Preciso Aprender a Ser Só

Misantropia

Misantropia é a característica de quem está misantropo, isto é, aquele que tem, em determinados momentos, preferência pela solidão, aversão à sociedade humana. É sentimento derivado da melancolia, depressão, tristeza.

É o que sinto, quando a ordem nas redações da “grande imprensa” parece ser apenas disparar ataques, dia e noite, sem pausas, contra o ex-presidente Lula, a presidenta Dilma Roussef e o Partido dos Trabalhadores. “Fazer sangrar” ou “extinguir essa raça [ou partido]” nas palavras sem sutileza dos violentos adversários da democracia.

Niilismo é a redução ao nada, o aniquilamento, a não existência. É um ponto de vista que considera que as crenças e os valores tradicionais são infundados e que não há qualquer sentido ou utilidade na existência. Resta apenas o total e absoluto espírito destrutivo, em relação ao mundo circundante e ao próprio eu.

No nietzschianismo, niilismo é a negação, o declínio ou a recusa, em curso na história humana, e especialmente na modernidade ocidental, de crenças e convicções – com seus respectivos valores morais, estéticos ou políticos – que ofereçam um sentido consistente e positivo para a experiência imediata da vida.

Sylvia Colombo (FSP, 30/01/16) escreveu uma resenha da literatura recente, ainda não traduzida, sobre o fenômeno de “isolamento social”. Ela não faz uso dos conceitos acima (misantropia e niilismo), nem apresenta uma análise psicológica, seja individual, seja de massa, mais profunda sobre a origem do fenômeno. Trata-se de “isolamento social” ou auto isolamento? Compartilho abaixo, para ler e refletir a respeito.

Continue reading “Preciso Aprender a Ser Só”

Planejamento Sucessório de Ex-Descasados

casamento segundo a biblia

O segundo casamento é a vitória da esperança sobre a experiência. Ou da emoção sobre a razão

Com o uso do Viagra, os recém-descasados da Terceira Idade passaram a ter prazer em novamente namorar — e se ficarem com demência senil, casar-se. Já tendo acumulado um patrimônio razoável, antes de entrar em novas aventuras amorosas, certa “consciência culpada” os levam a se preocupar com o legado que vai deixar para seus filhos. Como protegê-los legalmente?

Mauri Fernando de Souza, planejador financeiro pessoal que possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner), concedida pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF). E­mail: maurifernandos@gmail.com, responde (Valor, 28/12/15):

“Sua preocupação diante de questões sucessórias é pertinente. Para proteger seus filhos, é preciso analisar seu relacionamento e, aliado a isso, criar estratégias de sucessão. Continue reading “Planejamento Sucessório de Ex-Descasados”

Planejamento Sucessório: Doação com Usufruto do Doador

impostos sobre herançaHá um movimento geral dos governos estaduais para aumentar o ITCMD. Todos aqueles que estão pensando em doar um imóvel para os filhos, permanecendo com o usufruto, deve considerar neste processo as seguintes precauções expressas (Valor, 04/01/16) por Jailon Giacomelli, planejador financeiro pessoal com a certificação CFP® (Certified Financial Planner), concedida pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF). E­mail: jailon@parmais.com.br

deathbytaxesO ITCMD (Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação) é um imposto estadual, devido por aqueles que recebem bens como herança ou doação.

Atualmente cada Estado tem o poder de determinar a sua própria alíquota, que é limitada 8%, de acordo com o art. 155 da Constituição Federal.

Há alguns meses, vem se discutindo a possibilidade unificar a alíquota em todos os estados, podendo representar um aumento muito significativo em relação as alíquotas atuais.

Essa possibilidade fez com que muitas famílias começassem a pensar na elaboração de um planejamento sucessório completo, ou mesmo simplesmente optassem por antecipar a doação de bens aos herdeiros e, consequentemente, recolhessem o ITCMD antes do possível aumento de alíquota.

Na doação de imóveis o doador tem a possibilidade de permanecer com os direitos sobre o bem, utilizando a doação com cláusula de usufruto, que garante ao doador o direito vitalício sobre o uso do imóvel e seus rendimentos, como arrendamento de um terreno ou aluguel de uma sala comercial.

Cuidados na doação com usufruto: Continue reading “Planejamento Sucessório: Doação com Usufruto do Doador”

Como Fazer Apenas Uma Bagagem de Mão para Viagem

Fazer mala

Era uma vez, quando eu viajava diariamente de avião. Ainda bem que foi apenas uma fase. Valeu para aprender a fazer uma pequena mala-de-mão, rapidamente, para não ter nem de despachar nem esperar a esteira rolante. Deixei de perder pelo menos uma hora por dia.

Com as pessoas na correria para sair de férias ou em feriadões, são boas as chances de elas se verem cercadas de muitas e pesadas malas.

Hoje, praticamente todas as companhias aéreas dos Estados Unidos cobram por mala despachada – geralmente US$ 25 pela primeira e US$ 35 pela seguinte, com taxas adicionais por bagagem que excede os limites de peso.

A única maneira de burlar o sistema é adotar um estilo de vida que contemple apenas a bagagem de mão. Aprenda a viajar com malas leves e você poderá economizar centenas de dólares anualmente. Para isso, vale ler os conselhos de Alexandra Jimenez, autora do livro “Pack Light Stylishly” (TravelFashionFirl.com). Ela percorre o mundo há anos – Chris Taylor da Reuters (Valor, 11/01/16) conversou com ela por telefone quando ela se encontrava no México – com nada mais que uma bagagem de mão.

Abaixo suas melhores dicas para simplificar a vida do viajante e evitar gasto extra desnecessário.

Continue reading “Como Fazer Apenas Uma Bagagem de Mão para Viagem”

38 Estratégias para Vencer Qualquer Debate – A Arte de ter Razão

Beluzzo

Na Introdução do livro de autoria de Arthur Schopenhauer, “38 Estratégias para Vencer Qualquer Debate – A Arte de ter Razão”, Karl Otto Erdmann faz algumas ponderações para advertir o leitor incauto.

“Seria uma empreitada muito útil substituir a sabedoria acadêmica empoeirada e ornamentada por uma técnica de debate verdadeiramente moderna. Em certo momento, Schopenhauer quis fazer isso, como ele explica em seu ensaio “Sobre a lógica e dialética” no segundo volume de seu Parerga e Paralipomena. Mas, depois, desistiu porque achou “que tal exame detalhado e minucioso dos atalhos e truques que a natureza humana comum usa para esconder suas deficiências” — já não era — apropriado.

O material inédito que ele coletou foi publicado por Frauenstädt em uma obra póstuma chamada de “erística”, isto é, uma doutrina do debate. Neste trabalho está contido a “base da dialética” introdutória que trata das doutrinas lógicas comuns da afirmação e da refutação por meio de “estratagemas”.

[Nota do editor: Estratagema e estratégia são sinônimos. O primeiro utilizado em assuntos dialéticos e acadêmicos, o outro em assuntos relacionados ao ambiente trivial e corporativo. Adotamos então a segunda acepção, cujo uso se tornou mais comum em nossos dias.]

Eles podem ser considerados o início de uma reunião de textos. Estão encadeados aleatoriamente, em parte, equivalentes, em parte, subordinados. Em alguns, são idênticos. Ao lado de erros básicos de raciocínio encontram-se engodos e subterfúgios especiais, que, com seus ataques à lógica, podem parecer até fora de propósito. Por exemplo, quando ele “aconselha” um oponente a provocar a raiva do inimigo, pois com raiva ele é incapaz de julgar corretamente. O meio para deixá-lo com raiva é ser explicitamente injusto com ele, achincalhando-o e até sendo insolente.

[FNC: como exemplo desses truques retóricos, postarei em seguida um debate recente entre Luiz Gonzaga Belluzzo e Alexandre Schwartsman. É um debate em que se gasta energia, mas não se cria luz…] Continue reading “38 Estratégias para Vencer Qualquer Debate – A Arte de ter Razão”

Narcos e a Economia das Drogas

Narcos 1

TacianaTive o prazer, neste semestre, ter como aluna, no Curso de Doutoramento do Instituto de Economia da Unicamp, a simpática Taciana Santos de Souza. Em que pese ser uma garota muito meiga, tornou-se especialista em um tema hard e inusual: Economia das Drogas. Defendeu sua Dissertação de Mestrado, em fevereiro de 2015, orientada pela professora Dr. Ana Lucia Gonçalves da Silva. É possível acessar o resumo e o trabalho completo no link:

http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000952327&opt=1

Gentilmente, como um aperitivo para a leitura de sua dissertação, escreveu um interessante comentário sobre a série de TV “Narcos” para este modesto blog.

Narcos 2

Continue reading “Narcos e a Economia das Drogas”

Religiões Humanistas: Humanismo Evolutivo dos Nazistas

Genocídio

Yuval Noah Harari, em “Sapiens – uma breve história da humanidade”, afirma que a principal ambição dos nazistas era proteger a humanidade da degeneração e encorajar sua evolução progressiva. É por isso que os nazistas afirmavam que a raça ariana, para eles “a forma mais avançada de humanidade”, tinha de ser protegida e encorajada, ao passo que tipos degenerados de Homo sapiens, como judeus, ciganos, homossexuais e doentes mentais, tinham de ser colocados em quarentena e até mesmo exterminados.

Os nazistas explicavam que o Homo sapiens surgiu quando uma população “superior” de humanos antigos evoluiu, ao passo que populações “inferiores” como os neandertais foram extintas. Essas populações diferentes, no início, eram não mais diferentes do que raças, mas evoluíram de maneira independente por seus próprios caminhos evolutivos. Isso poderia muito bem acontecer novamente.

De acordo com os nazistas, o Homo sapiens já havia se dividido em várias raças distintas, cada uma delas com suas qualidades únicas. Uma dessas raças, a raça ariana, tinha as melhores qualidades – racionalismo, beleza, integridade, diligência. A raça ariana, portanto, tinha o potencial de transformar o homem em super-homem. Outras raças, como os judeus e os negros, eram os neandertais de hoje, apresentando qualidades inferiores. Se lhes fosse permitido procriar – e, em particular, procriar com arianos –, eles adulterariam todas as “todas as populações humanas e condenariam o Homo sapiens à extinção.

Desde então, os biólogos têm desmascarado a teoria racial nazista. Em particular, as pesquisas genéticas realizadas após 1945 demonstraram que as diferenças entre as várias linhagens humanas são muito menores do que os nazistas postulavam. Mas essas conclusões são relativamente novas. Continue reading “Religiões Humanistas: Humanismo Evolutivo dos Nazistas”