Intolerância Ideológica dos Neoliberais Golpistas com os Desenvolvimentistas

Rio de Janeiro - A economista Maria Silvia Bastos Marques, toma posse como nova presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no edifício-sede, centro do Rio (Tomaz Silva/Agência Brasil)
Nomeada por um governo golpista, a economista Maria Silvia Bastos Marques não tem pudor de tomar posse como nova presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES): carreirismo…

Como um dos fundadores do Centro Celso Furtado, e abominando o discurso de ódio e intolerância ideológica predominante, aqui e agora, eu me solidarizo com o teor da seguinte mensagem que recebi da minha amiga Glorinha:

“Venho pensando no quanto a classe média se deixou enganar nesse processo de impeachment… Não quero fazer análise, pois o silêncio dela a mim me parece conter uma certa vergonha, pois eu a cada dia que passo mais envergonhada fico por ela…

Esta semana, entreguei para o Centro Celso Furtado uma pesquisa que demoramos dois anos para concluir: eu, o Prof. Victor Araújo, a Profa. Hildete e o Calos Renato. Estudamos o BNDES entre 1982 e 2004, haja vista que já tínhamos publicado, em 2010, o período compreendido entre 1952 e 1982.

Na pesquisa que agora realizamos, sob minha coordenação, além da análise de desempenho, entrevistamos treze ex-dirigentes do BNDES, que generosamente nos mostraram o que pensam sobre as privatizações, pois estas foram, durante algum tempo, o principal envolvimento do Banco, já que eram uma inovação em seu histórico papel.

Nos explicaram também como foi trabalhar com análise de crédito; porque foram utilizadas as chamadas “moedas podres”, que poucos sabem que favoreceu a troca de não recebíveis por recebíveis; instrumentos e conceitos contábeis utilizados; como o BNDES começou a financiar o agronegócios; como o Banco, depois de ter privatizado a Vale, no governo Lula da Silva recomprou suas ações….

Enfim, fizemos, do meu ponto de vista, com a decisiva colaboração de nossos entrevistados — dos quais nenhum deles é filiado ao PT, mas alguns são filiados ao PSDB e ao PMDB — um belo resgate de um debate que, no Brasil, mais uma vez permanece no campo ideológico.

Entregamos o trabalho para o Centro Celso Furtado na quinta feira, e na sexta feira a Mª. Silvia Bastos Marques, atual presidente do BNDES, nomeada pelo governo interino, deu uma “ordem de despejo” ao Centro Celso Furtado, que funciona nas dependências do Banco. Continue reading “Intolerância Ideológica dos Neoliberais Golpistas com os Desenvolvimentistas”

Estou estarrecido! Boquiaberto! Que Cleptocracia!

Coxinha-Trouxinhacoxinha-trouxinha-escondidinho

Estou estarrecido:  a notícia abaixo deixou-me perplexo, espantado. Estou horrorizado, aterrado! Estou boquiaberto: com a boca aberta, embasbacado, estupefato… Macularam a liturgia do cargo de VP da Caixa! A que ponto chegou a cleptocracia

Este é um regime político-social em que práticas corruptas, especialmente com o dinheiro público, são implicitamente admitidas ou mesmo consagradas. E a pobre da Dilma virou o bode-expiatório dos coxinhas-trouxinhas-escondidinhos

Será que há entre os políticos profissionais brasileiros — 49% herdeiros de dinastias políticas e/ou oligarquias regionais — uma cleptolagnia, isto é, uma variedade de cleptomania em que o ato de roubar provoca excitação sexual?!

A PF cumpriu 19 mandados de busca e apreensão, sendo 12 em São Paulo. A ação foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki, relator da Lava Jato na corte. Em delação premiada do ex-vice-presidente da Caixa, no período 2011-2015, Fabio Cleto — “destinado”: País da piada pronta –, ele afirmou que teve reuniões semanais com o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) durante quatro anos para tratar de um esquema de propina envolvendo o FI-FGTS e que o parlamentar embolsou 80% dos recursos desviadosSua delação deu origem à operação Sépsis, deflagrada nesta sexta-feira (01/07/16).

Ele denunciou que a Eldorado Brasil Celulose, do grupo J&F, controlador da JBS (leia post a respeito dela no domingo, 3/7/16), pagou a ele R$ 680 mil em propina. Também disse que cobrou vantagem indevida de uma série de empresas que apresentavam projetos no âmbito de sua vice-presidência!

Continue reading “Estou estarrecido! Boquiaberto! Que Cleptocracia!”

Entrevista da Presidenta Golpeada a El País

Dilma

Recebi a mensagem abaixo do caro “correspondente europeu”, Miguel Amaral, deste modesto blog:

Estimado Fernando,

Acabo de ler uma entrevista bastante interessante da Dilma, onde explica a situação do país e a sua posição. Sobretudo, gostei da sua serenidade.

Ao ler lembrei-me daquela fábula do sapo e do escorpião: o escorpião esta na margem do rio que queria atravessar e pediu ao sapo para o ajudar. O sapo acedeu, apesar, do perigo. Quando estavam a chegar quase a outra margem, o escorpião deu uma picada letal, os dois iriam morrer afogados, o sapo perplexo perguntou: — Porquê? Ao que o escorpião respondeu: — É a minha natureza…

Link da entrevista em Espanhol:
http://internacional.elpais.com/internacional/2016/06/22/america/1466627246_497140.html

Link da entrevista em Português:
http://brasil.elpais.com/brasil/2016/06/22/politica/1466621398_081819.html

É possível que a entrevista em Espanhol esteja mais completa.

Um Abraço,
Miguel.

Compartilho a entrevista abaixo: Continue reading “Entrevista da Presidenta Golpeada a El País”

Estado Ideal

Desobediência Civil

Henry David Thoreau, em “A desobediência civil” (Rio de Janeiro; Rocco; 1984 – original de 1849), afirma: “Não desejo brigar com nenhum homem ou nação. Não desejo me perder em minúcias, fazer distinções sutis ou me colocar acima de meus semelhantes. Ao contrário, posso dizer que até procuro uma desculpa para acatar as leis do país. Estou mesmo muito disposto a acatá-las. De fato, tenho razões para desconfiar de mim mesmo quanto a este tópico. A cada ano, quando o coletor de impostos aparece, eu me vejo resolvido a passar em revista os atos e posições dos governos geral e estadual, bem como o espírito do povo, a fim de descobrir um pretexto para a obediência”.

Continua: “o governo não me preocupa muito, e dedicarei a ele a menor quantidade possível de pensamentos. Não são muitos os momentos da vida nos quais vivo sob um governo, mesmo neste mundo tal como ele é. Se um homem tem pensamento, fantasia e imaginação livres, de tal modo que o que não é jamais lhe pareça ser por muito tempo, governantes insensatos não podem interrompê-lo definitivamente”.

Sabe que a maioria dos homens pensa de modo diferente do seu, mas aqueles cujas vidas são, por ofício, dedicadas ao estudo de semelhantes assuntos satisfazem-se tão pouco quanto os demais. Estadistas e legisladores, estando tão completamente entranhados na instituição, nunca conseguem observá-la de modo distinto e franco. Continue reading “Estado Ideal”

Mesadas do PMDB: Onde estão os Moralistas Golpistas?

Mesadas do PMDB

Somando as mesadas do PMDB, suas lideranças receberam da Transpetro R$ 104.450.000,00! Compare com os demais: PSDB, R$ 2.000.000,00 (R$ 1.000.000 per capita); PSB: R$ 1.000.000 per capita; DEM, R$ 275.00 per capita; PP, R$ 250.000 per capita; PT, R$ 1.742.400,00 (R$ 348.400 per capita); PCdoB, R$ 100.000 per capita.

Ex-presidente da Transpetro e delator da Operação Lava-Jato, Sergio Machado disse que acertou com o presidente golpista Michel Temer doação de R$ 1,5 milhão para a campanha de Gabriel Chalita (PDT) à prefeitura de São Paulo em 2012, então pelo PMDB. Segundo ele, o “contexto da conversa deixava claro que Temer estava ajustando pedido de “recursos ilícitos das empresas que tinham contratos com a Transpetro na forma de doação oficial para a campanha de Chalita”.

Machado disse que, enquanto esteve à frente da Transpetro, entre 2003 e 2011, repassou ao PMDB pouco mais de R$ 100 milhões originados de “comissões pagas ilicitamente por empresas contratadas”. Foi, segundo ele, deste valor que saiu o R$ 1,5 milhão para Temer e outros R$ 32 milhões para o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL) e R$ 24 milhões para o senador Edison Lobão (MA). No total, ele citou 10 políticos do PMDB e 12 de seis partidos, como envolvidos em negociações por propina. Mas não se igualam os “pés-de-chinelo”, que financiaram suas campanhas eleitorais, com os “donos do Poder Oligárquico e Dinástico” que enriqueceram-se ainda mais: Temer e os clãs de Renan, Sarney, Lobão, Barbalho, Alves, Jucá, etc. Até quando essa gente provinciana comandará o País?!

Continue reading “Mesadas do PMDB: Onde estão os Moralistas Golpistas?”

Voto Inútil

desobedienciacivil (1)

A letra da música “Ideologia“, composta por Cazuza, expressa muito a respeito dos meus sentimentos políticos no momento: Meu partido / É um coração partido / E as ilusões / Estão todas perdidas / Os meus sonhos / Foram todos vendidos / Tão barato que eu nem acredito / Ah! Eu nem acredito / Que aquele garoto / Que ia mudar o mundo / Mudar o mundo / Frequenta agora / As festas do “Grand Monde” / Meus heróis / Morreram de overdose / Meus inimigos / Estão no poder / Ideologia! / Eu quero uma pra viver / Ideologia! / Eu quero uma pra viver…

Henry David Thoreau, em “A desobediência civil” (Rio de Janeiro; Rocco; 1984 – original de 1849), afirma: “não discuto com inimigos distantes, mas com aqueles que, perto da minha casa, obedecem e cooperam com os que estão longe, e que sem eles seriam inofensivos”.

Estamos habituados a dizer que “as massas são despreparadas”; mas o aprimoramento é lento, porque a minoria não é essencialmente mais sábia ou melhor que a maioria. Mais importante do que haver muitos que sejam bons como você é haver em algum lugar a excelência absoluta, pois isso fará fermentar a massa como um todo.

“Toda votação é uma espécie de jogo, como damas ou gamão, com um leve matiz moral, uma brincadeira em que existem questões morais, o certo e o errado, e evidentemente é acompanhada de apostas. O caráter dos votantes não entra em jogo. Deposito meu voto, talvez, de acordo com o que julgo correto; mas não estou vitalmente preocupado com a vitória do certo. Estou disposto a deixar isso para a maioria”.

A obrigação do voto, portanto, nunca vai além do que é conveniente. Mesmo votar pelo que é correto não é o mesmo que fazer alguma coisa por ele. É apenas expressar debilmente aos outros o desejo de que o certo prevaleça. Um homem sábio não deixará o que é correto à mercê da sorte, nem desejará que ele prevaleça mediante o poder da maioria. Continue reading “Voto Inútil”