Instinto Humano – Como os nossos impulsos primitivos moldaram o que somos hoje

Instinto Humano

Robert Winston, em seu livro “Instinto Humano” (Rio de Janeiro: Globo; 2006; pp. 431), quer examinar, a partir de suas origens na savana da África oriental, o legado deixado por aqueles estranhos seres que foram realmente responsáveis pelo nascimento do homem moderno: Australopithecus, Homo Habilis e Homo Erectus.

Atualmente, a maior parte das pessoas aceita completamente a Teoria Básica da Evolução, exceto os reacionários “criacionistas”, que parecem estar tentando convencer a si mesmos a respeito de sua crença religiosa, pregando-a fanaticamente. Abandonando a fé e estudando as descobertas científicas, os humanos descendem dos macacos e estes, por sua vez, descendem de mamíferos mais primitivos.

Nossa forma e estrutura derivam de outras criaturas e há implicações psicológicas desse fato. O Homo Sapiens não apenas parece, se move e respira como um macaco; ele também pensa como um macaco! Não apenas temos um corpo da Idade da Pedra, como também temos uma mente da Idade da Pedra!

As pressões a que fomos expostos durante milênios deixaram um legado mental e emocional. Algumas dessas emoções e reações, derivadas de espécies que nos antecederam, são desnecessárias nos tempos modernos, mas os vestígios de uma existência anterior estão indelevelmente impressos em nós.

Este livro é basicamente sobre instintos que intrigam a todos nós. Examina os instintos humanos de sobrevivência, desejo sexual, competição, agressão, altruísmo, nossa busca por conhecimento e nossa necessidade algo mais, talvez do divino. É para a savana africana que devemos olhar se desejarmos encontrar algumas respostas para esses impulsos.

Há 5.000.000 de anos, nossos ancestrais hominídeos desceram das árvores para tentar a sorte na savana. O fim da Era do Gelo os forçou a se adaptarem a um novo ambiente com menos recursos naturais do que as florestas tropicais e pouca proteção física contra os predadores. A seleção natural persistiu por mais de 200.000 gerações com homens-macacos competindo com outros animais.

Começamos a vida na savana como Australopithecus, com um cérebro de tamanho igual ao de um chimpanzé. Nos 3.000.000 de anos que se seguiram, ele triplicou de tamanho. A expansão do número de células cerebrais até o nosso estado atual, com cerca de 100 bilhões de células nervosas, resultou em uma mente cada vez mais complexa. Continuamos a desenvolver uma série de instintos, concomitantemente a um extraordinário salto em nossa aprendizagem, emoção e racionalidade.

Por um lado, aprendemos a fazer uso de ferramentas. Descobrimos o fogo e seus usos. Exploramos o mundo que habitamos. Começamos a conversar uns com os outros e a vida em comunidades mais complexas. Caçadores migrantes trocaram informações. Relações de cooperação e familiaridade possibilitaram a formação de grupos maiores. A crescente divisão de trabalho nos permitiu criar raízes, construir civilizações e ter uma vida cultural criativa.

Por outro lado, nossa busca por riqueza material e status resulta na dissolução de unidades familiares. Temos desejos e necessidades emocionais que nem sempre são satisfeitos. Acostumamos à fofoca e à intriga típica de grupo pequeno e interdependente. Há tensão, portanto, entre os nossos instintos da Idade da Pedra e as dificuldades impostas pela civilização pós-industrial.

A definição de “instinto” está na diferença entre:

  1. a mente com a qual nascemos;
  2. a mente que “formamos”, via aprendizado, cultura e socialização.

Então, instinto é, essencialmente, a parte do nosso comportamento que não é fruto de aprendizado. Contudo, nosso ambiente – e, portanto, nosso aprendizado – pode ter uma influência poderosa no modo pelo qual nossos instintos se expressam.

O instinto é construído de elementos humanos herdados, de ação, desejo, razão e comportamento. Esses instintos especificamente humanos são aqueles que se formaram durante nosso tempo na savana.

Hoje, sabemos muito mais a respeito de características herdadas do que Charles Darwin – sabemos que são transmitidas por genes. A descoberta da sequência completa do genoma humano é um marco na história da ciência. O Projeto do Genoma Humano foi completado em 2001. A odisseia foi listar cerca de 3 bilhões de letras que representam as ligações químicas da dupla hélice do DNA. Nesse código está a receita para o desenvolvimento do corpo humano.

A grande maioria do código químico é idêntica, por isso se diz “o” genoma humano. Cerca de uma em cada 10 mil letras será diferente entre uma pessoa para outra. Nestas diferenças residem as variações de psicologia humana. O desenvolvimento do cérebro humano é amplamente determinado pelo código genético.

O comportamento humano é instável e imprevisível. As possibilidades de comportamento diário são infinitas. Ele está à mercê de muitas forças que não controla e que o empurram de um lado para outro. Algumas forças biológicas, cognitivas e culturais se anulam, outras pressionam para uma mesma direção. É inteiramente impossível que duas tendências de instinto ajam de modo igual e contrário. Possuímos um mecanismo adaptativo em que coexistem a competição e a cooperação. O desafio é tentar desembaraçar essas forças e explicar suas origens.

A Teoria do Caos nos diz que pequenas mudanças nas condições iniciais tem um efeito crítico no resultado final de um sistema caótico. Isso se aplica tanto ao comportamento humano quanto ao mundo físico. É impossível termos um modelo de previsão para nosso comportamento porque há muitos fatores envolvidos, cada qual com o potencial de causar danos significativos. Há uma complicação a mais: humanos aparentemente tem livre arbítrio, refletem sobre seus comportamentos e podem alterá-los.

Portanto, a explicação de grande parte do comportamento humano é um processo extraordinariamente complexo. É produto de muitos fatores diferentes: instintivos, psicológicos, racionais e emocionais – e a predição se torna impossível. A aleatoriedade, então, é uma parte intrínseca de nossas características neurais.

Mas podemos fazer suposições válidas sobre a vida na savana e a reação do homem primata a várias experiências. Sabemos que os princípios físicos do planeta eram os mesmos. Sabemos da existência de uma série de predadores. Os hominídeos corriam o risco de serem comidos. Havia insetos venenosos, assim como frutos venenosos.

As regras básicas do estilo de vida mamífero permaneceram intactas: comer, beber, se aquecer e dormir. Puberdade, reprodução e envelhecimento já marcavam as fases da vida. Divisão de trabalho entre sexos também existia, assim como a convivência com a morte. Havia doenças e ferimentos. Os mais frágeis eram dependentes dos outros para receber comida e proteção. A mortalidade infantil era muito alta, a esperança de vida muito baixa.

Os recursos finitos – de caça, vegetação comestível, água e abrigo – pode significar que havia competição por estes recursos. Não apenas competição entre as espécies, mas competição dentro das espécies. Devíamos guerrear uns contra os outros.

A ideia do “gene egoísta” é que ele exerce uma influência massiva tanto no desenvolvimento evolutivo quanto na psicologia da mente humana. Não apenas afeta nossa luta por recursos e parceiros, como também define os termos nos quais nossas vidas sexual e familiar evoluem.

Não devemos subestimar o poder da arqueologia, embora suas suposições partam de evidências frágeis e inconclusas. As adaptações físicas são relativamente fáceis de se ver. As heranças de genes com aptidões mais eficientes selecionavam os indivíduos mais propensos a sobreviver e a se reproduzir, embora sem nenhum sentido de intenção ou de planejamento.

A evolução não é perfeita. Não podemos cair na armadilha de pensar que “a seleção natural resultou na melhor, mais barata  e mais elegante solução para cada problema”. A evolução é imperfeita, porque sempre envolve contínua mudança. Os passos regressivos quase nunca aconteceriam.

A seleção natural abrange uma série de pressões evolutivas simultâneas. Nenhuma adaptação ocorre de forma isolada. Nós somos repletos de compromissos e concessões. Alguns passos produziram uma vantagem seletiva para determinada espécie. A seleção natural, simplesmente, não pode começar novamente do zero e escolher a melhor solução possível.

Apesar do cérebro humano parecer estar adaptado para realizar certas tarefas, isso não significa que estamos vendo adaptações reais. Em animais cujo comportamento parece consistir exclusivamente de respostas a processos instintivos, decidir se algo é ou não uma adaptação genética a partir de sua história evolutiva é mais fácil. É improvável que seja resultado de uma série de mutações aleatórias.

A mente humana é mais complexa e flexível. Não somos escravos de nossos genes, mas somos profundamente afetados por eles. Separar as adaptações de todo o resto é extremamente difícil. Só porque certos tipos de comportamento humano são constantes em culturas diferentes não significa que eles sejam geneticamente determinados. Por exemplo, todas as sociedades que usam lanças as jogam com a ponta voltada para frente, mas isso não significa que nossa espécie tem um gene específico para este tipo de prática.

Quando os bebês abrem seus olhos e começam a registrar a existência de um mundo externo, inicia-se um intricado processo de desenvolvimento neural. Os instintos são acionados um a um – são as ferramentas de sobrevivência que vem pré-embaladas com o recém-nascido. Mas o cérebro não pode se desenvolver a não ser que receba os impulsos corretos. O ambiente no qual crescemos é fundamental para o desenvolvimento do instinto humano.

O desenvolvimento da natureza humana depende das pessoas e da cultura à nossa volta. Daí a importância fundamental da educação, da experiência e do ambiente social nos quais somos criados. Nossos mecanismos cognitivos para lidar com o mundo, sejam eles reconhecimentos de rostos, aquisições de linguagem ou desenvolvimento emocional, não vão aparecer sozinhos. Depois de um certo ponto no tempo, pode ser tarde demais para “liga-los”.

O processo de evolução está entrelaçado ao crescimento da cultura. Essa “cultura” começou muito antes da evolução nos tornar o que somos hoje.

É tentador olharmos para nossas vidas modernas – nossas razões, desejos, esperanças, problemas – e encontrar uma simples explicação evolucionista para tudo. Mas o estudo da humanidade não deve permitir a simplificação de explanações complexas, o que não significa perder a clareza didática da simplicidade.

Nosso passado evolutivo exerce uma pressão poderosa. Mas o elemento genético do comportamento humano será sempre refratado pela cultura. Genes são responsáveis pela mente humana da mesma forma que um roteirista é responsável por um filme. O roteiro é a base do filme, mas o estilo visual e o ritmo do filme são determinados principalmente pelo diretor e pelo montador. Ocasionalmente, parte do diálogo será improvisado no set. Cada pessoa, ao assistir o filme, pode interpretá-lo de uma maneira diferente.

Este livro de autoria de Robert Winston explora as teorias e as descobertas da relativamente nova área da Teoria Evolucionista. Foi escrito para acompanhar a série de TV da BBC sobre o “Instinto Humano”. Muitas da teorias mais interessantes são controversas e algumas foram hostilizadas. Mas o livro traz alguma luz sobre o que significa ser humano, e o que significa ser um produto da evolução não apenas física, mas mental. O instinto, uma “mão invisível” do ser humano ou, para os economistas comportamentais, do agente econômico, está presente em toda a nossa vida. Revelar sua forma emocional pode melhorar a compreensão que temos de nós mesmos. E dos comportamentos reais dos tomadores de decisões econômico-financeiras.

48 thoughts on “Instinto Humano – Como os nossos impulsos primitivos moldaram o que somos hoje

  1. AOS EVOLUCIONISTAS
    Primitivo, ignorante, atrasado é a pessoa que mantem um pensamento tão cego que parece viver em tempos de 3.000 anos A.C. Abra os olhos evolucionistas e perceberam a verdade que está aos seus pés, na sua frente, do seu lado e os cercam e por fim está dentro de cada um de vocês. A ignorância é tão grande que não ver o obvio! Por que não se perguntam, se o homem é descendente do macaco, porque não se repete os mesmo ocorridos anos atrás se temos a nosso ver os mesmos macacos que são referidos nessa profanaria, ignorante e cega teoria?
    Se verídico fosse, o mesmo ato deveria se repetir de forma que podermos ver. De certo que os homens evoluirão, mais os macacos são os mesmos, volta a frisar. São tão limitados que se rebaixam a ponto de acreditar que são descendentes de macaco. Deveriam perceber que tem mais valor do que essa simples e pobre visão. Acreditando totalmente nos pensamentos afirmado por um homem. Será conseguem ao menos pensarem? Acredito que se pensassem um pouco, veriam, enxergariam a verdade absoluta. Não veem que tudo nesse mundo tem inicio e fim? Só quem pode criar todos os componentes do universo e todas as grandezas existentes nele, é alguém maior que tudo. Se observassem os animais, não só o macaco mais todos os outros animais tem semelhanças humana. O nariz, boca, orelha, pele etc…Por que essa semelhança? Porque todos são obras do mesmo criador, Portanto isso explica a semelhança. Deus seja louvado eternamente. Deus tenha misericórdia de todos e os façam ver essa verdade que é tão nítida como a água mais transparente e mais real do que a nossa própria existência. Perguntem-se, Se não tem o dedo de alguém superior, um Deus, porque milhares e milhares e bilhões de pessoas o adoram e até mesmo entregam a vida por ele? Por que o livro sagrado que fala dele, é o mais vendido do mundo? Por que atravessa gerações e gerações e seu nome sua palavra subsiste? Reflitam e que possam tornarem-se mais inteligente para que possam ver essas verdades. Algumas vez já procuraram conhecer o DEUS lendo sua palavra para que então possam formar suas opiniões a respeito de DEUS?

    1. “Santa ignorância”…
      É representativa da visão criacionista?!
      Onde e quando “Deus” escreveu?!
      Os “tementes a deus” são confusos, não?
      Partem para a ignorância, já que falta estudo.
      Optam por passar a vida lendo a bíblia em vez de estudar ciência.
      Dá, então, nesse frágil poder de argumentação.
      Entenda o que é a bíblia, para não sair por aí dizendo que “ela é a palavra de deus”.

      “Como as obras de Homero, a Bíblia hebraica (Antigo Testamento) é ambientada em fins do segundo milênio AEC (Antes da Era Comum), mas foi escrita mais de 500 anos depois. Em contraste com as obras de Homero, porém, a Bíblia é venerada hoje por bilhões de pessoas que a consideram sua fonte de valores morais. (…) Estudiosos modernos da Bíblia concluíram que ela foi um trabalho colaborativo nos moldes da nossa Wikipedia. Ela foi compilada no decorrer de 1/2 milênio por escritores que tinham diferentes estilos, dialetos, nomes de personagens e concepções de Deus, e então montada a esmo, o que a deixou repleta de contradições, duplicações e non sequiturs. As partes mais antigas da Bíblia hebraica provavelmente tiveram origem no século X AEC. Incluíram mitos sobre as origens de tribos e ruínas locais e códigos legais adaptados de civilizações no Oriente Próximo. Os textos provavelmente serviam como um Código de justiça de fronteira para as tribos da Idade do Ferro que pastoreavam rebanhos e lavravam nas encostas montanhosas da periferia sudesde de Canaã” (Steven Pinker, 2013: 42).

      “Obviamente, não existem evidências diretas de coisa alguma que Jesus teria dito ou feito. As palavras atribuídas a Jesus foram escritas décadas depois de sua morte, e a Bíblia cristã, como a hebraica, é crivada de contradições, histórias sem confirmações e óbvias invenções. Enfim, se uma nos permite vislumbrar os valores de meados do primeiro milênio antes da Era Comum, a Bíblia cristã nos revela muita coisa sobre os dois primeiros séculos da Era Comum.” (Steven Pinker; 2013: 43).

      Cabe essas obras antigas servirem como parâmetros para os valores de hoje?!

      1. Era comum? Ou era cristã? Ou depois de Cristo? Vc disse que a Bíblia é cheia de contradições e que Jesus talvez não existiu, mas como alguém q não existe divide a história é duas partes? Antes de Cristo e depois de Cristo,, acho muito engraçado tentar provar que algo não existe, pois se não existe por que tanto empenho em provar q não existe?

      2. Prezado Isaias,
        quem disse que Jesus não existiu? E que o cristianismo não existe baseado em um livro que compila mitos hebreus existentes há muitos anos na Antiguidade?

        Você está imputando ideias a seus adversários, ou seja, criando um espantalho para o atacar…

        O que sei é que o cristianismo em seus primórdios tinha mais solidariedade social com os “não cidadãos” do Império Romano do que hoje…
        att.

    2. A bíblia nada mais é que um amontoado de condutas estigmatizados pelo medo de se opor a esses dogmas. o “temor a Deus” que cala e deixa a todos sem respostas para perguntas e que vivam assim sem questionamentos.

      É um livro que não acompanha a evolução natural das diversas sociedades, cristãs ou não. Conceitos culturais quase que em sua maioria inaplicáveis numa era moderna. E não porque “esquecemos do que Deus nos ensina e ensinou”, mas porque se tornou obsoleto.

      Contradições essas que podem ser muito exemplificadas. Um exemplo pífio é o de chicotear crianças que não obedecem os pais, incentivado na bíblia, hoje visto como desumano por qualquer sociedade.

      Se os criacionistas e fundamentalistas estudassem um pouco de biologia e a ciência básica, veriam a realidade dos fatos vigentes no mundo, sejam fatos físicos, químicos e o que se couber. A ciência prova muito da realidade, o que falta provar é ainda o que não descobrimos, mas tudo está aí esperando nós descobrirmos.

      Bastou alguns tubos de ensaio e um ensopado orgânico para provar que a vida surge derivadamente de outros organismos. E não de qualquer objeto inanimado como se acreditava por séculos. Pesquise a teoria de Louis Pasteur, ESTUDE. E não só isso, mas muito mais.

      Você dizer que nada disso é real é o mesmo que dizer que DNA é uma mentira e que seu corpo é composto de quê se não trilhões de moléculas? De magia inexplicável?

      Pode-se até acreditar em forças externas influenciando nossas mentes ou almas, como queira dar nome, mas é fato que a ciência é tudo isso, todo o universo também.

      1. Filho não existe prova,, só teorias, se é teoria é porque não pode ser provado, a Bíblia é tão ultrapassada que ainda hoje a vidas sendo transformadas após a leitura e estudo das escrituras, filho n precisa provar que algo n existe, se realmente ele n existe.

      1. Prezado Jonathan,
        religioso é mandatário. Usa e abusa do imperativo. Não diga “diga”… Diga: “por favor”…

        Felizmente — ou sem seus termos, “graças a Deus”–, eu não me guio por um livro que, supostamente, foi escrito por 40 autores, entre 1445 e 450 a.C. (livros do Antigo Testamento) e 45 e 90 d.C. (livros do Novo Testamento), totalizando um período de quase 1600 anos na sociedade rural da Antiguidade — ou pré-modernidade!

        Não sou fundamentalista, insistindo em resistir à modernidade. Não acredito no mito de Adão e Eva…
        att.

    3. Bom existem alguns pontos falhos na sua opinião. Por exemplo Macacos continuam os mesmos, mentira, os macacos que deram origem ao ser humano não existem mais, foram evoluídos a outras espécies de forma que gorilas e chipanzés atuais não são mais antigos do que o homem moderno. Segundo a evolução das espécies se dá em escala de milhões de anos, e como nós humanos não passamos muito de um século fica difícil “ver” a mudança certo. Mas se você realmente pesquisar os restos mortais de animais , vemos que eles tem se alterado progressivamente. independente da intervenção humana, e juntamente com eles também.
      “Por que essa semelhança? ” Porque todos somos mamíferos descendentes de um grupo que desenvolveu esse método específico de criação de filhotes bilhões de anos atrás.
      Sobre DEUS, Temos milhares de indícios de que ocorreu a evolução, mas não temos indícios de que Deus criou tudo que existe. Ainda sim um ser maior pode sim ter criado tudo que existe, mas o tempo desse Deus é diferente do Tempo que os homens acreditam. Deus pode sim estar direcionando todo o processo evolutivo, e isso não invalida as teorias evolutivas.

      “Porque todos são obras do mesmo criador” Se você acredita que por serem obras do mesmo criador as criaturas são semelhantes o que você diria sobre a diversidade de seres vivos que temos? que foram feitos por criadores diferentes? E o ornitorrinco? juntaram todos os criadores para fazer uma só criatura? Lembrando que quantidade de pernas, nariz, boca, orelha, pele , olhos etc Bem como as caracteristicas de cada um dos orgãos não são constantes na natureza.

    4. Sandro Silva,
      Como você explica a cadeia evolutiva de fósseis “humanoides” desde um “simiesco” esqueleto que andava com quatro patas até o esqueleto de um homos erectus, todos com crânios evolutivos em forma e tamanho, cronologicamente estudados e arquivados?

      Não se tratavam de macacos, como você jocosamente critica, MAS DE HUMANOIDES EM ESCALA EVOLUTIVA, com cérebros de diferentes tamanhos conforme a época da evolução.

      PENSE, EM VEZ DE SEGUIR CEGAMENTE PASTORES! Na maioria, são exploradores da religião como dominadores em nome de um ser sobrenatural que jamais provaram existir.

      Já observou quantos padres ou pastores SÃO MENOS INTELIGENTES, MENOS INSTRUÍDOS E MAIS RICOS QUE VOCÊ?

      SABE POR QUÊ? Porque você dá dinheiro para a igreja deles — e eles arrecadam e não retribuem.

    5. Sandro.
      O macaco originalmente mutado seguiu outro caminho e estamos aqui, eu e você, compartilhando 98,7% do DNA de um bonodo, mas conversado e teorizando, enquanto aqueles que não mutaram continuaram bonodos, ou criaturas semelhantes, pois macacos há a milhares de anos (concordando com você), mas mutações não ocorrem todos os dias.
      Essa não ocorrência promíscua é uma graça divina! (Sendo contemporizador!) Pois em caso contrário a bagunça genética resultante não permitiria o “time” necessário para a adaptação e evolução. Nem do organismo Homo sapiens, nem de sua consciência, nem de sua capacidade intelectual e proativa, nem de sua percepção metafísica (partindo do pressuposto de sua necessidade!), deixando de acreditar na divindade do raio do trovão e passando a ter fé em um Deus Criador que lhe alimenta a alma.
      Um abraço!

  2. Parabéns por seu blog. Muito interessante esse texto, está muito bem explicado e organizado de modo que o leitor tenha fácil entendimento da ideia proposta. Gostaria de saber onde é possível comprar seu livro e gostaria também de saber seu preço. Boa Sorte e SUCESSO com seu blog.

  3. Prezado Fernando,

    segue quatro posts que fiz para acender uma luz na mente dos que ainda acreditam em Deus. Abs.

    Saiba o que é o criacionismo e porque de sua negação: http://rcristo.com.br/2013/07/11/saiba-o-que-e-o-criacionismo-e-porque-de-sua-negacao/
    O poder do mito, de Joseph Campbell: http://rcristo.com.br/2015/05/02/o-poder-do-mito-de-joseph-campbell-1988-360-min-legendas-em-portugues/
    Deus é o maior dos problemas humanos e a compreensão de sua inexistência é a solução!:http://rcristo.com.br/2014/02/01/deus-e-o-maior-dos-problemas-humanos-e-a-compreensao-de-sua-inexistencia-e-a-solucao/
    Como a arte fez o mundo (episódios 1 a 4) – mais humano do que o humano – BBC: http://rcristo.com.br/2015/03/06/como-a-arte-fez-o-mundo-episodios-1-a-4-mais-humano-do-que-o-humano-bbc/

      1. Big Bang! Explosão de energia cria o espaço universal com milhares de estrelas e satélites.

        Mas antes do “ovo” existiu “a galinha” para, divinamente, haver “um design inteligente”?!

        Credo! Creio em deus-padre… Ou na ciência que busca uma solução para “o dilema ovo-galinha”.

  4. Com todo meu respeito….

    Se Vc é um estudioso, não deve expressar esses pré-conceitos!
    Pessoas burras existem em todo lugar, religiosas ou não!
    Posso te citar um monte de cientistas religiosos como: Isaac Newton (Cristão Anglicano, que nunca quis ceder as correntes Ateístas), Freud (Judeu, se considerava um Moises na descoberta da Psicanalise), Albert Einstein (judeu) etc… que deixaram seu nome na história.

    A teoria de Darwin foi desmitificada… Com a descoberta do DNA (leia mais) Se atualize mais…. O DNA guarda o projeto humano… O DNA de qualquer outra espécie é diferente do ser-humano…

    Vc se diz não se basear na bíblia? a desconsiderando…. Engraçado… Mas, vc prefere basear a sua vida num livro escrito por um outro homem? Então vc também é religioso na sua crença Darwinista. rsrs

    Vc percebeu que ao comemorar o ano novo, vc comemora o ano 2016 (que é dois mil e dezesseis anos que Jesus existiu) Parou pra pensar nisto???? Quem é este homem que mudou o calendário???
    Nenhum outro homem marcou a história como Jesus! Parou pra perceber que força este homem possui?
    Ele marcou o calendário, dividiu a história em Antes de Cristo e Depois de Cristo…
    A história cientifica amigo, tem que por o símbolo AC e DC…

    Não vou fazer um discurso aqui religioso, mas, Deus realmente existe e acontece que nunca a ciência vai provar o fato, porque Deus é um Espirito! O mundo espiritual nunca será visto por um telescópio. A Biblia diz que ele formou o projeto do Universo e todas as leis que nelas existem… O planeta terra é somente um pequeno planeta no Universo… dos milhares que Deus criou… Ele não tá preocupado em provar sua existência, mas eles se mostra aos que o buscam…

    Só tome cuidado, ao encher a boca pra falar que não precisa deste livro mediocre chamado bíblia, que um dia vc pode precisar, num leito, da oração de um crente!

    1. Prezada crente,
      em geral, não perco tempo com baboseiras religiosas demasiadamente repetitivas.

      Nessa altura da vida (e da história da humanidade), o que me surpreende é como ainda há uma multidão que se contenta com argumentos tão pueris!

      Impressiona-me como a falta de estudo faz das pessoas verdadeiras idiotas: aquelas que não se interessam pela vida pública e, portanto, não têm consciência do mal que fazem a si e aos outros. Falta-lhes empatia.

      É risível argumentar, para um ateu, que “a bíblia é um livro não escrito por outro homem”! O autor é sobrenatural?! Como vocês dizem: “creio em deus padre”… Cruz credo!
      🙂

  5. Vejam como são as coisas as pessoas preferem acreditar em uma teoria humana,evolução, e o mais absurdo, que o homem descende do macaco, então por que não se faz transfusão de sangue dos macacos e aplicam nos humanos? por que não fazem transplante de rins, de córnea, de fígado e de outros órgão dos macacos para os humanos? Sabem por quê não fazem?Porque Macaco não tem nada haver com humano. Os bichos são tão atrasados que nem mesmo se quer aprenderam a fazer um calção, as macacas nem aprenderam a fazer uma saia, para se vestir ou mesmo uma casa de folhas.. Viva o joão-de -barro, mais evolutivo que os macacos.

    1. vão discutir o sexo dos anjos, seus fundamentalistas crédulo e incrédulos, e aprendam a respeitar o livre arbítrio de cada um.

      1. Prezado Damasceno,
        discute “sexo dos anjos” quem acredita em anjos…

        Um cientista busca falsear essa hipótese religiosa ao fazer medição do fenômeno. Se é classificado como sobrenatural, não há como dimensioná-lo.

        Então, Ciência não é questão de crença e/ou livre-arbítrio individual de acreditar ou não. Há gente com livre-arbítrio que assume a opção pela ignorância por preguiça de estudar e refletir a respeito da veracidade de suas crenças.
        att.

  6. Caramba! Continua a haver muita gente que prefere a preguiça de apontar a Bíblia como solução pronta a usar, em vez de fazer um esforço de compreensão do mundo desvendado pelas descobertas científicas, estas sim validadas por métodos confiáveis. A você, articulista, gabo-lhe a paciência de responder a tanta ignorância preguiçosa.

    1. Perdoe-me mas o fato de a pessoa ler a Bíblia n que dizer q é preguiçosa, olha a muitos cientistas cristãos, professores pesquisadores, arqueólogos, etc vcs tem sua fé na ciência pois eu creio em Deus, e nunca vi e vcs crêem no big-bang que nunca viram, quem veio primeiro o tempo, a matéria ou o espaço? Ou são todos eternos?

      1. Prezado Isaias,
        a ciência busca pesquisar o desconhecido. A religião busca defender seus conhecidos mitos e dogmas.

        A ciência testa hipóteses continua, buscando falseá-las, para verificar se as mantém ou se buscam levantar outras.

        A religião caça as bruxas heréticas que questionam seus dogmas. Mentes simplórias se satisfazem com a religião e se incomodam com a ciência que não entendem…
        att.

  7. O ser humano não descende do macaco. Descende de um ancestral comum primitivo que deu origem aos macacos, símios, humanos e outros menos conhecidos. Dizer que o homem vem do macaco é uma atrocidade. Concordo com a maior parte do texto e não sou criacionista, mas não dá para aceitar um argumento que afirma que a evolução do homem tem origem no macaco. Postar algo sem fundamento moderno da área afim que se propõe a explicar é muito equivocado.

    1. Prezado Pablo,
      o analfabetismo funcional refere-se à dificuldade de interpretar um texto corretamente. Há leitor com dificuldade em hermenêutica, i.é, a interpretação de textos, dos sentidos das palavras. Projeta no autor a própria dificuldade ainda não superada.

      Sugiro ler neste modesto blog (pesquise por palavra-chave):

      Sapiens: Uma Breve História da Humanidade

      Surgimento dos Animais Humanos

      Teoria da Miscigenação e Teoria da Substituição

      Homem Predador de Outros Homens
      att.

      1. Ser passivo/agressivo para não reconhecer falha no proprio texto também é uma falha. Por no leitor a culpa de não ter entendido o que é proposto é uma boa maneira de cobrir as dificuldades de se fazer um texto claro o suficiente. Mas você tem tem uma posição social que não possuo, logo uma discussão a respeito de sua critica a mim não será frutífera, como podemos percerber lendo Bourdie. Insisto que a afirmação sobre a origem do homem no macaco é equivocada e é uma das primeiras coisas que ouvimos no curso de ciências biológicas e que tal pensamento deve ser evitado para não inflamar os criacionistas reacionário que você mencionou. Se esta forma de colocar suas ideias tivesse sido evitada, não existiriam posts discutindo a visão bíblica (de acordo com a visão destes internautas) sobre a evolução do homem. As discussões seriam a respeito do que seu texto se refere, instinto humano. Me parece que seu texto não atingiu o objetivo principal e levou a uma discussão em que você precisou defender os primeiros parágrafos de criacionistas e outros ataques. Confesso que eu deveria ter sido menos agressivo em meu post também, mas não foi um ataque malicioso, como o seu, velado numa tentativa de abrir meus olhos. Eu gostei do seu post, menos do inicio pela forma como a origem do homem foi apresentada. Mas quem sou eu para apontar um possivel equivoco de sua parte? Entendo que tudo isso pode ser mais uma interpretação errada do que você escreveu. Afinal, eu sou um analfabeto funcional, como é que eu vou saber o que você está escrevendo e do que eu estou escrevendo também, não é?

      2. Devo reconhecer que cometi um equívoco justamente por não interpretar corretamente o texto, e, por isso, venho a retirar o que disse sobre sua resposta, por não ter percebido o teor da mensagem. Leitura rapida e sem cuidado não servem de desculpas para meu triste equívoco. Peço desculpas a todos os internautas que participaram do post e direciono minhas palavras do segundo post que deixei àqueles que não procuram vias científicas para entender a evolução do homem. E desejo a todos o cuidado e falta de elegância que me faltaram em minha participação no blog.

        Sem mais no momento.

        Obs: é preciso cuidado ao discutir a evolução do homem a partir de macacos. Se comparada esta evolução à uma mão humana, nos dedos encontramos macacos, homem, chimpanzé, bonobos e lêmures. O ancestral do homem, do macaco e dos outros, estaria pouco abaixo do punho.

      3. Agora que já me dei a oportunidade de ler os textos recomendados, percebo ainda mais o papel de completo idiota que me prestei a desempenhar… Mudando o foco para a questão da temática que envolve o texto, é impressionante o leque de possibilidades que a discussão trás. As caracteristicas psicológicas humanas, influenciadas pela herança genética de milhões de anos de evolução humana, podem ser utilizadas hoje para melhor entender as condutas que temos e permite empregar com mais eficiência meios de educar, desenvolver e conviver em sociedade. Li algo a respeito de um assunto que me intrigou, não me recordo da fonte da leitura e que acabei não procurando. Os psicopatas de hoje, um risco para a sociedade, teriam sido importantes para nossa sobrevivência no passado e durante nossa história antiga. Os grandes militares e lideres (até os primitivos) teriam assegurado a sobrevivência de grupos humanos e vitórias que moldaram nossa história. Também que foi um resultato evolutivo positivo para nossa continuidade em relação outros humanos. Existe alguma leitura do assunto que o professor conheça?

  8. Tudo teorias criadas por seres humanos através de suas hipóteses e que ainda se encontram sem explicação… Todo animal teve sua evolução, e porque não desvendar a evolução dos felinos, dos caninos, dos pássaros, etc, pra mim especie de macaco é diferente da especie do homem, agora a evolução aconteceu para o homem no sentido de procurar soluções para a sua sobrevivência, chegando a se diferenciar através do raciocínio…

    1. Prezado Raimundo,
      a Ciência evolui através de levantamento de hipóteses explicativas a serem testadas suas sustentações. Caso sejam falseadas, constroem-se novas hipóteses em um método dialético: tese-antítese-síntese.

      Senão, ainda estaríamos vivendo em “um mundo assombrado por demônios” (ou deuses). O ser humano continuaria apelando para o sobrenatural com a finalidade de buscar uma razão para a evolução natural.
      att.

      1. Respeito muito, os cientistas pois daí nos vem muitas coisas boas, mas quando olho ao homem nvejo evolução, na verdade retrocesso,,

      2. Prezado Isaias,
        curiosa esta “postura não-cristã”: respeita os homens que são cientistas, mas desrespeita o ser humano em geral…

        Qualquer conhecimento de História da Humanidade leva a reconhecer o progresso social com conquistas de cidadania, i.é, cumprimento dos direitos e deveres correspondentes. Basta ler a respeito da luta para abolir a escravidão, predominante durante a maior parte da história.

        O último país a extinguir, oficialmente, a escravidão foi a Mauritânia, no noroeste da África, entre o Saara Ocidental e o Senegal. A abolição aconteceu oficialmente em 9 de novembro de 1981, e passou a ser considerada um crime apenas em 2007.

        Formado por mouros e negros muçulmanos, o país escravizou africanos capturados por árabes no decurso de guerras. Mesmo após a aprovação da lei, a escravidão continua a existir no país. Estima-se que 20% da população de 3,2 milhões de pessoas vivam nesse regime.

        Por sua vez, o primeiro país a banir o escravismo foi Portugal, em 1761. Todavia, o Marquês de Pombal direcionou o decreto apenas para Portugal Continental e suas colônias na Índia. No Brasil, se manteve até 1888, sendo o último país independente ocidental a abolir.

        Veja alguns dos países que mais demoraram a abolir.

        Cuba – 1886

        Brasil – 1888

        Zanzibar – 1897

        Etiópia – 1942

        Arábia Saudita – 1962

        Mauritânia – 2007

        Pela letra da lei a escravidão é extinta. O último país a abolir a escravidão foi a Mauritânia em 1981. Porém a escravidão continua em muitos países, porque as leis não são aplicadas. Elas foram somente feitas pela pressão de outros países e da ONU, mas não representam a vontade do governo do respectivo país. Hoje em dia existem pelo menos 27 milhões escravos no mundo.

        Por exemplo, há inúmeros casos de limpeza étnica e escravidão no Sudão. O Sudão é hoje o terceiro maior país da África (após a Argélia e a República Democrática do Congo) e também o terceiro maior país do mundo árabe (depois da Argélia e Arábia Saudita).
        att.

      3. Sr Fernando Nogueira não desvalorizo o ser humano, mas basta saber que a pouco as pessoas tinham mais liberdade, pois andavam pelas ruas sem medo, hoje a população é refém do medo. Agradeço a Deus por estas leis que nos ajuda a combater, a injustiça de modo geral, e aos homens que lutaram com unhas e dentes pela aprovação destas.
        Mas de modo geral não vejo uma evolução moral. Mas cada vês mais os homens se destroem e destroem a terra,,

      4. Prezado Isaias,
        atualmente, apesar de a escravidão ter sido abolida em quase todo o mundo, ela ainda continua existindo de forma legal no Sudão e de forma ilegal em muitos países, sobretudo na África e em algumas regiões da Ásia.

        Apesar dos pronunciamentos papais, na prática não houve oposição da Igreja à escravização dos negros durante o Brasil Colonial e o Império (séculos XV – XIX). Muito pelo contrário, destacavam-se entre os grandes proprietários de escravos os membros de ordens cristãs.

        Com a abolição da escravidão houve certa evolução moral, não?
        att.

  9. Prezado Fernando,

    é incrível como a religião cega as pessoas e as faz ignorar as evidências precisas, ex: temos todas as características de nossos primos macacos, um simples olhar para eles e logo percebemos que somos parentes, embora não sejamos seus descendentes diretos.

    O que é um primata? O que é um macaco? O que é um símio antropomorfo? O que é ser humano?

    Segue referência completa: https://netnature.wordpress.com/2016/06/20/o-que-e-um-primata-o-que-e-um-macaco-o-que-e-um-simio-antropomorfo-o-que-e-ser-humano/

    O que é Deus?

    É o maior absurdo criado pelo gênero humano, precisa ser anulado urgente: DEUS = NULL; é necessária essa anulação, pois sua significação perdeu totalmente o sentido e não há formas de conciliar essa ideia absurda entre os povos provocando equívocos conceituais graves, causando uma tautologia na mente das pessoas menos preparadas e com raciocínio crítico deficitário. As nossas redes neurais não podem mais deixar circular uma ideia absurda e a nulidade é a única opção.

    O Ser/Ente/Cosmos/Espaço-tempo

    Usamos os termos Ente (qualificativo filosófico), para representar o sujeito que age/atua, o Ser (qualificativo filosófico) são todas as possibilidades do Ente dentro do cosmos.
    O cosmos é constituído pelo espaço/tempo que podemos representar pelo Ser, isto é, nós (Entes) e todos os objetos constituintes da matéria/energia, somos os atores junto com as possibilidades e existências dentro de nosso universo.

    As pessoas precisam aprender que na vida não há sentido de qualquer natureza, a vida é apenas uma ação do Ente (nós junto com toda a matéria e energia do cosmos), dentro das possibilidades existentes (Ser = espaço/tempo). Não existe teleologia (uma finalidade) com relação à vida e toda a existência.

    O Ser humano precisa da mente limpa: livre de igrejas, seitas, dogmas, rituais, partidos políticos, castas e toda a forma de dominação sobre o outro, que gerou equívocos que se arrastam por milênios. Não há salvadores e nosso planeta juntamente com o sistema solar, segue uma aleatoriedade rumo ao futuro.

    Quando perguntei a um mendigo de rua: o que o senhor está fazendo aí? Ele me disse: foi Deus que quis, estou pagando meus pecados! Isso me causou um constrangimento enorme, pude percebe que o ser humano se tornou um miserável que inventou essa ideia absurda e ainda acredita nela! É por isso que anular DEUS = NULL. É a solução!

    Caso continuarmos permitindo que existam atrocidades, pobreza, abusos com a natureza, acreditar nas mentiras/incapacidades dos políticos, continuar votando e escolhendo como nossos representantes, pessoas que fazem leis para a própria proteção (foro privilegiado); então, nossa humanidade estará perdida e seguiremos rumo às guerras, pobreza, efeitos climáticos severos; e a extinção da vida no planeta não estará longe. Abs.

  10. a biblia é tão importante que a materia de religião quase foi eliminada da educação basica…fico a criterio de escolha da escola….é tão importante que ela não esta inserida na constituição brasileira…nas escolas e universidades…Deus só exite enquanto as pessoas que acreditam nele existir…ele só existe na mente das pessoas…um dia que todos deixarem de acreditar nele a vida vai continuar…pessoas continuaram vivendo suas vidas…especie de animais irão desaparecer…outras irão surgir…nada vai parar…Deus precisa da mente ingenua e criativa…as vezes dotado de insanidade mental de religiosos pra se sustentar…eu era evangelico e fui catolico depois de virar ateu…continuo a mesma coisa não mudo nada…a unica diferença é que deixei de ser uma pessoa limitado ao senso comun…procurei formular minhas proprias ideia…a biblia jã não satisfazia mais a minha fome pelo desejo do saber…vejo o mundo de uma outra maneira…hoje conheço meus limites…a religião por muito tempo me colocou em uma posição de exclusividade por achar que acreditava em um deus unico e que minha religião era soberana…com o ateismo passei enxergar as pessoas com igualdade…sem distinção de sexo, religião, de cor…me fez aceitar mais o diferente…somos todos iguais…não é porque vc crer em um deus ou tem uma religião que isso te faz ser unico e privilegiado em relação aos outros….todos nós estamos vulneraveis a imteperies da vida…seja de qualquer natureza…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s