Inovações no Ensino

Wow Room” é a primeira sala de aula digital de grandes proporções da Europa. Nela, existem 48 monitores que em um tapete digital de 45 metros quadrados em forma de “U“, que permite a interação com até 60 alunos simultaneamente.

A experiência de aprendizagem na escola de negócios espanhola IE Business School, eleita como o melhor curso de MBA on-line do mundo pelo Financial Times, acontece por meio de:

  1. inteligência artificial,
  2. simulações em tempo real,
  3. análises de “big data“,
  4. robôs interativos,
  5. sistemas de reconhecimento emocional, e
  6. presença de especialistas via hologramas.

O professor consegue interagir como se estivesse em uma sala de aula normal. Olhar o futuro significa investir em inovações tecnológicas como essa. Uma das apostas da escola é crescer no ensino on-line e/ou EAD (Ensino à Distância).

Mais do que incorporar novas tecnologias, se quiserem olhar para a frente, as escolas precisam:

  1. se afastar do conhecimento teórico [isto no caso de cursos de Gestão baseados em “banco de boas práticas” sem fundamentos teóricos] e
  2. focar cada vez mais no treino de comportamentos mentais e competências interpessoais.

Continue reading “Inovações no Ensino”

Medição da Casta de Sábios-Universitários

numero-total-de-matriculas-2003-2014

A repressão politica no Brasil da ditadura militar pouco promoveu o Ensino Superior, tanto público quanto privado. O número de matriculas, em cerca de vinte anos, passou de 95.961, em 1960, para apenas 134.500, em 1980. A democracia foi benéfica para sua expansão. Veja abaixo a multiplicação quase por doze vezes até 1991.

graduacao-presencial-1991-2002

Em 2014, houve 6.486.171 matrículas em Cursos de Graduação Presenciais. Somaram-se, assim, mais 3.006.258 estudantes universitários na Era Social-Desenvolvimentista (2003-2014).

graduacao-presencial-2014

Em 2014, segundo o INEP, o Censo apurou mais de 7,8 milhões de matrículas em Ensino Superior, considerando Cursos Presenciais e EAD. Isso significa aumento de 96,5% de 2003 (quando as matrículas eram 3.936.933) a 2014. Nos cursos a distância, 9 de 10 matrículas estavam na rede privada, já na modalidade presencial, 72% das matrículas se encontravam em cursos privados.

Contudo, quando se analisam as matrículas presenciais apenas em Universidades (e não em outras categorias administrativas), as públicas e as privadas abrigavam números mais próximos, respectivamente, 1.548.007 e 1.656.994. Em outras palavras, rigorosamente, estudantes universitários eram 3.205.001. Esta casta ainda não se massificou tanto quanto sugere o número de estudantes de Ensino Superior do gráfico acima.

Considerando o número de docentes universitários como componentes dessa casta de sábios, eram apenas 204.310 em 2014, sendo que os com Doutorado, que davam aulas em Universidades, eram a metade: 102.371 professores. Apenas estes poderiam ser considerados membros da casta dos sábios-universitários? Continue reading “Medição da Casta de Sábios-Universitários”

Casta de Sábios-Universitários em São Paulo

cidade_universitaria_usp

A Revolução Constitucionalista de 1932 foi o movimento armado ocorrido no estado de São Paulo, entre julho e outubro de 1932, que tinha por objetivo derrubar o governo provisório de Getúlio Vargas e a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte. O movimento cresceu a partir do ressentimento local com o fato de Vargas governar por decreto, sem uma Constituição e em um governo provisório. O golpe de Estado também afetou São Paulo ao corroer a autonomia que os estados brasileiros gozavam durante a vigência da Constituição de 1891.

Após o revés de São Paulo na “Revolução de 1932”, o Estado se viu ante a necessidade de formar uma nova elite capaz de contribuir para o aperfeiçoamento das instituições, do governo e a melhoria do país. Com esse objetivo um grupo de empresários fundou a Escola Livre de Sociologia e Política (ELSP) (a atual Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo) em 1933, e o interventor de São Paulo (cargo que, naquele momento, correspondia ao de governador) Armando de Salles Oliveira criou a Universidade de São Paulo (USP), em 1934.

Nas palavras de Sergio Milliet, membro da casta dos sábios-intelectuais universitários: “De São Paulo não sairão mais guerras civis anárquicas, e sim ‘uma revolução intelectual e científica’ suscetível de mudar as concepções econômicas e sociais dos brasileiros”. Continue reading “Casta de Sábios-Universitários em São Paulo”

Casta dos Sábios-Universitários no Brasil

coimbra_december_2011-19a

Embora Portugal tenha uma das dez mais antigas da Europa em funcionamento contínuo, a Universidade de Coimbra, fundada em Lisboa em 1290, não se criou nenhuma Universidade em sua colônia nas Américas, inclusive no período (1808-1821) que a corte metropolitana aqui se instalou com D. João VI.

Segundo o modelo português, a nenhuma das escolas de Ensino Superior foi atribuído o status de Universidade, o qual era reservado em todo o Império Português à Universidade de Coimbra. Mesmo em Portugal, com exceção da Universidade de Évora, com existência breve, as diversas instituições de ensino superiores existentes fora de Coimbra só alcançaram o status de universidades em 1911.

Entre 1772 e 1800, um total de 527 brasileiros se formou em Coimbra. Esta elite intelectual, em que se destacou José Bonifácio de Andrada e Silva, constituiria a “classe dirigente brasileira”. Um quarto dos formandos vinha da capitania do Rio de Janeiro e 64% deles eram formados em advocacia por ser o curso que mais oportunidades profissionais oferecia, especialmente no serviço público.

A existência dessa pequena elite intelectual representava um avanço em uma colônia em que tudo se proibia e censurava. Livros e jornais eram proibidos de circular livremente, para “não espalhar os abomináveis princípios franceses. (…) quem ousasse expressar opiniões em público contrárias ao pensamento vigente na corte portuguesa corria o risco de ser preso, processado e, eventualmente, deportado. Imprimi-las, então nem pensar. Até mesmo reuniões para discutir ideias eram consideradas ilegais” (Laurentino Gomes; 2007: 122). Continue reading “Casta dos Sábios-Universitários no Brasil”

Política Educacional do Governo Golpista: EAD

ensino-a-distancia

No ano do golpe, estima-se que a política educacional do governo golpista levou a uma queda de 6,7% no volume de matriculados nos cursos presenciais e redução de 3,6% no EAD. O volume de calouros caiu 1,96% no presencial e ficou estável nos cursos a distância.

Beth Koike (Valor, 17/02/17) informa que o número de alunos matriculados em cursos a distância deve ultrapassar o ensino presencial daqui a seis anos. Em 2023, a estimativa é de 9,2 milhões de estudantes em faculdades privadas, sendo que 51% deverão estar matriculados em cursos on-line, de acordo com dados da consultoria Educa Insights. Em 2015, último dado disponível no Ministério da Educação (MEC), cerca de 20% dos universitários faziam cursos a distância.

A projeção leva em conta o histórico de crescimento dos últimos cinco anos, mas também considera a entrada de instituições privadas renomadas no mercado de graduação on-line como FGV e PUC, e universidades públicas como USP e a Federal Fluminense, que tem cerca de 10 mil inscritos.

Um curso a distância é rentável a partir de 10 mil alunos. A força da marca no presencial é importante porque atrai para os cursos on-line. Mas a instituição precisa ter fôlego financeiro porque o ensino a distância demanda um investimento alto antes da geração de receita, ou seja, antes dos alunos começarem estudar. Aliás, isto é um “mero detalhe”, parece não importar a qualidade do ensino, mas apenas a diplomação para efeito estatístico

Continue reading “Política Educacional do Governo Golpista: EAD”

Censo Escolar 2016

frequencia-a-escola-por-idade-2015alunos-em-tempo-integraleducacao-profissional

retrato-da-educacao

Abaixo você pode acessar os principais dados do Censo Escolar:

  • Censo Escolar 2016: Apresentação do Censo Escolar da Educação Básica – 2016
  • Os dados do Censo Escolar podem ser acessados por meio do próprio sistema Educacenso, pelo Data Escola Brasil, pelas Sinopses Estatísticas, pelos Microdados ou pelo Inepdata.  Por meio dos microdados, disponibilizados em mídia eletrônica, os usuários têm acesso a todo o acervo de dados coletados, com exceção dos dados individuais dos alunos e profissionais escolares e dos dados de endereço das escolas. Dessa forma, é possível ter acesso aos dados primários e reproduzir todos os indicadores calculados pelo lnep, configurando-se, assim, em uma forma abrangente e transparente de disseminação.
  • Para visualizar os dados preliminares e finais do Censo Escolar, divulgados no Diários Oficial da União (DOU), assim como os Resumos Técnicos, acesse o menu Resultados e Resumos.

Tutorial do Gapminder (elaborado por Gabriela Rocha)

 

Apresento abaixo um tutorial do Gapminder World Guide: Visite o Site, Baixe e Use o Programa, elaborado por Gabriela Rocha, minha aluna e promissora economista da nova geração formada no IE-UNICAMP.

“Foram muitas as ferramentas com as quais tivemos contato durante o curso de Métodos de Análise Econômica 2016, todas muito úteis, que acrescentaram muito à nossa formação pessoal e profissional. No entanto, uma das mais impressionantes, sem sombra de dúvida, foi o website chamado Gapminder e todas as possibilidades nele contidas!

A seguir será feito um tutorial sobre algumas das ferramentas, que tivemos contato durante o 2o. semestre de 2016, disponíveis em: https://www.gapminder.org/. Continue reading “Tutorial do Gapminder (elaborado por Gabriela Rocha)”