h00 às 21h00)

Fone: (019) Fone: (019) 3521-5709 / 3521-5834

E-mail: extensao@eco.unicamp.br :http://www.eco.unicamp.br

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ECONOMIA FINANCEIRA (ECO-200)

ECO-201        ECONOMIA MONETÁRIA

EMENTA: Origem, formas de moeda e funções do dinheiro. Teoria Financeira de Hyman Minsky. Regulação econômica. Debate sobre Independência do Banco Central. Formação da Taxa de Juros. Debate sobre Juros e Inflação. Formação da Renda e Poupança. Debate sobre Poupança. Riqueza Financeira.

PROFESSOR RESPONSÁVEL: Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa

MÉTODO DIDÁTICO: reunir teoria e debate sobre cada tema. Em uma aula, serão apresentados fundamentos teóricos para a análise de alguma questão monetária, na seguinte, esses fundamentos serão aplicados ao estudo do caso brasileiro. Continue reading “Economia Monetária – 2016”

Economia no Cinema 2015

UnicampUNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

INSTITUTO DE ECONOMIA

CURSO DE GRADUAÇÃO

CE908 (catálogo até 2009) / CE858 (catálogo a partir de 2010) – TÓPICOS ESPECIAIS DE ECONOMIA III – “ECONOMIA NO CINEMA” (ELETIVA)

Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa

Objetivo: delinear uma alternativa ao ensino tradicional de Economia via livro-texto: usar filmes para aplicar conhecimento econômico em suas interpretações. O documentário é um meio visual e de áudio poderoso e atraente para a transmissão de informações. Complexos e, por vezes, intrigantes conceitos econômicos podem ser mais facilmente digerido por alunos cinéfilos. Eles se beneficiam de exemplos retirados de filme para ilustração de temas cuja análise pode ser reforçada através de discussão em classe. Conceitos podem ser introduzidos com de leitura de livros, reforçados através do cinema e, em seguida, fixados através de discussão. A intuição e a imaginação dos alunos estão envolvidos nesse processo por meio da ação de relacionar os conceitos que aprenderam, lendo ou assistindo aulas/palestras, com a “vida no mundo real” retratada de maneira artística nos filmes. Assim estimulados, os alunos se moverão em direção à apropriação intelectual do tema apresentado, o que implicará em retenção mental, em longo prazo, de conceitos econômicos. Continue reading “Economia no Cinema 2015”

Aula sobre Independência do Banco Central

UnicampAula 8 Independência do Banco Central

Resumo: A recente política brasileira de estabilização inflacionária demonstrou, mais uma vez, que um Banco Central Independente não é nem condição necessária nem suficiente para combater a inflação. Para o sucesso dessa política, houve necessidade de uma política macroeconômica abrangente e coordenada – envolvendo política de abertura comercial, política fiscal, política de rendas, política cambial e política de juros –, em condições internacionais propícias ao acúmulo de reservas internacionais e à sobrevalorização da taxa de câmbio. A Independência do Banco Central também não teria conseguido controlar a endogeneidade da oferta de moeda, ou seja, a remonetização, determinada pela nova demanda por moeda dos agentes econômicos, nas condições de estabilidade inflacionária.

independência do banco central é mero oportunismo eleitoreiro, ou seja, é um falso problema o do controle da quantidade de moeda; o verdadeiro problema é o do financiamento do gasto público. Portanto, a questão fundamental é política, pois cabe ao Poder Executivo executar as decisões de gastos, aprovadas pelo Poder Legislativo, com ou sem a autonomia do Banco Central. Está relacionada à necessidade de uma reforma fiscal com progressividade dos impostos.

Os cidadãos bem informados devem estar alertas para seu voto não validarem o risco da Independência do Banco Central em relação ao governo, levando-o a sua “privatização”, ou seja, à total subordinação aos interesses privados do mercadoO Banco Central torna-se independente de O Governo e dependente de O Mercado. Cria-se um Poder Tecnocrático não eleito para controlar a Nação!