Germinal (1993) – Filme Completo e Legendado para Assistir OnLine

Sinopse:

Germinal é um romance do escritor Émile Zola, o décimo terceiro da série Les Rougon-Macquart e possivelmente um dos mais famosos. A cena tem lugar no norte da França durante uma greve provocada pela redução dos salários. Além dos aspectos técnicos das extrações minerais e as condições de vida nos agrupamentos dos mineiros, Zola também descreve o princípio da organização política e sindical da classe operária, tais como as divisões já existentes entre marxistas e anarquistas.

Para compor Germinal, o autor passou dois meses trabalhando como mineiro na extração de carvão. Viveu com os mineiros, comeu e bebeu nas mesmas tavernas para se familiarizar com o meio. Sentiu na carne o trabalho sacrificado, a dificuldade em empurrar um vagonete cheio de carvão, o problema do calor e a umidade dentro da mina, o trabalho insano que era necessário para escavar o carvão, a promiscuidade das moradias, o baixo salário e a fome. Além do mais, acompanhou de perto a greve dos mineiros.

O filme retrata o processo de gestação e maturação de movimentos grevistas e de uma atitude mais ofensiva por parte dos trabalhadores das minas de carvão do século 19 na França em relação à exploração de seus patrões.

Direção: Claude Berri
Ano: 1993
País: Bélgica, Itália, França
Gênero: Drama
Duração 170 min. / cor
Título Original: Germinal

4 pensamentos em “Germinal (1993) – Filme Completo e Legendado para Assistir OnLine

  1. O filme retrata as dificuldades de sobrevivência da classe trabalhadora no modo de produção capitalista, que prioriza o sistema economico e a propriedade privada. O resultado do trabalho desempenha papel de mercadoria adquirida por meio de renumeração estabelecidas em contrato e regulada pelo mercado. Consiste na separação absoluta entre assalariados e patrões.

    • Prezada Alessandra,
      concordo com seu comentário em princípio, o da esquerda democrática que defende a igualdade social entre os indivíduos.

      Discordo da generalização de sua primeira frase. É necessário datar e localizar, senão sua análise torna-se atemporal e universal, portanto, incorreta, pois ahistórica.

      As condições sociais da classe trabalhadora não evoluiram desde então até hoje? A proporção de trabalhadores intelectuais / manuais não se alterou significativamente? A classe operária industrial especializada não está hoje entre as camadas médias de renda?

      Quanto ao “modo de produção capitalista, que prioriza o sistema economico e a propriedade privada”, isto foi um avanço histórico extraordinário em relação ao passado, seja em relação ao modo de produção escravista, seja em relação ao feudal. Priorizar o sistema econômico, i.é, a busca de sua sobrevivência material, é uma conquista social face a priorizar a religião, o monarca ou o senhor feudal ou o senhor de escravos.

      A propriedade privada da casa própria e/ou da própria terra foi outra conquista histórica face ao regime de servidão ou concentração da propriedade fundiária nos senhores feudais, na igreja e nas monarquias absolutistas. A esquerda necessita aprender as lições da história e não contrapor à propriedade privada a propriedade coletiva/estatal de tudo! Ela será mais convincente e ganhará adeptos se entender que a propriedade privada do próprio lar, bens domésticos e micro-pequenas empresas é um direito civil irrevogável sob pena de abandonar a liberdade em favor de um regime totalitário. Além do mais este regime não é eficiente na regulação do modo de vida e produção de toda a sociedade.
      att.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s