Mulheres como Protagonistas

Recebi um convite interessantes de Davi Carvalho, o designer/coordenador do novo Portal do IE-UNICAMP — visite-o: Portal do IE-UNICAMP. Escreverei, mensalmente, um artigo sobre minha experiência docente de reunir Cinema, Literatura e Música para ensinar Economia. Reproduzo o primeiro abaixo.

“Depois de oferecer quatro vezes uma disciplina eletiva no curso de graduação do IE-UNICAMP sob o título Economia no Cinema, em que focalizei o desenvolvimento mundial, ofereci no 1o. semestre de 2017 um curso denominado “Economia no Cinema: Cidadania e Cultura Brasileira”. Seu objetivo foi debater respostas apresentadas pelo cinema nacional e pela MPBE – Música Popular Brasileira sobre Economia à pergunta-chave: que país é este?

Os alunos e eu discutimos a dependência da trajetória brasileira, configurada através das interações entre diversos componentes de um sistema complexo, destacadamente, os direitos da cidadania (civis, políticos, sociais, econômicos e das minorias), conquistados ao longo da História do Brasil. Infelizmente, os deveres educacionais, culturais e comportamentais éticos e democráticos de todos os cidadãos ficaram relegados a segundo plano. Propiciarão essas interações a emergência de uma democracia socioeconômica e política?

O método didático adotado foi debater se as ideias abordadas pelos filmes ou por músicas são representativas (ou não) de distintas interpretações sobre o Brasil, aprendidas por leituras prévias da historiografia brasileira clássica, ou se são expressões de sentimentos populares a respeito de temas econômicos. Assim, estimulados por empatia, os estudantes obtiveram a apropriação intelectual dos temas apresentados. Continue reading “Mulheres como Protagonistas”

Financiamento Público e Regimes de Previdência

INSTITUTO DE ECONOMIA

Maiores Informações: Secretaria de Extensão  (das 09h00 às 21h00)

Fones: (019) 3521-5728 e 3521-5815

E-mail: extensao@eco.unicamp.br  / http://www.eco.unicamp.br

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA E GOVERNO

Financiamento Público e Regimes de Previdência

EMENTA: Modalidades de financiamento do setor público e/ou políticas públicas: arrecadação fiscal, emissão monetária, endividamento ou crédito público. Funções dos bancos públicos: missões sociais e ações comerciais. Reestruturação dos bancos públicos federais. Fontes de financiamento: fundos constitucionais (“parafiscais”), fundos sociais (FGTS, FAT, Fundo Soberano, etc.), captação comercial de funding e operações estruturadas de mercado de capitais. Modalidades de regimes previdenciários: regime geral (INSS), regimes próprios da União, DF, Estados e Municípios brasileiros (para servidores públicos), e regime de Previdência Complementar. Demografia e crise da Previdência Social. Posturas financeiras dos regimes de repartição e de capitalização: Ponzi (INSS), Especulativa (Benefício Definido) e Protegida (Contribuição Definida). FUNPRESP (Fundo de Previdência Complementar do Servidor Público). Fundos de pensão fechados: papel estratégico no Capitalismo de Estado Neocorporativista. Fundos de pensão abertos (PGBL/VGBL): papel-chave da Previdência Privada na aposentadoria de profissionais com Ensino Superior.

PROFESSOR RESPONSÁVEL: Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa

PROGRAMA E BIBLIOGRAFIA BÁSICA: Continue reading “Financiamento Público e Regimes de Previdência”

XXII Encontro Nacional de Economia Política (ENEP)

O Instituto de Economia da UNICAMP recebe o maior evento de Economia Política do Brasil. Mais de mil pessoas, em sua maioria professores e estudantes de Economia,  são esperadas no XXII Encontro Nacional de Economia Política (ENEP) que acontecerá entre os dias 30 de maio e 02 de junho. Leia a Programação e o Caderno de Resumos dos TrabalhosSEP 2017 Caderno de Resumos (p.ex., resumos da sessão abaixo nas páginas 93, 94 e 95).

Downloads dos trabalhos emhttp://www.sep.org.br/downloads

Obs.: veja no dia 2 de junho de 2017, sexta-feira, entre 14-16 horas:Destaco abaixo alguns trabalhos interessantes para leitura:
Continue reading “XXII Encontro Nacional de Economia Política (ENEP)”

Inovações no Ensino

Wow Room” é a primeira sala de aula digital de grandes proporções da Europa. Nela, existem 48 monitores que em um tapete digital de 45 metros quadrados em forma de “U“, que permite a interação com até 60 alunos simultaneamente.

A experiência de aprendizagem na escola de negócios espanhola IE Business School, eleita como o melhor curso de MBA on-line do mundo pelo Financial Times, acontece por meio de:

  1. inteligência artificial,
  2. simulações em tempo real,
  3. análises de “big data“,
  4. robôs interativos,
  5. sistemas de reconhecimento emocional, e
  6. presença de especialistas via hologramas.

O professor consegue interagir como se estivesse em uma sala de aula normal. Olhar o futuro significa investir em inovações tecnológicas como essa. Uma das apostas da escola é crescer no ensino on-line e/ou EAD (Ensino à Distância).

Mais do que incorporar novas tecnologias, se quiserem olhar para a frente, as escolas precisam:

  1. se afastar do conhecimento teórico [isto no caso de cursos de Gestão baseados em “banco de boas práticas” sem fundamentos teóricos] e
  2. focar cada vez mais no treino de comportamentos mentais e competências interpessoais.

Continue reading “Inovações no Ensino”

Medição da Casta de Sábios-Universitários

numero-total-de-matriculas-2003-2014

A repressão politica no Brasil da ditadura militar pouco promoveu o Ensino Superior, tanto público quanto privado. O número de matriculas, em cerca de vinte anos, passou de 95.961, em 1960, para apenas 134.500, em 1980. A democracia foi benéfica para sua expansão. Veja abaixo a multiplicação quase por doze vezes até 1991.

graduacao-presencial-1991-2002

Em 2014, houve 6.486.171 matrículas em Cursos de Graduação Presenciais. Somaram-se, assim, mais 3.006.258 estudantes universitários na Era Social-Desenvolvimentista (2003-2014).

graduacao-presencial-2014

Em 2014, segundo o INEP, o Censo apurou mais de 7,8 milhões de matrículas em Ensino Superior, considerando Cursos Presenciais e EAD. Isso significa aumento de 96,5% de 2003 (quando as matrículas eram 3.936.933) a 2014. Nos cursos a distância, 9 de 10 matrículas estavam na rede privada, já na modalidade presencial, 72% das matrículas se encontravam em cursos privados.

Contudo, quando se analisam as matrículas presenciais apenas em Universidades (e não em outras categorias administrativas), as públicas e as privadas abrigavam números mais próximos, respectivamente, 1.548.007 e 1.656.994. Em outras palavras, rigorosamente, estudantes universitários eram 3.205.001. Esta casta ainda não se massificou tanto quanto sugere o número de estudantes de Ensino Superior do gráfico acima.

Considerando o número de docentes universitários como componentes dessa casta de sábios, eram apenas 204.310 em 2014, sendo que os com Doutorado, que davam aulas em Universidades, eram a metade: 102.371 professores. Apenas estes poderiam ser considerados membros da casta dos sábios-universitários? Continue reading “Medição da Casta de Sábios-Universitários”

Política Educacional do Governo Golpista: EAD

ensino-a-distancia

No ano do golpe, estima-se que a política educacional do governo golpista levou a uma queda de 6,7% no volume de matriculados nos cursos presenciais e redução de 3,6% no EAD. O volume de calouros caiu 1,96% no presencial e ficou estável nos cursos a distância.

Beth Koike (Valor, 17/02/17) informa que o número de alunos matriculados em cursos a distância deve ultrapassar o ensino presencial daqui a seis anos. Em 2023, a estimativa é de 9,2 milhões de estudantes em faculdades privadas, sendo que 51% deverão estar matriculados em cursos on-line, de acordo com dados da consultoria Educa Insights. Em 2015, último dado disponível no Ministério da Educação (MEC), cerca de 20% dos universitários faziam cursos a distância.

A projeção leva em conta o histórico de crescimento dos últimos cinco anos, mas também considera a entrada de instituições privadas renomadas no mercado de graduação on-line como FGV e PUC, e universidades públicas como USP e a Federal Fluminense, que tem cerca de 10 mil inscritos.

Um curso a distância é rentável a partir de 10 mil alunos. A força da marca no presencial é importante porque atrai para os cursos on-line. Mas a instituição precisa ter fôlego financeiro porque o ensino a distância demanda um investimento alto antes da geração de receita, ou seja, antes dos alunos começarem estudar. Aliás, isto é um “mero detalhe”, parece não importar a qualidade do ensino, mas apenas a diplomação para efeito estatístico

Continue reading “Política Educacional do Governo Golpista: EAD”

Censo Escolar 2016

frequencia-a-escola-por-idade-2015alunos-em-tempo-integraleducacao-profissional

retrato-da-educacao

Abaixo você pode acessar os principais dados do Censo Escolar:

  • Censo Escolar 2016: Apresentação do Censo Escolar da Educação Básica – 2016
  • Os dados do Censo Escolar podem ser acessados por meio do próprio sistema Educacenso, pelo Data Escola Brasil, pelas Sinopses Estatísticas, pelos Microdados ou pelo Inepdata.  Por meio dos microdados, disponibilizados em mídia eletrônica, os usuários têm acesso a todo o acervo de dados coletados, com exceção dos dados individuais dos alunos e profissionais escolares e dos dados de endereço das escolas. Dessa forma, é possível ter acesso aos dados primários e reproduzir todos os indicadores calculados pelo lnep, configurando-se, assim, em uma forma abrangente e transparente de disseminação.
  • Para visualizar os dados preliminares e finais do Censo Escolar, divulgados no Diários Oficial da União (DOU), assim como os Resumos Técnicos, acesse o menu Resultados e Resumos.